Pessoas que gostam deste blog

Lição 13 - Igreja Messiânica Mundial

Baixar/Slide

LIÇÃO 13 – 30 de março de 2014 – Editora BETEL

Igreja Messiânica Mundial

TEXTO AUREO

“Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim”. Jo 14.6

Comentarista: Pastor Joabes Rodrigues do Rosário

VERDADE APLICADA

Jesus é a verdade do caminho pelo qual os homens devem retornar a Deus. Portanto, Ele é o exemplo supremo e o Ilustrador desse caminho.

OBJETIVOS DA LIÇÃO

Fazer conhecida a origem da Igreja Messiânica Mundial;
Combater a heresia das “Três Colunas da Salvação”, conforme ensino da Igreja Messiânica Mundial;
Refutar as principais heresias da Igreja Messiânica Mundial.

TEXTOS DE REFERÊNCIA

Jo 14.1 - Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim.
Jo 14.2 - Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito; vou preparar-vos lugar.
Jo 14.3 - E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos tomarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também.
Jo 14.4 - E para onde eu vou vós conheceis o caminho.
Jo 14.5 - Disse-lhe Tomé: Senhor, não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho?

(Jo 13:36 - 14:6)
Jesus não repreendeu Pedro por lhe perguntar para onde estava indo, mas sua resposta foi um tanto enigmática. Um dia, Pedro "seguiria" Jesus até a cruz (Jo 21:18, 19; 2 Pe 1:12-15) e, depois, até o céu. Diz a tradição que Pedro foi crucificado, mas pediu para ser colocado de cabeça para baixo, pois não se considerava digno de morrer da mesma forma que o Mestre.
Justamente quando Pedro começava a se sentir um herói, Jesus anunciou sua desventura. A mensagem não apenas surpreendeu Pedro, como também deixou os outros apóstolos estarrecidos. Afinal, se um homem valente como Pedro negaria o Senhor, que esperança haveria para o resto dos discípulos? Foi então que Jesus lhes deu uma mensagem para acalmar seu coração perturbado.
De acordo com Jesus, o céu é um lugar real. Não é uma ilusão religiosa, nem o fruto de uma mentalidade doentia e fantasiosa, mas sim o lugar onde Deus habita e onde Jesus está assentado à direita do Pai no dia de hoje. É descrito como um reino (2 Pe 1:11), uma herança (1 Pe 1:4), uma pátria e uma cidade (Hb 11:16) e um lar (Jo 14:2).
O termo Pai é usado quarenta e quatro vezes em João 13 a 17. O Filho de Deus diz que o céu é "a casa de meu Pai". É um "lar" para os filhos de Deus. Alguns anos atrás, um jornal de Londres realizou um concurso para encontrar a melhor definição de "lar". A sugestão vencedora foi: "Lar é o lugar onde somos mais bem tratados e onde mais nos queixamos". O poeta Robert Frost disse que lar é o lugar onde os moradores são obrigados a acolhê-lo quando você chega lá. Uma ótima definição!
O termo grego mone é traduzido por "casa", em João 14:2, e por "morada" em João 14:23. Significa apenas "cômodos, lugares de habitação", de modo que não se deve pensar em termos de grandes casas. É uma pena que alguns hinos sem base bíblica tenham perpetuado a ideia equivocada de que os cristãos fiéis vão morar em lindas mansões na glória, enquanto os cristãos menos consagrados terão de se contentar com casas pequenas ou mesmo com cabanas. Neste exato momento, Jesus Cristo está preparando lugares para todos os que creem de coração, e cada um desses lugares será maravilhoso. No tempo em que passou aqui na Terra, Jesus foi carpinteiro (Mc 6:3). Agora que voltou para a glória, está construindo uma Igreja na Terra e um lar para essa Igreja no céu.
João 14:3 promete claramente que Jesus voltará para buscar seu povo. Alguns chegarão ao céu passando pelo vale da sombra da morte, mas os que estiverem vivos quando Jesus voltar jamais verão a morte (Jo 11:25, 26). Serão transformados à semelhança de Cristo e irão para o céu (1 Ts 4:13-18).
Uma vez que o céu é a casa do Pai, deve ser um lugar de amor e alegria. Quando o apóstolo João tentou descrever o céu, por pouco não lhe faltaram símbolos e comparações (Ap 21 - 22)! Por fim, apresentou uma lista das coisas que não estarão lá: morte, tristeza, choro, dor, noite etc. Será um lar maravilhoso e desfrutaremos dele para sempre!
A pergunta de Tomé revelou seu desejo profundo de estar com Jesus (ver Jo 11:16), tornando necessário que soubesse para onde o Mestre iria e como chegar lá. O Senhor deixou claro que iria para junto do Pai e que ele era o único caminho para chegar ao Pai. O céu é um lugar real, um lugar de amor e um lugar exclusivo. Nem todos vão para o céu, apenas os que creem em Jesus Cristo (ver At 4:12; 2 Tm 2:4-6).
Jesus não se limita a ensinar o caminho ou a mostrar o caminho; ele é o caminho.
Na verdade, "o Caminho" é um dos primeiros nomes dados à fé cristã (At 9:2; 19:9, 23; 22:4; 24:14, 22). A declaração de Jesus: "ninguém vem ao Pai senão por mim" elimina qualquer outro caminho proposto para chegar ao céu, como boas obras, cerimônias religiosas, ofertas vultosas etc. Existe somente um caminho: Jesus Cristo.
De que maneira essa promessa de ir para o céu ajudaria a acalmar o coração perturbado dos discípulos? A resposta é expressada de modo bastante apropriado num hino escrito há vários anos por J. M Cray: "Quem se importa com a jornada quando a estrada conduz ao lar?" A certeza de um lar celestial no fim da estrada da vida nos permite suportar com alegria os obstáculos e batalhas ao longo do caminho. Essa certeza deu ânimo ao próprio Cristo, "o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz" (Hb 12:2). Paulo tinha essa verdade em mente quando escreveu: "Porque para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo presente não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós" (Rm 8:18).
Fonte: Comentário Warren W. Wiersbe

Introdução
A Igreja Messiânica Mundial prega que seu objetivo é construir o “Paraíso Terrestre”, criando e difundindo uma civilização religiosa que se desenvolva lado a lado com o progresso material. Argumentam que o “Paraíso Terrestre” foi anunciado e profetizado por Buda (o fundador do Budismo) e por Jesus Cristo. Para a Igreja Messiânica Mundial, esse paraíso é uma expressão que se refere ao mundo ideal, onde não existe doença, pobreza nem conflito. Conheça um pouco dessa seita através desta lição.

OBJETIVO
Fazer conhecida a origem da Igreja Messiânica Mundial;

1. Origem e história da Igreja Messiânica Mundial
A Igreja Messiânica Mundial foi fundada inicialmente com o nome “Kanon”, em Tóquio, Japão, em 1o de janeiro de 1935.

1.1. Fundador da Igreja Messiânica Mundial
O Fundador da Igreja Messiânica Mundial, Mokiti Okada, nasceu no dia 23 de dezembro de 1882, no bairro de Hashiba, na cidade de Tóquio, Japão, chamado pelos seus seguidores de “Meishu-Sama” (Senhor da Luz). Consta que Okada deu início a essa seita após ter recebido, em 15 de junho de 1931, no alto do Monte Nokoguiri, no Japão, revelação sobre Deus, o homem e o mundo. Essa revelação dizia que o homem só poderia alcançar a libertação através da purificação do espírito, que vem através do “Johrei” (ver item 2.1). Okada entendeu que seria o início da “Nova Era de Luz no Mundo Espiritual”. Com a morte de Okada em 1955, sua esposa conhecida pelo nome de “Nidai-Sama” (Segundo líder), assumiu a liderança da seita, vindo morrer em 1962, sendo substituída pela sua filha Itsuki Okada, conhecida pelo nome de “Kyoshu-Sama” (mestre que ensina a Luz).
Para os seguidores de Okada ele é "O Senhor da Luz”, colocando-o acima de Cristo. No entanto, este título pertence a Jesus, conforme registrou o Evangelista João, “Pois a verdadeira luz, que alumia a todo homem, estava chegando ao mundo” (Jo 1.9). O Salvador Jesus veio a este mundo como a verdadeira luz; e, nessa condição, a sua função iluminadora não teve começo e não terá fim, diferente do “simples mortal” chamado Mokiti Okada. Jesus, a verdadeira luz, é a fonte e a origem de toda a sabedoria, assim também a sabedoria que há nos homens se deriva Dele; o intelecto humano é apenas um raio do resplendor de Jesus; e a própria razão humana se origina de Deus. A luz que emana de Cristo, também transforma o homem segundo a Sua própria imagem (Rm 8.29), pois os discípulos de Jesus Cristo são moralmente aperfeiçoados, vindo a possuir o amor, a longanimidade, a bondade e a justiça juntamente com todas as qualidades morais (Gl 5.22,23). O alvo da salvação para a humanidade é a transformação do homem, segundo a imagem de Cristo, afim de vir a compartilhar de tudo quanto Ele tem, e de ser tudo quanto Ele é.

1.2. Livro Sagrado
Para a Igreja Messiânica Mundial as obras de Mokiti Okada, “Alicerce do Paraíso” e “Os Milagres do Johrei” e os ensinos de sua esposa, Nidai-Sama, são os livros considerados sagrados.

1.3. Igreja Messiânica Mundial no Brasil
A Igreja Messiânica Mundial chegou ao Brasil em 1955 e, em 1965, construiu seu primeiro templo. Conforme dados dessa seita, atualmente cerca de 3 milhões de pessoas, entre adeptos e simpatizantes, frequentam seus templos no Brasil. A Igreja Messiânica Mundial no Brasil é presidida por Hidenari Hayashi.

OBJETIVO
Combater a heresia das “Três Colunas da Salvação”, conforme ensino da Igreja Messiânica Mundial;

2. Igreja Messiânica Mundial e “As Três Colunas da Salvação”
Para atingir a salvação, a Igreja Messiânica Mundial ensina que existem três fundamentos, que devem ser praticados, a saber:

2.1. O Johrei
O Johrei é a prática mais importante neste tripé da salvação apresentado pela Igreja Messiânica Mundial. O Johrei é o ato de impor as mãos sobre uma pessoa, com o objetivo de eliminar as impurezas espirituais. Johrei é uma palavra criada por Mokiti Okada, com a junção de dois ideogramas da língua japonesa: “Joh”(purificar) e “Rei”(espírito). Assim ele pregava que esta é uma forma de canalizar com as mãos, a “intangível, infinita e poderosa energia” capaz de “purificar as impurezas do homem e possibilitar que ele se eleve espiritualmente para as camadas onde a Luz é intensa”. Para a Igreja Messiânica Mundial, essa “luz” é a fonte da saúde, da sabedoria e da felicidade. Esta heresia propõe então que simples mortais, usando suas próprias “energias interiores”, têm, em si mesmos, o poder de curar e libertar as pessoas. A Bíblia assevera que se Jesus “vos libertar, verdadeiramente sereis livres” (Jo 8.36).

2.2. Agricultura Natural
A Agricultura Natural que é difundida pela Igreja Messiânica Mundial é um método de Agricultura desenvolvido por Mokiti Okada, cujo objetivo é o cultivo natural de alimentos. Argumentam que a harmonia do meio-ambiente, com a alimentação e com a saúde do homem, trazem qualidade espiritual ao ser humano. Eles creem num sistema agrícola que consiste em cultivar os vegetais da maneira mais natural possível, rejeitando qualquer forma de cultivo que altere o solo. São contra a utilização de agrotóxicos (venenos), e até mesmo adubo de origem animal (esterco), pois todos esses elementos, que são predominantemente utilizados atualmente, segundo essa diretriz, retiram o verdadeiro e natural sabor dos alimentos, bem como prejudicam a saúde do homem, interferindo em sua vida espiritual. O erro dessa heresia está na afirmação de que os alimentos interferem na espiritualidade das pessoas. A recomendação do Apóstolo Paulo deixa bem claro: “Ninguém, pois, vos julgue pelo comer, ou pelo beber” (Cl 2.16).
Lógico que a saúde é fundamental para o homem, porém essa seita extrapola, confundindo responsabilidade para com o templo de Deus, o nosso corpo (ICo 3.17), com aspectos da salvação. Em Mateus 15.11 Jesus afirma: “Não é o que entra pela boca que contamina o homem; mas o que sai da boca, isso é o que o contamina”. Jesus mostra que o verdadeiro problema é a contaminação moral. Para Jesus, os princípios éticos que importam estão relacionados da seguinte forma: “Mas o que sai da boca procede do coração; e é isso o que contamina o homem. Porque do coração procedem os maus pensamentos, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias” (Mt 15.18,19). Nessa referência, Jesus lista comportamentos que o homem carnal possui, e que nenhum tipo de alimento vai transformá-lo.

2.3. O Belo
Mokiti Okada afirmava que a “consciência do Belo é o que de melhor existe para a elevação dos sentimentos humanos”. Para ele, a missão da arte é enobrecer os sentimentos do homem e enriquecer-lhe a vida, proporcionando-lhe alegria e sentido, interferindo diretamente na espiritualidade do homem. Okada criou museus no Japão, onde reuniu obras de elevado valor artístico e histórico. Realizava encontros de poesia, de humor e de música. Dedicou-se à difusão do Belo como fator essencial para a “salvação do homem”. A arte, o “belo” e a natureza devem ser admirados, mas nunca se deve confundir esta apreciação com a veneração no sentido de buscar neles a salvação (Jo 8.32).

OBJETIVO
Refutar as principais heresias da Igreja Messiânica Mundial.

3. A teologia da Igreja Messiânica Mundial
Seguidores da doutrina ecumênica pretendem ser uma religião universal, objetivando a união de todas as demais. Porém seus ensinos fundamentais estão distantes do que é ensinado pela Palavra de Deus. Veja alguns temas:

3.1. Deus
A doutrina da Igreja Messiânica Mundial mescla várias concepções em relação a Deus. Fazendo uma verdadeira confusão, apresentam Deus como criador, porém, um Deus que está distante de suas criaturas (doutrina deísta), e, em outros momentos, apresentam Deus fundido na sua própria criação (doutrina panteísta). São também politeístas, visto que têm e veneram um verdadeiro panteão: Deus, Jeová, Logos, Ikoto, Nyorai, Dahis, Tengu, Kannon e muitos outros. Em relação ao deísmo praticado pela Igreja Messiânica Mundial, a Bíblia apresenta um Deus que tem interesse pelas suas criaturas (Teísmo). Em textos como Genesis 3.9, temos o relato de Deus interagindo com Adão; em Genesis 6.13, Deus se comunica com Noé; em 1 Reis 17.2-6, há relatos de Deus cuidando do profeta Elias. Quanto ao ensino panteísta, as Escrituras Sagradas apresentam o Deus Criador distinto de Suas criaturas (Gn 1.1; SI 102.25). Em relação ao politeísmo, A Bíblia afirma categoricamente que “o Senhor é Deus; nenhum outro há senão Ele” (Dt 4.35).

3.2. Jesus Cristo
Para a Igreja Messiânica Mundial, Jesus é apresentado simplesmente como mais um que encontrou a felicidade através da prática das “colunas da salvação” (ver item 2). Para essa seita, Jesus Cristo não é aceito como o Messias; o messias para eles é o seu fundador Mokiti Okada. Ensinam que Okada está acima de Jesus, visto que, para eles, nem mesmo Jesus chegou ao estado de “kenshinjitsu”, como chegou Okada. Sendo assim, Okada é o único a ter tal grau de revelação. Para eles, o salvador deste mundo ou o messias desta seita é este ser humano chamado Okada. Okada, além de não obter a salvação pelos seus méritos, muito menos pode salvar a outros, como querem ensinar os adeptos da Igreja Messiânica Mundial. Okada, ao morrer, foi vencido pelo pecado, pois “o pecado veio a reinar na morte”. Mas Jesus Cristo Ressuscitado salva, pois, através dele, reina a graça pela justiça para a vida eterna (Rm 5.21).
Okada, com sua ufania, colocando-se acima de Deus, é reprovado pelas Escrituras Sagradas. Em Romanos 3.27, lemos: “Onde está logo a jactância? Foi excluída. Porque lei? Das obras? Não; mas pela lei da fé”. Este texto bíblico põe o homem em seu devido lugar, e também exalta a Deus ao lugar que Ele realmente ocupa. Extrai do homem seu complexo de divindade, aquela atitude que imagina ter: poder e majestade; e atribui essas qualidades à pessoa de Deus, a quem de fato pertencem tais atributos. As heresias de Okada iludem os seus seguidores, privando-os do verdadeiro messias: Jesus Cristo. Desde o Éden (Gn3.15), Deus prometeu levantar um o qual esmagaria a cabeça da serpente. O Messias era esperado, e veio: “Simeão o tomou em seus braços, e louvou a Deus, e disse: Agora, Senhor, despedes em paz o teu servo, segundo a tua palavra; pois os meus olhos já viram a tua salvação” (Lc 2.28-30).

3.3. A Salvação
Segundo a Igreja Messiânica Mundial, a salvação se dá no momento em que o ser humano se libertar das três desgraças: a pobreza, a doença e os conflitos. Ensinam que somente com a ajuda de Meishu-Sama, (lembrando que este é o nome religioso de Mokiti Okada), e com a prática das “três colunas da salvação (conforme detalhado no item 2 desta lição), o homem conquistará a salvação. A salvação proposta por Deus em Sua Palavra é mais que um estado isento das mazelas desta vida (ICo 15.19), é ter os pecados perdoados e ir morar eternamente com Cristo nos céus de glória.

Conclusão
A Igreja Messiânica Mundial tem, no espiritualismo e no altruísmo, as bases essenciais para a concretização do mundo ideal, isento de doença, pobreza e conflito, limitando a isto a salvação do ser humano. Porém a realidade da vida nesta terra é outra e, por essa razão, a salvação apresentada pela Bíblia Sagrada é mais que isto: é conduzir o homem para viver eternamente com Deus.

QUESTIONÁRIO

1. Qual o significado do nome espiritual do fundador da Igreja Messiânica Mundial, Meishu-Sama?
R. Senhor da Luz.
2. O que é o “Johrei”, utilizado na Igreja Messiânica Mundial?
R. O Johrei é o ato de impor as mãos sobre uma pessoa, com o objetivo de eliminar as impurezas espirituais.
3. O que Ensina a heresia do Deísmo?
R. Ensina que Deus está distante de suas criaturas.
4. A Bíblia revela ao homem um Deus Teísta ou um Deus Deísta?
R. Um Deus Teísta.
5. O que Jesus disse sobre a existência da pobreza no mundo, conforme Mt 26.11?
R. Os pobres, sempre os tendes convosco.

REFERÊCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

Editora Betel 1º Trimestre de 2014, ano 24 nº 90 – Jovens e Adultos - “Dominical” Professor – RELIGIÕES, SEITAS E HERESIAS como identificar e refutar os falsos profetas e seus ensinos.

4 comentários:

  1. Muito Obrigado pelo excelente trabalho da Revista EBD,Deus Abençoe a todos da Equipe,mais um final de Trimestre.

    ResponderExcluir
  2. Por mais que os homens tente melhorar não só a sua qualidade de vida, e ter um espirito altruísta, embora seja até um propósito de cunho divino, nunca o será completo na sua totalidade, se rejeitarmos o verdadeiro autor da vida; Jesus Cristo. Porque em Adão; Deus criou uma espécie, vinculado a ele (Adão); por consequência da queda do mesmo, herdamos então a natureza pecaminosa; dificultando então o relacionamento entre o Criador e suas criaturas; e devido a este fato, também dificultou o convívio terrestre, como diz a bíblia, no mundo tereis aflição; Antes da queda, o homem viveria no seu livre arbítrio, mesmo nesta terra por um tempo, sendo superior a força do mal, com intuito de faze-lo produzir e promover na sua voluntariedade as escolhas certas, ou seja, praticar o bem, mas após a queda, ficou mais penosa esta tarefa; porque o propósito de Deus para o ser humano, não era destrui-los e sim preserva-los para um dia o coroa-los na eternidade. Mas precisamos entender que o homem por si só e insuficientemente capaz de se salvar, se não for pelo caminho deixado por Deus ; Jesus Cristo, a verdadeira luz que ilumina todos os homens, alcançando assim o paraíso que está debaixo do trono de Deus, e não fazer aqui um paraíso terrestre, como também diz a palavra de Deus; que o mundo passa juntamente com suas concupiscências , mas aquele que faz a vontade de Deus, este sim estará com Ele na eternidade; porque todos morreram em Adão, mas também todos que aceitarem a Jesus serão vivificados, porque este mundo pode até oferecer momentos felizes de superação e satisfação, mas nunca poderá superar o direito de ser salvo definitivamente das mazelas terrenas e da força do pecado, através da salvação da nossa alma, por meio do sacrifício supremo de Jesus Cristo nosso Salvador.

    ResponderExcluir
  3. esses temas precisam ser mais e mais ensinados . parabéns a revista betel por brilhante ensinamentos.

    ResponderExcluir
  4. Para identificar alguns ensinos errados contidos nessa revista visite: http://estudodasescrituras.blogspot.com.br/2011/12/26-razoes-porque-ninguem-vai-morar-no.html

    ResponderExcluir

Feed

 

Online

Play