Pessoas que gostam deste blog

O ponto de conexão - Lc 1.5-6

A história de Zacarias e Isabel abre o drama messiânico. Quando Deus começa uma nova obra, ele
não joga fora a antiga, mas estabelece uma conexão com ela! No seio de Israel, em Jerusalém, no
templo (o centro da vida cultual de Israel), Deus engendra o surg imento da nova aliança.
Também Schlatter chamou atenção para esse aspecto da conexão do novo com o antigo. “No
templo começa a história narrada pelo evangelista Lucas. Ao templo também é trazido
posteriormente o recém-nascido Messias-Cristo, como a lei prescrevia. Do mesmo modo, Jesus, aos
doze anos de idade, ao visitar pela primeira vez o templo, entra nele com a idéia de que agora se
encontra naquilo que pertence a seu Pai…”
Com essas frases no começo do evangelho relacionam-se as últimas frases do evangelho de Lucas,
Lc 24.52s: “Então, eles, adorando-o, voltaram para Jerusalém, tomados de grande júbilo; e estavam
sempre no templo, louvando a Deus.”
Sim, é “no templo” de Jerusalém, a continuação do tabernáculo, que Deus estabelece a conexão
com o novo. – Somente depois que Jerusalém rejeitou definitivamente ao Salvador o templo também
foi entregue à destruição (cf. Lc 13.35; 19.46 e 21.6).
5 – Nos dias de Herodes, rei da Judéia, houve (era) um sacerdote chamado Zacarias, do 
turno (sacerdotal) de Abias. Sua  mulher era das filhas de Arão e se chamava Isabel.
A tradução tão literal quanto possível tem por finalidade explicitar a diferença de expressão entre
os v. 1-4 e os v. 5ss. O mesmo homem que, por meio de um discurso bem elaborado no prólogo, se
posiciona como um erudito entendido da literatura grega, devido ao estudo e à ocupação, agora
começa um relato de vários e longos capítulos em um estilo que, para quem entende um pouco de
hebraico, parece tradução de um idioma semita. Deparamo -nos novamente com o estilo clássico do
prefácio na segunda metade de Atos dos Apóstolos. A locução aconteceu nos dias do rei Herodes é
hebraica. Nenhum historiador grego escreveria assim. Recordamos 2Sm 21.1; 1Rs 10.21; Jr 1.2; Mt
2.1.
Quanto a “Herodes, o Grande” veja na Série Esperança, Mateus, p. 42ss, inclusive as notas de
rodapé.
A expressão o turno (sacerdotal) de Abias baseia-se na subdivisão dos sacerdotes em 24 ordens
que remontam a Davi (1Cr 24.3,10).
Considerando que Isabel era oriunda “dentre as filhas de Arão”, João Batista era descendente de
uma família puramente sacerdotal. O texto continua a falar acerca de seus pais:
6 – Ambos eram justos diante de Deus, vivendo irrepreensivelmente em todos os preceitos e 
mandamentos do Senhor.
A expressão justos refere-se ao cumprimento cabal dos mandamentos levitas. Deus deixava valer
diante de si esta justiça como reta diante dele. O termo irrepreensível corresponde à palavra
“perfeito” em Gn 17.1. Quem deseja ser digno do serviço de Deus precisa ser obediente a ele e
vincular seu coração incondicional e irrestritamente a seus mandamentos. Ambos andavam [ viviam],
i. é, não apenas conduziam temporariamente uma vida agradável a Deus, mas se empenhavam em
praticar continuamente, com santa seriedade, aquilo que era correto perante Deus. Ninguém podia
acusá-los de nada. Encontravam-se “no santuário perante Deus” de forma persistente.
À origem sem mácula dos pais de João Batista agregava-se, pois, uma vida de acordo com a
vontade e o agrado de Deus. Que casal de cônjuges e pais exemplares apresenta-se, assim, diante de
nossa alma!
Deus viu este andar perante si. Seu intento era transformar Zacarias e Isabel em portadores do
Espírito. Por isso ele também os educou de maneira diferente dos demais humanos. Um novo começo
no reino de Deus deveria ser preparado por meio da irrupção de um casal de pais para dentro da vida
de fé de pessoas como Abraão e Sara! Considerando, porém, que a promessa a Abraão estava prestes
a ser cumprida, evidenciou-se repentina e surpreendentemente que surgiam aqui exatamente os
mesmos sintomas do tempo de Abraão: “Não havia herdeiro!” Além disso Isabel já havia passado em
muito a idade em que podia ter esperança de se tornar mãe de um menino!
Fonte: Lucas - Comentário Esperança

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Online