Pessoas que gostam deste blog

PLANO DE ACOMPANHAMENTO ESPIRITUAL – P.A.E.


PLANO DE ACOMPANHAMENTO ESPIRITUALP.A.E.
DISCÍPULOS FAZENDO DISCÍPULOS

Queremos desafiar a você, meu irmão e minha irmã, a ser um discipulador(a). Não podemos alcançar vidas para Cristo e deixá-las sem assistência e acompanhamento espiritual. O desafio não é para alguns, mas para todos os membros da Igreja. A Igreja do Senhor Jesus precisa com urgência abraçar o Plano de Acompanhamento Espiritual – P.A.E., para os novos na fé. Não podemos continuar realizando campanhas e eventos evangelísticos se não estivermos preparados e dispostos para o ministério de discipular as vidas alcançadas. Este plano não é responsabilidade de uma equipe, de um líder, de um pastor... É responsabilidade de todos nós, de todos os membros da Igreja. Sonho com o momento em que poderemos afirmar que cada membro da Igreja do Senhor Jesus é um discipulador, isto é, ter feito do discipulado não só uma ou mais pessoas mas da Igreja. Dessa forma a Igreja crescerá em quantidade e qualidade espiritual.
Coloco em suas mãos este pequeno manual com noções gerais do trabalho de um discipulador. Mas o meu trabalho não se encerra com este manual. Estarei pronto a sentar com os discipuladores e esclarecer dúvidas e ouvir opiniões. A prática e a experiência de cada um acrescentarão novas ideias e estratégias para o Plano de Acompanhamento Espiritual – P.A.E. Estou certo que Deus fará uma revolução na vida espiritual de nossa Igreja à medida que a Igreja for edificada na formação de discípulos e discipuladores. Venha DISCIPULAR aquele que nascer de novo em nossa Igreja e caminhar lado a lado com ele até que se tome também um discipulador. À medida que o número de discipuladores for crescendo teremos reuniões de estudos, motivacionais e testemunhos. Em muitas situações estarei lado a lado com o discipulador visitando os discípulos. Conte comigo. Conto com você, ou melhor, ainda: JESUS CONTA COM VOCÊ!
É improdutivo, é pecado por omissão, anunciarmos o Evangelho e conquistarmos vidas se não às discipularmos. O Discipulado é que vai realmente ajudar os novos convertidos a se firmarem na fé. Só assim, formaremos uma geração de discípulos maduros e que, posteriormente, irão gerar outros como eles. E este é o desafio para a Igreja do Senhor Jesus. O grande problema de nossa Igreja e de muitas outras igrejas é o que podemos chamar de orfandade espiritual. Os recém-convertidos são simplesmente deixados de lado e os que permanecem na igreja tornam-se órfãos espirituais. Waylon Moorc diz: “Na maioria das igrejas os convertidos são simplesmente adicionados a uma lista de candidatos ao batismo e abandonados a cuidarem espiritualmente de si mesmos. É doloroso afirmar, mas o fato é de que existem muitos órfãos e poucos pais espirituais em nossas igrejas”.
Jesus estipulou bases para um discipulado eficaz, e a principal delas se chama Relacionamento! E relacionamento envolve uma aliança entre discipulador e discípulo. Isto não é fácil, pois dessa forma desenvolvemos uma convivência muito próxima com quem estamos a discipular, e tal envolvimento exige de nós um desprendimento que nem sempre é o que nós queremos. Você poderá argumentar: ”Mas Pastor, eu fiquei firme na Igreja e não tive um discipulador pessoal”. Eu respondo: “Meu irmão, você é um sobrevivente! Tenho certeza que seu crescimento e maturidade espiritual teria sido mais sólidos se houvesse, no início de sua conversão, alguém fazendo o trabalho de um discipulador com você. Mas, agora, faça diferença na vida de um novo discípulo: seja um discipulador!”.
Hoje somos poucos (por enquanto), mas precisamos desenvolver estas bases agora para que, quando a multidão chegar, tenhamos discipuladores para cada novo discípulo. Então, você que está sendo discipulado, se prepare, pois em breve será você que estará discipulando alguém! A definição de DISCIPULAR é esclarecedora: “Discipular é um relacionamento comprometido e pessoal de um discípulo mais maduro ajudando novos discípulos de Jesus Cristo a se aproximarem mais Dele, se firmarem na fé e, assim, se tornarem Igualmente discipuladores.."
Amada Igreja, esse processo de discipular, da forma como estamos apresentando, parece novo para todos nós, por isso, exigirá de nós um esforço maior no começo, mas depois, discipular pessoas será algo normal. Sim, será normal e natural, pois discipular se tornará um dos valores centrais da Igreja, ou seja: ganharmos vidas, cuidarmos delas e vê-las a cuidar de outras futuramente.

O discipulador não é simplesmente um professor. Ele é alguém que além de informar também coopera na formação do caráter espiritual do seu aprendiz, tornando-se referência para o discípulo. Mas, devemos sempre lembrar que nenhum discipulador é modelo de perfeição, mas sim, um modelo de transformação, mostrando que assim como o discípulo, ele também está num processo, que a cada dia subirá um degrau na absorção do caráter de Cristo. Com este sincero objetivo ele poderá identificar-se com o discípulo. Seguindo o exemplo de Paulo: “...não que o tenha já recebido, ou tenha obtido a perfeição; mas prossigo para conquistar aquilo para o que também fui conquistado por Cristo Jesus” (Fp 3.12).

Um comentário:

  1. Somos gratos pois esse trecho ajudou-nos bastante, pois não sabíamos exactamente o que fazer com alguns novos convertidos em nossa congregação. com isso ampliamos o nosso entendimento e faremos discípulos. Yuca e Julinho

    ResponderExcluir

Online