Pessoas que gostam deste blog

99 A primeira parábola: O servo vigilante e o servo lerdo, Mt 24.45-51

A primeira parábola: O servo vigilante e o servo lerdo, Mt 24.45-51

45-51 Quem é, pois, o servo fiel e prudente a quem o senhor confiou os seus conservos para dar-lhes o sustento a seu tempo? Bem-aventurado aquele servo a quem seu senhor, quando vier, achar fazendo assim. Em verdade vos digo que lhe confiará todos os seus bens. Mas se aquele servo, sendo mau, disser consigo mesmo: Meu senhor demora-se, e passar a espancar os seus companheiros e a comer e beber com ébrios, virá o senhor daquele servo em dia em que não o espera, e em hora que não sabe, e castigá-lo-á, lançando-lhe a sorte com os hipócritas. Ali haverá choro e ranger de dentes.
A parábola enceta com a pergunta: Quem é o servo fiel e sensato? Essa palavra sobre o escravo
fiel e prudente refere-se de modo bem especial aos discípulos e, em seguida, aos membros da
comunidade. A palavra grega para fiel é pistós, e significa confiável, fiel. A palavra grega para
prudente origina-se de phronein. É um verbo que inicialmente significa “pensar”, e depois “ter algo
em consideração”. Os escravo, portanto, que o Senhor apresenta como exemplo, é uma pessoa
confiável, alguém em quem podemos nos fiar sob qualquer circunstância. Os escravo, no entanto,
também é alguém que sempre tem “algo em consideração”. Ele considera incessantemente o que
convém ao Senhor. – Aos membros da comunidade compete serem confiáveis e sempre levarem em
consideração que precisam desempenhar o serviço que foi dado a cada um com responsabilidade
imediata perante o Senhor. Feliz do servo que o Senhor, ao retornar, encontrar com estas qualidades!
O outro servo da parábola é um servo mau. A ausência do Senhor, e sobretudo a delonga de seu
retorno, preenchem o coração desse servo mau com desejos maus. Esses maus desejos se
exteriorizam, por um lado, em banquetear-se e gozar, ou seja, numa vida conscientemente voltada
sobre si própria, mas por outro lado também numa vida cheia de desamor e falta de escrúpulos
perante os conservos que lhe são subordinados. Quanto menos ele próprio trabalha, tanto mais rigor
e trabalho árduo exige dos outros, agindo com eles cruelmente, com pancadas e outros maus tratos.
Com uma só palavra é descrita toda a ira do Senhor ao retornar: “Ele o fará em pedaços”. O
Senhor saca sua espada e, com um único golpe, corta esse servo infiel ao meio. Assim procede o
senhor terreno na sua ira justa.
O que o Senhor e Salvador que retorna fará é expresso com as palavras: Ele o fará partilhar da
sorte dos hipócritas: Lá haverá choro e ranger de dentes.
O significado dessa parábola do servo bom e do mau está em que devemos ver para onde pode
levar uma vida de fé quando não se orienta pelo olhar voltado para o alto, que contempla cheio de
expectativa aquele que está vindo!

Fonte: Mateus - Comentário Esperança

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por nos visitar! Volte sempre!