Pessoas que gostam deste blog

122 O testemunho do capitão gentio sobre Jesus, Mt 27.54

O testemunho do capitão gentio sobre Jesus, Mt 27.54


54 O centurião e os que com ele guardavam a Jesus, vendo o terremoto e tudo o que se passava, ficaram possuídos de grande temor e disseram: Verdadeiramente este era Filho de Deus.
Em dois momentos Jesus na cruz tinha chamado Deus de seu Pai. Portanto, o capitão estava certo
ao formular: Ele realmente foi Filho de Deus.
Provavelmente o guerreiro romano achava que há muito sabia o que significa morrer. De fato, ele
sabia o que era morrer honrosamente, segundo os fundamentos romanos de coragem. Em muitos
campos de batalha ele devia ter presenciado essa morte. Contudo, era nova para ele a majestade da
morte voluntária, manifesta no trovão da força, com a qual Jesus entregou a Deus sua vida. Ela
tomou conta de sua alma, como uma revelação do Deus eterno. Esse morrer divino despertou -o para
uma nova vida. Como que fora de si de entusiasmo, o homem começou a dizer palavras admiráveis.
Louvou a Deus por esses acontecimentos, e o mínimo era que engrandecesse como um Justo aquele
que ele tinha sido incumbido de executar como criminoso (Lc 23.47). Reforçou com um juramento
que Jesus é o Filho de Deus. Não declarou isso no sentido de uma compreensão cristã já
desenvolvida, porém tampouco com um espírito de crendice pagã. Inegavelmente o capitão tinha
conhecimento, a partir da acusação com que os judeus levaram Jesus à cruz, de que ele próprio teria
se arrogado a posição de Filho de Deus. Era isso, pois, o que ele jurava: A palavra de Cristo sobre si
mesmo, ainda que fosse capaz de captar seu conteúdo apenas precariamente. Mateus nos leva a
concluir com toda a certeza sobre essa relação com a palavra de Jesus. Sim, verdadeiramente, era este
o Filho de Deus! É como se o capitão quisesse afirmar: Foi realmente assim como Jesus falou. Ele
não foi um blasfemo, do que seus inimigos o quiseram rotular. Conduziram-no a essa certeza
especialmente o terremoto e os sinais que o acompanharam. O capitão viu neles um sinal de Deus.
Até seus companheiros foram tomados desse sentimento. Cheios de temor aderiram ao seu
testemunho.
Conseqüentemente, esse gentio crente e seus companheiros no Gólgota tornaram-se os primeiros
representantes do mundo gentílico que futuramente viria a dobrar seus joelhos diante do poder da
cruz de Cristo. Sim, essa testemunha de Cristo, pela afirmação de que Cristo de fato foi o Filho de
Deus, até parecia estar proferindo uma crítica aos judeus por terem repudiado Jesus como blasfemo.

Fonte: Mateus - Comentário Esperança

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Online