Pessoas que gostam deste blog

Lição 2 - Vencendo o medo da rejeição

Vencendo o medo da rejeição
Baixar/Slide

LIÇÃO 2 – 13 de abril de 2014 – Editora BETEL

Vencendo o medo da rejeição

TEXTO AUREO

“Então respondeu Moisés e disse: Mas eis que não me crerão, nem ouvirão a minha voz, porque dirão: O Senhor não te apareceu”. Êx 4.1

Comentarista: Pr. Israel Maia

VERDADE APLICADA

O medo da rejeição afeta a nossa tomada de decisão em relação à obra à qual fomos separados pelo Senhor.

OBJETIVOS DA LIÇÃO

Definir o que é medo da rejeição;
Mostrar o que pensa aquele que se acha rejeitado;
Apresentar como devemos nos comportar ante essa situação.

TEXTOS DE REFERÊNCIA

Ex 3.1 - E apascentava Moisés o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote em Midiã; e levou o rebanho atrás do deserto e veio ao monte de Deus, a Horebe.
Êx 3.2 - E apareceu-lhe o Anjo do Senhor em uma chama de fogo, no meio de uma sarça; e olhou, e eis que a sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia.
Êx 3.6 - Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó. E Moisés encobriu o seu rosto, porque temeu olhar para Deus.
Êx 3.11 - Então, Moisés disse a Deus: Quem sou eu, que vá a Faraó e tire do Egito os filhos de Israel?
Êx 4.10 - Então, disse Moisés ao Senhor: Ah! Senhor! Eu não sou homem eloquente, nem de ontem, nem de anteontem, nem ainda desde que tens falado ao teu servo; porque sou pesado de boca e pesado de língua.

O LIBERTADOR RECEBE SEU CHAMADO (Êx 3:1 - 4:17)
Moisés passou quarenta anos servindo como pastor em Midiã (At 7:23; Êx 7:7), e, durante aqueles dias e noites no campo, sem dúvida meditou sobre as coisas de Deus e orou por seu povo que sofria no Egito. O fato de Deus chamar pessoas ocupadas é significativo: Gideão estava malhando trigo no lagar (Jz 6); Samuel estava servindo no tabernáculo (1 Sm 3); Davi estava cuidando de ovelhas (1 Sm 17:20); Eliseu estava arando a terra (1 Rs 19:19-21); quatro dos apóstolos estavam cuidando de sua pescaria (Mc 1:16-20); Mateus estava coletando impostos (Mt 9:9). Deus não tem nada de bom a dizer sobre a preguiça (Pv 24:30-34; Mt 25:26, 27; 2 Ts 3:10-12).
O que Moisés viu (w. 1-4).
Deus pode tomar um arbusto insignificante, fazê-lo arder e transformá-lo num milagre; era exatamente isso o que desejava fazer com Moisés. Alguns veem na sarça ardente uma imagem de Israel como nação - a luz de Deus para o mundo, perseguidos porém não consumidos. No entanto, a sarça ardente também era um retrato do que Deus havia planejado para Moisés: ele era um frágil arbusto, mas Deus era o fogo que lhe daria poder (Êx 19:18; 24:17; Dt 4:24; Jz 13:20; Hb 12:29); com a ajuda de Deus, não havia nada que Moisés não pudesse fazer.
O que Moisés ouviu (vv. 5-70).
Deus falou com Moisés e garantiu-lhe que era o Deus de seus pais e que sentia o sofrimento dos hebreus no Egito. Havia chegado a hora de libertá-los de lá e de conduzi-los à terra prometida. Para isso, havia escolhido Moisés como líder.13 A declaração de Deus: "Vem, agora, e eu te enviarei" deve ter deixado Moisés estarrecido. Por que Deus escolheria um fracassado?
O que Moisés fez (3:11 - 4:17).
Moisés deveria ter se regozijado, pois Deus estava, finalmente, respondendo às suas orações, e deveria ter se submetido à vontade de Deus e dito: "Eis me aqui, envia-me a mim". Mas, em vez disso, discutiu com Deus e tentou escapar do chamado divino para libertar Israel da escravidão. Quarenta anos antes, ainda no Egito, Moisés tinha agido como um cavalo impetuoso e corrido na frente de Deus, mas agora estava agindo como uma mula obstinada, resistindo ao Senhor (SI 32:9). Moisés apresentou cinco motivos para não aceitar o chamado de Deus:
(1) "Não sou ninguém" (3:11, 12).
Não importava o que Moisés pensava sobre si mesmo ou o que os outros achavam dele. Deus havia falado e Moisés não precisava de nenhuma outra garantia de que era o homem certo para aquela missão. Será que os quarenta anos pastoreando ovelhas haviam apagado o fogo de sua alma a ponto de crer que não podia servir ao Senhor? "Eu serei contigo." Essa é toda a segurança de que precisam os servos de Deus a fim de ser bem-sucedidos (Js 1:5; Is 41:10; 43:5).
(2) "Não sei o teu nome" (w. 13-22).
Como representante de Deus, era necessário que Moisés fosse capaz de revelar o caráter do Senhor ao povo judeu. É claro que o nome "Jeová" havia sido revelado há séculos (Gn 4:26) e era conhecido pelos patriarcas (Gn 14:22; 15:1; 25:21, 22; 28:13; 49:18). O que Moisés perguntou foi: "O que significa seu nome? Que tipo de Deus o Senhor é?" Deus explicou que Jeová é um nome dinâmico, baseado no verbo hebraico "ser" ou "tornar-se". Ele é o Ser de existência própria que sempre foi, é e será o Deus fiel e confiável, que se chama de "EU SOU".  
Séculos depois, Jesus tomaria para si o nome "EU SOU" e o completaria: "Eu sou o pão da vida" (Jo 6:35), "Eu sou a luz do mundo" (Jo 8:12), "Eu sou a videira verdadeira" (Jo 15:1), e assim por diante.
O Deus eterno sabe, desde o princípio, como será o fim de todas as coisas, de modo que pôde dizer a Moisés exatamente o que aconteceria quando ele voltasse para o Egito (Êx 3:16-22). Os anciãos de Israel aceitariam Moisés como seu líder e creriam que Deus estava prestes a libertá-los. O rei do Egito resistiria à mensagem de Deus e sofreria julgamento terrível nas mãos do Senhor. O povo de Israel seria liberto daquela terra e levaria consigo espólios do Egito, recebendo, assim, o pagamento que lhes havia sido sonegado durante seus anos de escravidão.
(3) "Os anciãos não crerão em mim" (4:1-9).
"Eles não crerão", na verdade, significa "Eu não creio". Moisés estava preocupado com suas credenciais diante dos anciãos hebreus, de modo que Deus deu-lhe três sinais para convencê-los de que era verdadeiramente o servo escolhido de Deus. "Os judeus pedem sinais" (1 Co 1:22). Daquele momento em diante, Moisés experimentaria o poder de Deus e faria milagres.
(4) "Não sou um orador eloquente" (w. 10-12).
Moisés não chegou nem perto de entender a mensagem sobre o nome de Deus e o poder miraculoso do Senhor. "EU SOU" é tudo de que precisamos em todas as circunstâncias da vida, e não faz sentido algum argumentar: "eu não sou". Se Deus pode transformar varas em serpentes e serpentes em varas, se pode curar a lepra e transformar água em sangue, então pode capacitar Moisés a transmitir sua Palavra com poder.
Moisés estava cometendo o erro de olhar para si mesmo em vez de olhar para Deus (Êx 6:12). O Deus que nos fez é capaz de usar os dons e aptidões que nos concedeu a fim de realizar a tarefa da qual nos incumbiu.
Moisés demonstrou uma atitude de orgulho ou de verdadeira humildade? Quarenta anos antes, ele se sentido perfeitamente adequado para enfrentar o inimigo e agir em favor de seu povo, mas, naquele momento, retraía-se, considerando-se um fracassado inútil. Contudo, ser humilde não significa fazer pouco de si mesmo; quer dizer, simplesmente, não pensar em si mesmo, mas sim fazer com que Deus seja tudo em nossa vida. O servo humilde pensa apenas na vontade e na glória de Deus e não em sua própria inadequação, sucesso ou fracasso. Moisés estava vestindo seu orgulho e incredulidade com uma confissão superficial de fraqueza.
(5) "Qualquer outra pessoa pode fazer melhor" (vv. 13-17).
"Ah! Senhor! Envia aquele que hás de enviar, menos a mim" (v. 13). Moisés chama Deus de "Senhor" e, no entanto, recusa-se a obedecer a suas ordens (Lc 6:46; At 10:14). A maioria de nós entende essa atitude, pois cometemos o mesmo erro. Se Deus não for Senhor de tudo, então não poderá ser chamado de Senhor.
Em sua ira, Deus nomeou Arão para ser porta-voz de Moisés, mas Arão nem sempre foi uma ajuda para seu irmão. Foi Arão quem cooperou com o povo para fazer o bezerro de ouro (Êx 32), e Arão juntamente com a irmã, Miriã, criticaram Moisés e sua esposa e causaram problemas para todo o acampamento dos israelitas (Nm 12). Êxodo 4:14 sugere que, ao aceitar Arão, Moisés estava confundindo os ministérios do Antigo Testamento, pois Arão deveria ser o sacerdote e Moisés o profeta. Quando Deus, em sua ira, nos dá aquilo que pedimos por causa de nosso egoísmo, essa dádiva dificilmente vem a ser uma bênção (Nm 11:33; Os 13:11). Um dos julgamentos mais dolorosos que Deus manda sobre seu povo é deixá-lo conseguir o que quer.
Acontecimentos subsequentes mostraram que Moisés era capaz de proferir as palavras de Deus com grande poder, tanto para seu próprio povo como para o rei do Egito. À medida que a história de Israel se desenrola, vemos Moisés comunicando mensagens eloquentes pelo poder do Senhor. O Livro de Deuteronômio registra seu magnífico discurso de despedida.
A lição é clara: Deus nos conhece melhor do que nós mesmos, de modo que devemos confiar nele e obedecer a suas ordens. Quando compartilhamos nossas fraquezas com Deus, não estamos lhe contando nada que ele já não saiba (Jz 6:1 5; 1 Sm 9:21; Jr 1:6). A vontade de Deus jamais nos conduzirá a um lugar em que não seja possível o poder de Deus nos capacitar, portanto caminhe pela fé, confiando nas promessas do Senhor.
Fonte: Comentário Warren W. Wiersbe

Introdução
É muito fácil encontrarmos, no meio do povo de Deus, pessoas que receberam um chamado especial e, ainda assim, sentem-se incapazes de realizá-lo. O caso de Moisés nos leva a enxergar como essas pessoas se deixam levar por um sentimento negativo que acaba por impossibilitá-los de fazer o que o Senhor espera deles.

OBJETIVO
Definir o que é medo da rejeição;

1. O pensamento de Deus
Ao se apresentar a Moisés o Senhor já tinha em mente como iria agir em favor de seu povo. É fato e todos nós sabemos que Deus é ó Todo Poderoso e é capaz de realizar qualquer coisa, porém em muitas passagens bíblicas, vemos o Todo Poderoso se utilizando de mãos humanas para realizar a sua obra. Por exemplo em ISm 17.46, fica clara a intenção do Senhor que poderia ter matado o gigante, mas preferiu se fazer presente através da capacitação fornecida por Ele a Davi (1 Sm 17.40).

1.1. É Deus quem escolhe a quem usar
Quando o Senhor apareceu a Moisés como fogo na sarça, já tinha todo o seu projeto traçado, e, como não há dúvida em Deus, Ele sabia que Moisés era o homem certo para o serviço, contudo, durante o seu diálogo com Jeová, Moisés apresenta alguns motivos que podem ser comparados com sintomas de medo da rejeição. Todo preparo recebido por ele na casa de Faraó fazia dele o indivíduo ideal para realização do projeto de Deus, contudo nele estava instalado o que se chama de medo patológico (Êx 3.11).
Nem sempre o Senhor chama os capacitados, pois a Ele pertence o poder de capacitar o homem para realização de sua abra (Êx 35.30-31), entretanto, no caso de Moisés, o Senhor já o tinha separado desde a sua meninice, visto que o salvara de Faraó (Êx 2.3-4). Todos os acontecimentos que se seguiram na vida de Moisés estavam debaixo da supervisão Divina.

1.2. A excelência de Moisés
Os anos que Moisés passou na casa de Faraó, fizeram dele um homem extremamente preparado para qualquer tipo de trabalho (At 7.22) que ele precisasse desempenhar, todavia o fato de ter sido criado como príncipe se tornou num possível impedimento para realização daquilo que era o verdadeiro projeto de Deus para sua vida: a formação recebida que o tornava conhecedor de toda ciência do Egito tinha sido fornecida com o objetivo de fazer dele o futuro Faraó. No caso de Moisés, Deus permitiu que ele cometesse um desatino (Êx 2.12), para que fosse afastado dos planos dos egípcios e trazido de volta para o centro da sua vontade.

1.3. O aperfeiçoamento de Moisés
Apesar de todo preparo de que dispunha, Moisés ainda não tinha sido provado por Deus, ou seja, era preciso que ele conhecesse o que é viver inteiramente debaixo da vontade do Criador (Fp 4.12), sendo assim, torna-se pastor de ovelhas (Êx 3.1) e passa a ter conhecimento do que é ser um cuidador de vidas, um protetor e também um guia para os que não conhecem o caminho a ser seguido (Êx 14.21-22).
Como sabemos, as ovelhas têm algumas características que as tornam vulneráveis, dentre tantas estão: a incapacidade de distinguir entre a boa e a má erva, o que muitas vezes leva algumas à morte por comerem ervas venenosas. Moisés, ao ser levado por Deus a cuidar de ovelhas, pôde aprender que esses animais também são extremamente teimosos e, em alguns casos, precisam ter uma de suas patas quebradas para não fugir à vontade de seu pastor. Quando vemos, em uma ilustração antiga, um pastor carregando uma ovelhinha no colo, logo pensamos que ela é a mais adorada pelo pastor, mas, de fato, pode ser ela a mais teimosa e fujona, que se afasta do grupo constantemente, colocando em risco sua vida, por isso o pastor quebra-lhe a pata e passa a carregá-la no colo, dando-lhe um nome para que, quando ele a chamar, identifique a sua voz e volte imediatamente para o rebanho.

OBJETIVO
Mostrar o que pensa aquele que se acha rejeitado;

2. Moisés e o medo da rejeição
Como já vimos, havia, em Moisés, tudo o que era necessário para que ele pudesse servir a Deus. Tinha o conhecimento secular adquirido na casa de Faraó e agora também tinha sido preparado pelo Senhor enquanto no trato com as ovelhas. Ao contrário do que era de esperar-se dele, ao invés de aceitar imediatamente o chamado, negou usando diversos motivos, que ele considerava impedimentos, para realização do projeto divino (Êx 3.11; 4.10).

2.1. Não vão acreditar que Jeová falou comigo
Quando o homem é separado para uma obra ele é separado primeiramente por Deus; em seguida, a ação do Espírito Santo, através da vida de cada um, é que vai mostrar aos outros homens que Deus está agindo e que ele é realmente um escolhido do Senhor. Muitos que são chamados perdem a oportunidade de serem reconhecidos por sentirem-se ameaçados e com medo de não serem aceitos como foi o caso de Moisés (Êx 4.1).
É importante ressaltar que existem situações em que algumas pessoas usam de artifícios na busca pela aceitação. Nesses casos, fica a cargo do Espírito Santo revelar a verdadeira intenção de cada um e fazer o que for necessário para que eles sejam cobrados pelos seus atos (At 5.1-10).

2.2. O resultado do medo da rejeição
O medo da rejeição também pode levar o indivíduo a duvidar da ação divina, tornando mais difícil a sua caminhada na presença do Criador. Não é raro nos depararmos com pessoas, que, mesmo depois de terem uma experiência íntima e pessoal com Deus, ainda duvidem de Sua atuação (lRs 18.36-39 e 2Rs 19:1-4).

2.3. O risco do medo da rejeição
É natural, em quem ainda não está totalmente liberto de seus medos, ter esse tipo de atitude e negar a capacidade de Deus em fornecer a solução para todos os problemas. O perigo disso está no risco, da pessoa, com essa atitude, afastar-se da presença do Senhor, levando-o a um completo esfriamento espiritual e consequentemente à perda da salvação.

OBJETIVO
Apresentar como devemos nos comportar ante essa situação.

3. Vencendo o medo da rejeição
O medo da rejeição também é conhecido como fobia social, essa fobia se caracteriza pelo medo, ou até mesmo horror, que a pessoa tem de apresentar-se em público. Em alguns casos, evoluem ao ponto de tornar a pessoa completamente incapaz de comunicar-se, mesmo que seja excelente naquilo para o que foi chamada a fazer. Diante de tudo que já estudamos nesta lição, podemos agora observar que a atitude de Moisés, embora tivesse muitos motivos para não a tomar, foi a de aceitar o mandamento do Senhor, uma vez que ele pôde ver as maravilhas feitas pelo Todo Poderoso (Êx 4.3-7). A Bíblia ainda nos fornece um grande exemplo de vitória sobre o medo dá rejeição quando nos fala acerca de Zaqueu, que deu passos importantes em direção àquilo que via como excencial para uma vida feliz (Lc 19).

3.1. O medo da rejeição dificulta o encontro com o Senhor
Quem sofre de medo de rejeição apresenta um impressionante excesso de desconforto quando observado por pessoas, ou ainda, por única pessoa em eventos sociais ou quando dependam de seu desempenho (Mt 25.18,25). Esse estado emocional se apresenta também com sintomas físicos, tais como: taquicardia, sudorese, boca seca, sensação de que vai desmaiar, pânico, confusão mental, gagueira entre outros. Em seu diálogo com Jeová, Moisés apresenta um desses sintomas como desculpa para não atender o chamado de Deus “não sou eloquente, pesado de boca e pesado de língua” (Êx 4.10). Diferente de Moisés o primeiro passo dado por Zaqueu foi ir ao encontro do Senhor, pois sabia que, mesmo com tudo que o povo tinha contra si, (Lc 19.2), Jesus jamais o rejeitaria. Ali estava quem realmente pode nos livrar de todo tipo de sentimento negativo (Mt 11.28). Ao saber da passagem de Cristo por Jericó, Zaqueu não pensou duas vezes, foi ter com o Mestre, venceu a sua deficiência física e procurou se apresentar a Ele (Lc 19.1-4).
Alguns teólogos afirmam que o pesado de boca e de língua a que se referiu Moisés (Êx 4.10) seria o fato de ele ser gago, já outros apresentam a possibilidade de, na verdade, ele ter dificuldade em falar a língua pátria, uma vez que há muito teria perdido o contato com sua língua nativa. Tais dificuldades podem também, ter-se originado pelo desconhecimento das mudanças sofridas na linguagem ao longo dos anos que ele estivera ausente, como por exemplo, novas expressões idiomáticas e neologismos que naturalmente surgem no vocabulário cotidiano.

3.2. Aceitar o convite do Senhor será benéfico
As prováveis causas da fobia social são medo da exposição, que, no caso de Moisés, pode ser explicado pelo fato de ele ser um fugitivo por assassinato. E a crítica? Essa ele temia por achar que os seus irmãos o desprezariam, visto que ele os havia abandonado como escravos quando poderia ter tentado livrá-los daquela situação. Rejeição por pensar que o povo hebreu pudesse se levantar contra ele por apresentar-se como um enviado do Senhor e ainda a depreciação por aquilo que ele mesmo reconhecia como uma dificuldade real, isto é, o manejo da língua ou idioma. Já Zaqueu, mesmo conhecendo que havia muitas pessoas que sentiam uma grande repulsa por ele, não se deixou levar por qualquer tipo de medo da rejeição que se pudesse fazer presente em sua alma, pelo contrário, desceu da árvore e recebeu a Jesus com um abraço, sabendo que, a partir daquele instante, as coisas começariam mudar em sua vida. Quando recebemos o Senhor, tornamo-nos participantes do seu amor e sentimos que o verdadeiro amor lança fora todo medo (Hb 2.15), assim sendo, somos revigorados para qualquer projeto que Deus tenha para nossa vida (lJo 4.18). No amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor tem consigo a pena, assim o que teme não é perfeito em amor.

3.3. Buscar tratamento para medo de rejeição e reconhecer sua necessidade
A ciência tem-se utilizado de diversas técnicas para o tratamento do medo da rejeição através de medicamentos que amenizam os sintomas da ansiedade. Esses medicamentos devem ser indicados unicamente por médicos e devem obedecer à individualidade de cada paciente. Existem também tratamentos com acompanhamento de psicólogos que atuam com a técnica conhecida como cognitiva comportamental. O remédio, para Zaqueu experimentar o gozo que é estar na presença do Senhor, foi a sua decisão de abrir mão daquilo que ele considerava como o mais importante em sua vida (Lc 19.8), pois havia descoberto algo de maior valor. A palavra de Jesus deu a certeza que esperava (Lc 19.9-10). Nenhum medo é motivo para que o homem abra mão das bênçãos do Senhor em sua vida.
O tratamento feito paralelamente com uso do medicamento e acompanhamento terapêutico aumenta, em muito, a possibilidade de melhora para quem sofre com os sintomas do medo de rejeição.

Conclusão
Nosso estudo nos leva a descobrir que não é difícil alguém com tanta importância para Deus, como Moisés, ficar preso em seus medos. Todavia também descobrirmos que se entregarmos a Ele nossa vida inteiramente, ao exemplo de Zaqueu, estaremos livre de qualquer tipo de medo que possa tentar nos assombrar (Hb 2.15). Contar com ajuda de profissionais especializados pode fazer a diferença na hora da tomada de decisão.

QUESTIONÁRIO

1. Todos nós sabemos que Deus é o Todo Poderoso. O que Ele é capaz de realizar?
R. Qualquer coisa.
2. O que capacitava Moisés para o serviço do Senhor?
R. O conhecimento adquirido na casa de Faraó e o preparo dado pelo Senhor no trato com as ovelhas.
3. Como também é chamado o medo da rejeição?
R. Fobia social
4. Qual foi o primeiro passo dado por Zaqueu?
R. Ir ao encontro do Senhor.
5. O que Zaqueu tinha como importante em sua vida?
R. O seu dinheiro.

REFERÊCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
Editora Betel 2º Trimestre de 2014, ano 24 nº 91 – Jovens e Adultos - “Dominical” Professor – ENFERMIDADES DA ALMA Identificando os distúrbios emocionais e confrontando-os com soluções divinas e bíblicas


43 comentários:

  1. A Paz a todos,
    considerações iniciais a respeito da lição 02.
    Primeiramente, acredito que as desculpas de Moisés para sua incapacidade eram justamente as razões que levaram Deus a escolhê-lo para aquela missão. Quando o Senhor responde que foi Ele quem criou a boca do homem subentende que ele, Deus, poderia conceder eloquência a Moisés.
    A pergunta é, sentir-se inadequado para uma tarefa a fazer é um defeito que precise necessariamente de medicação ou de terapia?
    Reconhecer a própria incapacidade nos liberta da autoconfiança, que Deus pode usar-nos para Sua Glória.
    Vamos aos exemplos análogos, penso eu:
    1º Isaías esquivou-se da chamada de Deus, considerando seus lábios "impuros", indignos de falar em nome do Senhor (Isaías 6.5);
    2º Amós não era profeta mas um simples boiadeiro (Amós 7.14) que Deus usou para pronunciar julgamento contra as nações;
    3º O ponto de transformação na vida de Jó veio quando ele finalmente se abominou (Jó 42.6) então somente Deus pode restaurá-lo;
    4º Gideão considerou-se incapaz sua família pobre e ele mesmo "o menor da casa de meu pai" (Juízes 6.15), mas aprendeu a confiar em Deus e tornou-se um dos maiores libertadores de Israel.
    Agora voltemos ao caso de Moisés.
    Bem, A resposta de Deus a Moisés deveria trazer coragem a todos que se sentem inferiores: "Eu serei contigo!" (Êxodo 3.12).Escolheu o homem mais manso da terra (Números 12.3), para confrontar o mais poderoso imperador do mundo no seu próprio palácio e libertar seu povo para que Deus, e não o homem, tivesse a glória. Assim pode acontecer com todos que admitem sua própria incapacidade e indignidade, e depois, ao invés de ficarem gemendo em auto-depreciação ou tentando vencer a "inferioridade" por métodos PSICOTERAPEUTICOS, voltam-se de si mesmos para Deus e em sua fraqueza descansam na força de Deus. Paulo se gloriava nas suas fraquezas (2 Coríntios 12.9-10).
    Auto-estima é soberba, ok. Neste caso, o subitem 3.1 da revista está incorreto ao meu ver. Esse suposto "medo" de Moisés fez foi aproximar O senhor, dele. Curioso foi a atitude inversa de Arão, o que não significou obediência a Deus posteriormente quando permitiu a adoração do Bezerro de ouro (Êxodo 32).

    Segundo comentário:
    Não vejo bem a comparação de Moisés com Zaqueu em termos de rejeição ao medo; estranha comparação.
    A conversão de Zaqueu foi um cumprimento do exato propósito da vinda de Cristo ao mundo. O ato de fé de Zaqueu não passou desapercebido de Cristo que imediatamente após subir na árvore, o próprio Jesus "convidou-se" a si mesmo a um lar. Como diz Êxodo 3.1, Moisés apascentava rebanho quando Deus vai falar com ele. Zaqueu era cobrador de impostos quando da chegada de Cristo. O primeiro se esvaziou e o segundo não demonstrou ato de mais coragem vamos dizer assim, mas uma vontade de conhecer a Cristo que resultou em conversão.

    IRONICAMENTE, estava a pouco refletindo; lembram irmãos, próximo da sua execução (2 Timóteo 4.1-8), Paulo exorta a Timóteo para que o mesmo defendesse a Palavra das distorções e que preço isso custaria, como um ministro deveria ter OUSADIA DE NÃO IGNORAR. 2 Timóteo 1.13, Paulo havia dito a Timóteo "mantém o padrão das sãs palavras que de mim ouviste!" Ele falava das palavras reveladas nas escrituras, todas elas. Pois é, se Deus manda-nos defender a sã doutrina, suponha que tenha que corrigir em um culto de domingo à noite, heresias diversas ou mesmo de erros de uma revista de escola dominical. Diria para Deus que não é capaz ou em nome da "ética" ficaria omisso?

    voltando ao assunto, no item 3.3 o autor da revista coloca como opção para tratamento, opinião dele repito, a técnica conhecida por Cognitiva Comportamental. Pesquisem na semana sobre essa técnica e depois opinem.

    Boa semana a todos,
    Paz do Senhor

    ResponderExcluir
  2. Em tempo,
    Com respeito ai subitem 3.2.
    Caim teve fobia social após matar Abel ao sair errante?
    Será que Moisés enterrou o egípcio morto apenas com o receio de faraó descobrir e receber sanções?
    A consciência de Romanos 2.14,15, o senso, foi colocado em todos os homens. A "fobia social" é oriunda neste caso, do erro acusado na consciência de Moisés ou tão somente do medo de ser morto por Faraó? Hoje um assassino mata e se esconde pelo simples fato de ser preso?
    Na conclusão da revista da lição 02, repito novamente como a lição 01, é adequado um profissional especializado "encorajar" decisões em substituição do Espírito Santo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que entendo sobre o medo! Bom, tendo como base na palavra de Deus; analizando estes versiculos abaixo: 1 . Isaías não esquivou no literal, e baseado nas condições que vivia, achou que não era merecedor para executar tal tarefa, tornando-o assim o Profeta messiânico, (Isaías 6.5); 2. Amós por ser boaideiro precisou ser capacitado, para realizar a tarefa de ser Juíz das nações, mediante a aceitação de si próprio, para assim realizá-la com exito, (Amós 7.14). 3. A transformação de Jó não foi quando venceu a prova, no seu climax definitivo, e sim quando Deus o testificara dele para o inimigo, coisa que ele vinha já fazendo antes, revelando assim a sua transformação, de forma que já tinha um compromisso com o Senhor antes de ser provado; embora não está registrado a sua deficiência condicional , mas antes disso tudo, já a tinha; não nasceu santo, porque também era pecador; e achou por bem que necessitava de ingressar nos propósitos de Deus, que certamente o fez no seu passado (Jó 42.6); 4. Gideão considerou incapaz sim, mediante a responsabilidade que Deus outorgara de ser libertador de Israel, diante dos Medianitas; para que assim a plenitude da soberania de Deus se manifestasse nele para tal tarefa; tanto é que ele fez prova de Deus, confirmando o se chamado; para assim estar disposto, e com segurança fazer. (Juízes 6.15). Bom! em miudos então o medo é, um freio que impede nós avançar para algo destinado e projetado; porque é um sentimento de deficiência humana, e não uma criação de Deus. Porque Deus sempre oferecerá meios, para que o seres humanos passe a ser reconciliados com Ele; através de atitudes expressivas, ou seja, vindo de verdade do coração do homem; Uma coisa é; reconhecer a soberania de Deus; e outra coisa é preservar o direito de escolha dos seres humanos; respeitando-os, afim de querer usufruir destes meios que assim Deus oferece; ou seja, aceitar o querer de DELE; porque nesta área Deus não interfere; não porque, não tenha poder; mas sim respeita o seu próprio poder, que é a sua Palavra; porque fez o homem no seu livre arbitirio, ou seja, dando ao homem atonomia de escolher e decidir.

      OBS. Vence-se o medo pela fé, pois a mesma promove sabedoria; então nos fará agir de forma correta e produtiva, e com propósitos definidos; glorificando assim nome do Senhor, e não tentando-o, como alguns fazem.

      Meu irmão estes comentarios seus, tem enriquecido meus conhecimento; aí esta a razão do aprendizado, é despertar o nosso raciocínio. Deus te abençõe grandemente; e espero que estes meus comentarios o ajude também; para a glória do nome do Senhor.



      Excluir
  3. Em outras palavras Robson Leite, percebe que nenhum deles apresentava a famosa autoestima, amor-próprio ou algo parecido. Parece que esta terminologia contraria esses esvaziamentos vamos dizer assim. O irmão propõe a "fé", o autor da revista propõe a "técnica Cognitiva Comportamental".
    Vamos seguindo, perfeita observação
    paz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desenvolvo em minha concepção uma diretriz, baseado nos conceitos de Deus em sua essência Divina, segue-se em lhe dizer que: Deus é poder, e o poder do homem é a fé, embora sendo uma dádiva de Deus, precisa urgentemente ser ativada pelo próprio homem, a medida que este assim passa a crer; Algumas pessoas não tem este privilégio; devido seus graves problemas psicossomáticos, pois agem até de forma simplista, ou seja, sem muita noção de sua existência, e suponho que suas reações não sejam propriamente dito como pecados; pois estão até em estado de inocência; e isto é avaliado em sua preservação, como uma conceituação de fé, ou seja , promovem ações simplista, devido a sua anormalidade; por onde certamente também alcançarão a misericórdia de Deus; que é infinita; deixo um versículo para meditar; E ali haverá uma estrada, um caminho, que se chamará o caminho santo; o imundo não passará por ele, mas será para aqueles; os caminhantes, até mesmo os loucos, não errarão; Isaías cap. 35 vers. 8. Mas os que não são simplista, precisam ativar a fé dentro de si; levando-o a confirmar o propósitos de sua existência; tendo força suficiente para assim vencer as moléstias da alma num todo; pois isso será descoberto dentro de cada ser; através do poder da escolhas e decisões; deixo um versículo para melhor compreensão: Mas aquele que tem dúvidas, se come está condenado, porque não come por fé; e tudo o que não é de fé é pecado. Romanos cap. 14 vers. 23; ou seja, em outras palavras; tudo que não estiver na Esfera Espiritual; dificultará então a vivência humanitária; ou seja, não alcançará satisfação na vida; que por sua vez, é oferecida por Deus, abundantemente; por meio de seu Filho Jesus Cristo; embora não ficaremos sem aflição na sua totalidade, mas o importante é guardar a Fé; Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. 2 Timóteo cap. 4 vers. 7. Qual é a vitória que vence o mundo, senão for pela nossa Fé; 1 João cap. 5 vers. 4. A paz do Senhor!

      Excluir
  4. "Se um dia a humanidade inteira voltar para Deus, Ele não faltará. Mas enquanto isso não acoNtecer, temos que parar de perguntar pôr que é que Deus não evita o mal que nós mesmos insistimos em praticar." (Kathleen Norirs)

    John Bunyan, um pregador batista, viúvo e pai de quatro filhos, durante doze anos foi encarcerado na Inglaterra por pregar o evangelho. De consciência limpa, assistia todos os dias durante as visitas de uma de suas filhas tornando-se cega. PERMANECEU FIRME ATÉ SUA LIBERDADE EM 1762. Foi licenciado pastor da igreja em Bedford, devido a declaração de indulgência religiosa. Famoso pela obra "Peregrino", conhecido de nós todos, passou tormentos sem uma psicoterapia ou fluxetina disponíveis.e um último sermão registrado me chamou a atenção: "vivam como filhos de Deus, para que possam olhar seu Pai no rosto, com segurança mais um dia" Escreveu vários livros além do Peregrino, e seu sofrimento confirmou -o seu chamado.

    Voltemos a um ponto que o comentarista da revista Betel deixou passar. Estamos sim, condicionados até a última lição da revista ebd, a questionar a exposição do que é doença a luz da psicanálise e confrontar com os posicionamentos bíblicos inclusive nas soluções. Agora abramos nossas bíblias em Gálatas 5.16-22. A paciência é necessária para entrar no reinoe como a adquirimos? em provações, em luats diárias devido o amor ao evangelho? Será que Deus não permetiria um doente mental (orgânicamente falando) no seio de uma família a fim de trabalhar a santidade em todos os membros dessa? Será que as supostas doenças de depressão e outras, não forcem nós a pregar sobre o pecado e salvação a entes queridos "acometidos"?
    John Bunyan não produziria pela graça tamanha obra do livro Peregrino não estivesse preso e vendo sua filha amada ser consumida pela cagueira e não poder fazer nada?????????? Preferimosentender o comportamento humano através de um ateu que odiava claramente e publicamente a seu pai e suas teorias anti-cristãs?
    vamos seguindo

    ResponderExcluir
  5. O que penso sobre o sofrimento humano; só terá o seu fim, mediante o cumprimento dos desígnios estabelecidos por Deus; o sofrimento aí então se findará; esta seria a resposta. Coisa que na verdade não estava nos propósitos de Deus; não o digo que o pegou de surpresa, Ele é oniciênte; creio que entendeu; nesse meio aconteceu a queda do homem. Bom! sobre o sofrimento humano eu o coloco em dois ângulos; e sei que já estava na concepção de Deus pela sua oniciencia, utiliza-los para o bem de cada ser, afim de promover aperfeiçoamento dos seus, com o implante do seu Espírito na sua plenitude; no interior humano; Meditar em: Romanos cap. 8 vers. 28. Primeiro Ângulo do sofrimento, é o sofrimento fisico, este por sua vez, é um tanto influente, mas não indestrutivel no sentido espiritual e sim no sentido fisico; pois dependendo da gravidade pode comprometer também o interior de cada ser. Quem na verdade gosta de estar doente? gerando então na verdade a tristeza? a não ser que seja masoquista? coisa que não é isso que Deus quer passar para nós; mas o remedio é crer, na cura; se crermos veremos a glória de Deus; o fato de não sermos curado, não nos limitará em relacionamento para com Deus, a não ser se ausentarmos da fé, pois sem Fé é impossível agradá-lo. Segundo Ângulo é o sofrimento da alma; este por sua vez é comprometedor ao extremo, pois além de matar o corpo, também pode matar a alma, retirando-o desta vida, e o colocando-o na eternidade; tanto o primeiro e o segundo teve a mesma procedencia, ou seja, o pecado; que na verdade só será vencido com Armas Espirituais; Deus como já disse no versículo acima, é capaz, mesmo nas deficiencias humanas, tirar bom resultados para o homem; para assim faze-lo levantar forte no seu Espírito; rompendo assim os portais da morte; pois se crermos ainda que estivermos mortos viveremos, pois desfrutaremos no seu Espirito Santo; sua comunhão eficaz até então; Deixo um exemplo; no ato da criação quando Deus assim fizera, avaliou que tudo o que fizera foi bom na sua essência, mas o inimigo interferiu na obra da criação, enganando e contaminando o primeiro homem; dificultando o relacionamento entre as criaturas e o seu Criador, mas Deus enviou Jesus, o remédio da humanidade, se realmente aceitar o seu chamado, Mateus cap 11 vers 28. O sofrimento então analizo que; se firmarmos nosso relacionamento com Deus, pela fé; certamente ele retirará de todos nós, as nossas ansiedades vivenciais, pois o sofrimento não é o fim, e sim um começo de uma nova fase de amadurecimento Espiritual em Deus. Inclusive o livro Peregrino é muito bom por sinal; mas não me passou uma outra idéia, a não ser esta; em minha compreençao. Obs. Os sofrimentos na sua essencia, promoverá para aqueles que se aproximam-se de Deus na sua totalidade, as Riquezas Espirituais, que trará conforto para a alma; dói muito mesmo o sofrimento; mas Deus terá o bálsamo eficaz, que nos fará superar esta moléstia; a consolação do seu Espirito Santo. Ta ficando bom meu irmão, logo nós dois escreveremos um livro sobre este assunto. fica na Paz do Senhor.

    ResponderExcluir
  6. "Disseste bem", a promessa DELE é que nada nos separaria de seu amor e não de que iria nos livrar de todo o sofrimento. "Não haverá mais morte nem pranto nem dor..." Ap 21.4

    ResponderExcluir
  7. A Paz Robson, o que pesquisou sobre a solução empregada pelo autor da revista sugerida para quem tem medo "cognitiva comportamental"?

    ResponderExcluir
  8. Em tempo; Pastor Robson, o que achou da lição 2? precisamos trocar idéias.

    ResponderExcluir
  9. qUAL POCISIONAMENTO DO sENHOR QUANTO A LIÇÃO?

    ResponderExcluir
  10. Bom ! cognitiva comportamental; é sustentávelmente válida, quando a mesma, não violem os direitos de um Deus Onipotente; e precisa ser exercidas por pessoas que tem compromisso com a Palavra de Deus; porque sem a qual poderá, destruir vidas, em vez de consertá-las, ou seja, sará-las; baseio isto comparando o ser humano como uma planta; como disse o Senhor; somos plantaçôes do SENHOR; pois o medo, é senão as ervas daninhas da vida, tipologicamente falando; que certamente impedirá o crecimemto viçoso e frutíferos delas; sendo que, tem as plantas que exigem cuidados especiais; devido a sua fragilidades e sua melindrolização. E outras já são mais resistentes, de acordo com sua própria natureza; por isso que cada caso é um caso; precisamos ter este discernimento, em relação as plantas mais melindrosas, ou seja, as pessoas que não conseguem vencer a fobia sózinhos; tendo então, paciência para com elas, orando por elas, e as aconselhando-as, na Sabedoria da Palavra de Deus; porque esta é o poder de Deus; para aqueles que creêm; para assim não fazer os fracos ser presa fácil; lançado-os nas mãos de qualquer um; que nâo tem nenhum respaldo Espiritual confiável, na Palavra de Deus; porque se quer, se preocuparia com o estrago que poderá acontecer, com as pessoas que precisasem dos cuidados desta terapia comportamental; pois considero, o evangelho de Cristo como o Evangelho; que tem como finalidade suprema; construir vidas para o Reino de Deus. A paz do SENHOR.

    Outra oportunidade, com mais tempo, trarei mais comentários a respeito da lições deste trimestre, pois estamos, infelismente, vivendo a era da velocidade, mas darei a minha nota nesta lição 2 , nota 7. ok!

    E não entendi o teor da ultima questão; você quer a minha opinião? ou a opinião do Senhor Jesus? a respeito da lição, assim estudada!

    ResponderExcluir
  11. a paz, veja irmão, primeiramente acredito que temos que descrever o que é e como é a técnica proposta pelo autor; andei conversando com alguns psicólogos e afirmaram ser resumidamente no mínimo 20 encontros (sessões) onde o psicólogo leva com perguntas a mostrar que a pessoa tem baixa-estima. Bem, inicialmente queria uma confirmação do que se trata a técnica. Sobre auto-estima já tenho um posicionamento.
    não, não é nota fique tranquilo, veja que vc disse: "tendo então, paciência para com elas, orando por elas, e as aconselhando-as, na Sabedoria da Palavra de Deus". A pergunta que fiz desde o início é que trará consequências a pessoa que procura um psicologo secular, vamos disser assim? o psicologo que age da forma como o senhor colocou, utiliza de técnicas de pressupostos da psicanálise e soma com passagens bíblicas no aconselhamento?
    A opinião do senhor com relação a cada ponto da revista é o motivo de estarmos aqui, calvinistas possuem posicionamentos que interpretam como sendo de Jesus Cristo, arminianos também possuem seus posicionamentos e afirmam estarem corretos e serem de Cristo, da mesma forma, poderia então varão, mudar minha pergunta e disser "qual a opinião que o senhor acha da revista que o Senhor Jesus vê?" o fato de ser receptivo à críticas ao texto da revista não faz de nós pessoas pecadoras e desrespeitosas. porquê deu nota? porque teve um posicionamento a luz das escrituras. Quando perguntei sobre a técnica foi em função de uma pesquisa de campo que estou fazendo para atualizar o que presenciei em consultório e tenho a OPINIÃO , A LUZ DA Bíblia que Jesus Cristo não concorda com essas terapias de resgate de auto-estima. Veja que agora o irmão fará uso de palavras para rebater ou não minha opinião. É isso que quis que , se possível claro, fizesse com relação ao estudo pronto do autor da revista pois se não perguntasse talvez não houvesse a opinião. Quero dizer que a cada lição , inicie, sugiro, com comentários sobre a lição para que outros discorram o que falou. É válido e todos ganhamos!
    paz

    ResponderExcluir
  12. .Li todas as vv discussões; interessantíssimas, elucidativas, mas, o precioso é distinguirmos posições, posturas cristãs e ou ainda nos posicionar a luz dos editos bíblicos de modo a não confundir as pessoas que procuram esse blogger com o objetivo de adquirirem informações que os capacitem á melhor apresentar, expor a matéria estudada a seus alunos nas igrejas que utilizam a revista da Editora Betel; notadamente os que não tiveram a oportunidade de se especializarem em Teologia,Psicanálise ou qualquer outra formação que coadunem questões biológicas com espirituais/cristãs. Professores, refutem o que for adverso e se apeguem ao que vos chamou para a obra da ministração da palavra de DEUS e deixe que O ESPÍRITO SANTO os usem.

    ResponderExcluir
  13. a paz informativo,
    o que ocorre é a orientação do autor quanto a psicoterapia e medicações onde o professor reforçará a pessoa que tem esse "SUPOSTO MEDO", A PROCURAR PROFISSIONAL. o PRÓPRIO COMENTARISTA DO PRESENTE BLOG PODERIA , com todo respeito, manifestar como é a psicanálise, afimal de contas, esse embaraçamento não é culpa de quem comenta, dos milhares de alunos que já questionam o lado financeiro $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$ de uma simples consulta. Que custou ao autor da revista discorrer como é uma sessão ou vinte e cinco ou de três anos, quais os resultados de medicamentos e dependências, não é assim, jogar "vai lá , procure um profissional, QUAL? O SINCRETISTA, O SECULAR...TEM QUE EXPLICAR CASO CONTRÁRIO, haverá um incentivo cego. 100 ANOS DE PSIQUIATRIA E NENHUM CONSEGUIU RESOLVER O PROBLEMA DA HUMANIDADE, QUE SÓ PIORA POR CONTA DO PECADO.
    OBRIGADO, mas o que vejo é o MEDO, O MEDO DE MUITOS EM RELAÇÃO AO SISTEMA, A LÍDERES QUE QUESTIONAM A ÉTICA, VEJO MEDO EM LÍDERES QUE POR TRÁS CRITICAM SEVERAMENTE A REVISTA E NA FRENTE DO DOMINGO SÃO VERDADEIROS DIPLOMATAS. OS PROFESSORES ESTÃO DE SAIA JUSTA, ENSINAR O QUE É NITIDAMENTE INCORRETO E SUSPEITO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! NÃO TEM QUE TER MEDO NÃO, IRONICAMENTE NESTE PONTO O AUTOR TÁ CORRETO, NÃO PODE TER MEDO DE FALAR E ENSINAR, EXPOR PONTO DE VISTA; ENSINO É TÃO SÉRIO QUANTO SANTA CEIA, E MAIS SÉRIO QUE CANTOR GOSPEL FAMOSO, MAIS IMPORTANTE QUE EMBELEZAR TEMPLOS COM ACABAMENTOS DESNECESSÁRIOS E CAROS. CONTENDER COM UNGIDO????????????????? ABRE A BOCA POVO DE DEUS, REVISTA CARA, EXPLORAÇÃO, DESRESPEITO COM QUEM GANHA SALÁRIO MÍNIMO e tem que providenciar revista para toda familia, GANANCIA PURA TAMANHA QUE O RESULTADO É ESSE, NEM QUEM TEM TEOLOGIA VÊ QUE NÃO SE TRATAVA DE DOENÇA EM MOISÉS. NEM PARA USAR DA OFERTA QUE ARRECADAM NA ESCOLA. REALIDADE DE MILHARES DE IRMÃOS QUE NÃO TEM MAL DINHEIRO PARA ADQUIRIR REVISTA CARA VÃO TER PARA ARCAR COM CONSULTAS COGNITIVAS?????????????????????? TRISTE ALTERNATIVA!
    Em todas as três ocasiões que Moisés tentou se esquivar da responsabilidade de ser o mensageiro de Deus para libertar o povo de Israel (Êxodo 3.11;4.1,10), Deus não teve pena de Moisés, nem disse que Moisés era capaz e nem tampouco incentivou sua auto-estima. Deus não estava interessado em elevar a auto-estima de Moisés. Deus não disse: "Vai lá Moisés, você pode, você tem experiências, levanta a cabeça Moisés, você é muito bom, você é temperante, pensamento positivo..." .
    Deus não estava interessado em explicar para Moisés quem Moisés era. Pelo contrário, cada vez que Moisés lançava uma desculpa para não voltar ao Egito e não assumir a função de líder do povo de Israel, o Senhor DEMONSTRAVA PARA MOISÉS QUEM ERA DEUS.
    Ele não lembrou a Moisés quem era Moisés, mas deixou bem claro para Moisés quem Deus era: "EU SOU O QUE SOU", e exibiu a Moisés alguns de Seus poderes. deus queria apenas que Moisés continuasse com sua "carência de alto-estima", mas confiando plenamente no Deus todo-poderoso. DEUS QUER QUE DEPENDAMOS DELE E NÃO DE NÓS MESMOS.
    Auto-estima: doutrina dos últimos dias (Isaías 2.22; 2 Timóteo 3.1-4)
    Conselhos psicológicos ou cristãos?
    Isaías 30.1; não precisa dizer mais nada...


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostaria de salientar que quem fumava uma carteira de cigarro por dia pagava pelo cigarro do ano em média de R$ 1000,00 reais por ano para queimar dinheiro e não perguntava se ganhava salário mínimo!

      ... Fora bebida, serração dos outros, e noitadas e a família sem comida!

      Deixa de hipocrisia meu irmão

      Três revista por ano custa em média R$ 60,00 por ano e vc vem falando e parece que ninguém pensa aqui??????????????

      Excluir
  14. não etamos falando de ímpio. "hipocrisia" para você, esqueceu que na igreja não tem só a cobrança da revista? sabe quanto custa uma revista de ebd em um presbiteriana? ou uma batista? até mesmo neo petencostal? "na casa de Meu Pai ~fazem comércio" tinha q vim de arrecadação do dízimo. outra coisa, porque não discorreu até agora sobre a revista? tem doença do medo?
    deixa de covardia meu irmão

    ResponderExcluir
  15. Olá mais uma ebd domingo, e vai ser benção p todos nós! Vale salientar q colocar a palavra de Deus em primacia é o vai vale! Sei q muita gente da com duvida se acha certo o tratamento posto pela revista, quero salientar q T. Mendes pode ser bom como também destruidor de toda a imagem q a EBD deste trimestre quer passar, vale cada um filtrar o q pode ser bom! O Espirito Santo pode ser um grande aliado nesta questão. Vale lembrar q o nosso artigo maior é a fé, pois sem ela jamais veremos a Deus! E o que existe de pesquisa q pode ser uma ajuda, é formidável e bem vinda. Cada caso seja bem avaliado!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  16. A paz Kemuell,
    compreendi o q o irmão falou mas considera "destruidor" ter opinião contrária da revista? "destruiror" são as consequências de um ensino anti-bíblico. falei desde o início sobre o sincretismo( cristianismo com a bíblia) existente para solucionar problemas do comportamento humano deve ser investigado e perigoso;o fato de não concordar implica em prova que vai ser destruidor? 90% da igreja não concorda com o autor agora se eles não opinam tem lá seus motivos que todos sabemos o principal; sugiro assistir cada lição em uma igreja diferente q faz uso desse tema esse trimestre e testifique se sou eu que possibilito a destruição.
    Se não pudesse dar opinião não mais entraria no "revistaebd" a qual tem como objetivo justamente interagir opiniões. não são meus comentarios que deixarão professores confusos e sim a própria revista da maneira que o tema esta sendo tratado. "Santa inquisição" não cabe agora, mas devem estar alguns pensando em disciplina, exclusão de igreja, olha querido varão, o Senhor falou em Espírito Santo está corretoe é Ele quem testifica o homem do pecado e da justiça, é Ele que nos mostra a nós que na cruz foi pregado o ego também mas parece q muitos não querem enxergar
    O objetivo desse espaço acredito eu que não é ficar concordando com tudo e agradar assim líderes e superintendentes de ebd, e ao mesmo tempo ficar "bem" com a igreja. antes de tudo é crescermos em graça e conhecimento.
    eu pergunto,um endemoninhado em um consultório vai ficar atento e ouvindo a lógica de um ph D?
    na página 219 do livro supracitado, o autor diz:
    "se a psicologia e a psiquiatria são ateístas ou não, o objetivo final do tratamento é a saúde mental, enquanto que função do cristão, tendo ele o título de psicologo, psiquiatra e/ou pastor, é de viver a religiosidade, sociabilidade e a humanidade a partir dos ensinamentos deixados por Jesus Cristo."

    Isso cheira a ego! O ORGULHO HUMANO nenhum momento é colocado em questão!

    mas entendi a sua mensagem.

    RECADO PARA TODOS OS ADEPTOS DO ENSINO DA AUTO-ESTIMA:
    "convém que Ele cresça e eu diminua" (João 3.30) No fim, o que a psicologia vai ensinar é que todas as mazelas da sociedade é oriunda da sua baixa -estima. MINHA OPINIÃO, DESTRUIDORA, COMO QUEREM CHAMAR, É A DE QUE DEVAMOS repassar os ensinos da revista com cautela, pesquisa (Kemuell) e direcionamento do Espírito sem poupar confrontação BÍBLICA.


    obrigado assim mesmo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Karo maigo e irmão T Mendes... Sim pode ser destruidor a forma com que pode ser entendida os seu comentários, sei q o amado só quer contribuir, mas em questão aqui é que devemos ensinar com a ajuda do Espirito Santo este será o restaurador e influenciador amanhã. Quero ressaltar que o maior em questão não deve ser a psicologia e sim Cristo, quero ressaltar em questão que se a editora Betel escolheu o amado comentarista para esse semestre foi pq Deus assim permitiu, a questão q coloco não questionar o modo como ela é colocada e sim como poderia ser bem utilizada, a igreja ainda pertence a Deus e não ao homem. Podemos numerar muitas falhas nelas assim como nos seus comentários, mas quem seriamos nós para fazer tal justificação e dizer q o nosso argumento é mais preciso e convincente, uma vez que em nenhum caso temos uma edição nossa distribuída pela Betel. nós seremos apenas coadjutores de Deus e façamos com zelo e prazer, se formos na aula dizer q a revista está errada e que a nossa argumentação é a correta estamos fugindo do que eh realmente uma Escola Dominical! Então abrimos uma igreja, fazemos aulas particulares da EBD ai sim estaríamos nós trazendo a verdadeira mensagem?

      Excluir
  17. o livro a quem me refiro é "Psicologia Pastoral", de Samuel Costa, 4ª edição utilizado em dezenas de faculdades e cursos de teologias pelo país.

    ResponderExcluir
  18. engraçado, uma vida vai ser destruída ou desestimulada porque alguém tem opinião contrária a da psiquiatria ou da psicologia em uma revista de ebd?
    hoje em dia é assim, "o homem é muito explosivo porque herdou o temperamento forte de seu avô chico bravo, tem que tratar com remédios específicos para ser mais sociável" agora pergunta se em algum momento desde sua meninice recebeu aconselhamento bíblico com braços abertos de que a obra da carne , contendas, ira, peleja são prejudiciais e o remédio é o que o Mundo fala "não dá o braço a torcer", mas a BÍBLIA CHAMA DE ORGYULHO, DA LUTA ENTRE O ESPÍRITO E A cARNE , DE INCENSATEZ. PASSA UM TEMPO E O HOMEM CONTINUA A externar comportamento agressivo até que para em um hospício. Dirão que é hipnose, ou a neurociência dirá que é raivoso devido a parte esquerda de seu cérebro não ter uma "pecinha", enquanto a Bíblia, que é a única que permanece (céus e terra passarão) diz que é obra da carne.
    é isso aí, a justificativa hoje para amenizar penas de crimes vilentos ou até mesmo absorvição por "momentos de surtos" enriquece advogados, a indústria farmaceutica enriquece, a industria milionaria de psicoterapia enriquece, e a familia da vitima sofre alguma "enfermidade da alma" que ironico
    quem se mata hoje é por causa da falta de atendimento psiquiátrico? porque o autor não fez uma lição específica para esse assunto? polêmico?
    vamos seguindo para lição 3
    A todos que concordem ou não, paz do Senhor Jesus Cristo, que provou o seu amor na cruz, que veio combater o pecado no mundo, que aconselha a largarmos nosso orgulho antes que ele destrua-nos

    paz

    ResponderExcluir
  19. democraticamente, vemos sugestão de livro para ser adquirido com fins de acompanhar a revista, do mesmo autor, louvável né, porém sugiro como complemento, as Bibliografias abaixo relacionadas e como Kamuell falou, reter o que é bom independente de opinião e poder terem o outro lado da opinião:

    Sociedade sem pecado - John MacArthur Editora Cultura Cristã
    Nossa Suficiência em Cristo - John MacArthur Editora Fiel
    Aconselhamento integrando a psicologia e a Bíblia? - Martin Bobgan Editora Actual
    Manual do aconselhamento - Jay adams
    A Pisicologia na igreja - A religião anticristã do egocentrismo - T.A. McMahon
    Fatos sobre Auto estima psicologica e movimento da recuperação - John Ankerberg aCTUAL EDIÇÕES
    Escapando da Sedução - DAVEHunt aCTUAL EDIÇÕES
    A BATalha sobre o controle da mente - Dave Hunt Chamada da meia noite
    Depressão espiritual - LLOYD-Jones PES
    O Sofrimento e a soberania de Deus - J. Piper cultura
    A Falência dos deuses - Vinoth ramachandra - ABU
    Colocando Deus no banco dos réus - álvaro Santos - Arte editorial
    Verdade Absoluta - N. Pearcey CPAD

    ResponderExcluir
  20. Encerrando meu último comentário sobre a lição 2, quero deixar um testemunho registrado no livro "ORAÇÃO DE JÓ", pela editora BV Books, de Sandra Querin, 2009, Niterói-RJ, a saber (p. 126 e 127)

    " Meu marido morreu há seis meses. Depois, meu filho foi assassinado em um acidente de carro há dois meses. Há duas semanas descobri que tinha câncer. Eu achava que era forte. Eu achava que tinha muito de Jesus. Eu achei errado. Eu era loucamente apaixonada pelo meu marido, e quando a minha força em razão do meu filho, que perdera o pai. Mas, quando meu filho morreu, eu entendi que eu encontrava o meu valor no meu filho e no meu marido e não em Cristo.
    'uma amiga me deu o seu livro, A ORAÇÃO DE JÓ" eu separei tarde para lê-lo, depois uma noite para l^-lo outra vez. Em seguida, as horas da madrugada me compeliram a ler novamente. Agora, eu conheço a verdade, é Jesus quem ergue a minha cabeça. Eu só preciso permitir que ele segue as minhas mãos e me conduza.Pessoas teimosas geralmente não permitem issso!
    'o câncer está respondendo ao tratamento - milagrosamente bem' foi como o médico colocou. Mas, este não é o verdadeiro milagre. O verdadeiro milagre e a razão deste testemunho é; eu quero agradecer às pessoas responsáveis por publicar este livro. eu podia sentir a morte dentro de mim, mas este sentimento foi embora. Quando abandonei o mau comportamento com relação a Deus, este sentimento de morte me abandonou. Eu culpei a Deus pela morte do meu marido, mas eu O odiava pela perda de meu filho. Agora eu entendo. Deus está com eles e Ele tem algo tremendo para realizar através de mim aqui, sem eles, mas COM ELE!
    'A minha alegria retornou como um fresco dia de primacera.Eu não estou mais chorando incessantemente e pavorosamente. Eu não tenho mais dor e estou cheia de expectativas. Quando fiz isso, descobri que odiava a Deus porque perdi minha família. Fiquei chocada ao descobri o que se encontrava no cimitério da minha alma, como você coloca em seu livro, e gostaria de agradecer por me ajudar a não ter medo e desenterrar o que era preciso. obrigada, obrigada. Oh que alegia a minha alma!
    NILA , CALIFÓRNIA

    Este livro a autora prega o evangelho em cima da dor de Jó. não acrescentou nada de terapias cognitivas. Observe a diferença de quem pela Palavra de Deus reconhece o pecado do orgulho, do local do tesouro e do coração.

    paz a todos

    ResponderExcluir
  21. T Mendes

    Bom dia!Pv 23.9 Não fales ao ouvido do tolo, porque desprezará a sabedoria das tuas palavras.
    Pelo que vejo que o irmão T Mendes sabe tanto que é igualzinho o Jô Soares!
    Só para os que entendem! Kkkkkkk


    Percebe se que você é igualzinho o Jô Soares, vc fala e vc mesmos responde! E também quando alguém não concorda com ele e parte para ignorância!

    ResponderExcluir
  22. Quem explica mt é pq sua tese é fraquinha! Fala fala fala fala e não explica nada!!! Kkkkkk 12 Meus irmãos, pode também a figueira produzir azeitonas, ou a videira figos? Assim tampouco pode uma fonte dar água salgada e doce.
    13 Quem dentre vós é sábio e entendido? Mostre pelo seu bom trato as suas obras em mansidão de sabedoria.
    Tg 3...
    Tenho visto o interesse do irmão T Mendes é mais de agressão do que de instrução!
    Ele tem "opinião" e não uma "sugestão"!!!

    ResponderExcluir
  23. A EXPRESSÃO "KKKKKKKKKKKKKK" demonstra soberba e falta de entendimento. Mais uma vez, o Senhor não comentou nada da revista só veio aqui para se doer porque tenho opiniao contraria ao autor da revista. Em vez de ficar vendo Jô Soares, ou de teer ficado vendo estes anos, vai ler a Bíblia e estudar a lição.. Que exemplo em Pastor? "Fraquinha " é maior que nadinha, isso mesmo, o Senhor não tem nada para comentar da revista.

    ResponderExcluir
  24. A paz do Senhor a todos!
    Bom ! o que estamos visando na sua essência, longe das criticas e questões polimizadas; é gerar entendimento, diante da palavra de Deus, este manual, que é regra de fé e prática. Verdade é que; o seres humanos precisam novamente voltar-se para Deus ; pois teve sua comunhão interronpida, por causa do pecado; este por sua vez, danificou não só as pessoas como tambem deixou a terra doente; Apresento por meio dos estudo que comento, que o verdadeiro remédio, é o Senhor Jesus Cristo; (O presente de Deus). Para assim nos livrar das mazelas da alma, pois esse livramento, eu intitulo como um milagre vindo de Deus. Vamos deixar um legado muito importante e eficaz, que é seguir os exemplos de Jesus, em realação aos seres humanos; produzindo sentimentos gerado Nele; para assim preservar e construir vidas para o reino de Deus; este é o propósito de Deus. E emcaminhar os fracos, para que sigam as pisaduras do mestre Jesus, como diz a Bíblia: pelas suas pisaduras somos sarados. não vamos generalizar, ensinamentos isolados, sem antes entender a natureza de cada caso; porque cada caso é um caso. O importante de qualquer ensino precisa estar respadado na Palavra de DEUS; prevalecendo então a verdade de Jesus, por meio de sua graça; na presença de Deus, por meio do seu amor; E na comunhão do Espirito Santo, o verdadeiro consolador, que por promessa estará conosco, até o dia da vinda do Senhor; este sim poderá fazer os seres humanos, entender e combater as mazelas da alma; e gerando entendimento, que só se vence o mal da alma pelo poder Deus.

    ResponderExcluir
  25. Disse bem de novo; poder de Deus. A grande diferença entre as palavras proferidas por um psicanalista secular e as da Bíblia é essa: poder de Deus, Freud nem sua descendência irão resolver os problemas. Acertou de novo; pecado, caído. O estudo da doutrina do pecado, depravação humana, pecado por pecado iria esclarecer e muito o tema atual. Tudo Robson Leite, essas discussões, opiniões chamadas de agressões, existem em função da insegurança de professores de escola em reafirmar a importância de resolver os casos em psicoterapias sem ao menos conhecer como é realizado e se baseado tal suposta ciência. ´so isso. Agora se alguns não veem doença em Moisés na lição e sim virtude, não significa que venhamos com o objetivo de polemizar.

    ResponderExcluir
  26. Pastor Paulo César, se eu fosse insensato como a passagem Bíblica que o Senhor me atribuiu, já teria lhe respondido na mesma moeda, no mesmo nível. Não o comparei até então o Senhor com nenhum ímpio embora haja agora como tal mas tudo bem, o insensato não pede perdão então pela graça, peço-lhe perdão se fiu muito incisivo não mais agirei de forma "agressiva" como o Senhor mencionou mas é bom que saiba que temo a Deus e não ao homem e ser ousado em expor e refutar erros não faz de mim insensato (por favor , leia as cartas a Timóteo) mas é direito do Senhor expressar. Na lição 03 vou tentar ser mais digamos ...delicado tá
    abraços

    ResponderExcluir
  27. Bom! estamos tratando do assunto em pauta, as enfermidades da alma e como combate-las; como segue; e defendo um raciocínio , que na minha formação espiritual, e eclesiástica, baseado no poderoso evangelho de Jesus Cristo; Que Moisés não estava doente fisicamente, e sim espiritualmente, a famosa ( baixa auto estima ); por certo foi ativado mediante após a incubência de tal tarefa; na qual Deus colocara em suas mãos; além do mais ele temeu porque o chamado veio do Deus de Abrãao, de Isaque e Jacó; E falando sobre a baixa auto estima; analizo que observando a passagem do filho Pródico; Deus não quer que fiquemos lamuriando pelos cantos da vida; ficando neste estado de decandência emocional, e sim tomar atitudes, na qual foi o que ele fez; irei ter com meu Pai, disse ele. O que Deus quer, é fazer com que o ser humano, tenha a sua Auto Estima renovada; Entendo então, a auto estima renovada em dois sentidos; Um sentido benéfico; e outro sentido prejudicial, que poderá trazer prejuizos Espirituais; como segue ; a Primeira benéfica, é aquela que reconhece o Senhorio de Deus e seu Poder; utilizando-se de então, para glorificar o Nome do SENHOR; A Segunda é prejudicial, porque não reconhecerá o Senhorio de DEUS, em seu Poder e Magnitude, como foi o caso da história do Rei Nabucodonor; creio que já conheçam; E por ser prejudicial, não cumpriremos a palavra de Deus que diz: O apostolo Paulo; o importante é que eu diminua, e Cristo cresça; digo eu a este respeito, baseado neste comentário, que Deus não se agrada de ver as pessoas se lamuriando, pelos cantos; e sim ser submisso a vontade de Deus, pois certo que em tempo oportuno nos exaltará.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A paz Irmão, tenho apreciado os debates, e em especial os comentários do T. Mendes, que muito tem contribuído, com seus esclarecimentos. Mas algo me chama a atenção, os comentários do Ir Robson Leite, são idênticos aos do Anônimo da lição 01, este, até respondeu a uma irmã, como sendo o próprio autor da revista, será que estou enganado, ou todos são a mesma pessoa (o autor da revista, que não quer se identificar), a bíblia em Mt 5.37 (sim sim ou não não), se forem os mesmos, tá havendo um desvio de personalidade, se eu estiver errado, me perdôem, mas foi esta a impressão deixada. Aguardo.

      Excluir
  28. PAZ Robson, VEJO A FOME COMO BENÇÃO DISFARÇADA. LEVOU-O A REFLETIR. OUTRA COISA, ESTAR PRONTO PARA SE ARREPENDER,ADMITIR SEUS PECADOS não são oriundos a partir de uma auto-estima benéfica, penso eu. Mas voltando ao personagem da lição, Moisés, jamais estaria ele sendo estimulado por Deus a ter auto-estima. Utilizou do reconhecimento de Moisés de ser "vaso de barro", para mostra-lhe que Deus era com ele, e que Deus era Deus. dEUS SEMPRE TRABALHOU, PELO MENOS frequentemente por intermédio do insignificante, do pequeno para realizar seus propósitos. nÃO VEJO LAMÚRIA NEM EM mOISÉS, NEM EM jEREMIAS...AO CONTRÁRIO, VEJO UMA FORÇA QUE SOBERBOS ACHAM QUE TEM.

    ResponderExcluir
  29. Converse então com uma pessoa, que esta com a sua auto estima baixa, para ver sua conversa, se não ouvirá lamurio ou não? O Cristão não pode proceder assim, ou sim? pois Deus espera que o honramos pela fé, ou não? Deus é soberano sim, mas digo, o homem que reverencia-lo com sua pequenez, jamais será abalado. E isso partirá de uma atitude expressiva, por parte do homem e não uma robotização; Aniquilando então o livre arbítrio do homem por causa da Soberania de Deus? de maneira nenhuma! O homem esta livre para assim decidir, o caminho que deve tomar, uns para vida, sabendo; porque seguem o caminho chamado Jesus, e outros para morte; sem entender e obedecer esta estrada para o Céu, que é o Senhor Jesus Cristo o Salvador do mundo.

    ResponderExcluir
  30. Robson acho que está confundindo. Lamuriar no sentido de se lamentar, de quê? Existem diferenças . Disse várias vezes que o que Moisés tinha não era baixa estima e isso é minha opinião e para mim ele tinha sim uma virtude de Cristo, do Espírito, de reconhecer sua capacidade, humildade. A pessoa que reclama, murmura, tem preguiça, maldiz no sentido de abrir a boca para maldizer, se lamenta tem que identificar o que esta pessoa que diz na conversa . Nem todos que se lamentam tem "baixa estima" totalmente diferente de Moisés com relação a faraó . Ninguém ta falando de soteorologia, olha só, a auto estima que falo é a de Lúcifer, que se auto-exaltou, auto-promoçãoa de que Cristo falou em João 12.25 etc o irmão deve estar pensando naquela figura que vou conversar e a outra pessoa responde com aspecto de tristeza, derrota etc, não é? MOISÉS NÃO TEVE BAIXA -ESTIMA , NOVAMENTE PARA A LIÇÃO DE AMANHÃ,A ALEGRIA VEM DO ESPÍRITO, É FRUTO DO ESPÍRITO, ouvir lamúrio não significa baixa estima, o inverso é soberba, não confundamos o cabisbaixo,
    para lição, Moisés não era menos medroso ou de baixa estima que Zaqueu!

    ResponderExcluir
  31. Ficando por aqui Robson, vou cuidar para compromissos familiares, obrigado pelas referências e posições despeço com as duas passagens abaixo
    paz

    “Afastai-vos, pois, do homem cujo fôlego está no seu nariz. Pois em que é ele estimado? (Isaías 2.22)

    "amantes de si mesmos" (2 Timóteo 3.1,2)

    ResponderExcluir
  32. Não disse, que você está infelizmente , com mente confusa, meu irmão; por estar lendo muitos livros , quero declarar aqui por irmão, que felizmente preciso direcioná-lo para a palavra de DEUS, e pedir para não utilizar livros seculares, para tentar entender a palavra de Deus; coisa que eu não tenho este habito; respeito sim os escritores de cada livro. E Digo isto porque poderá te prejudicar Espiritualmente falando; digo isto por experiência própria meu irmão; pois os escritores diferem de opiniões entre um e outro; coisa que esta acontecendo com esses comentários em pauta; mas ficarei com a regra da hermenêutica, e a revelação do Espirito SANTO; onde a Bíblia interpreta a própria Bíblia, e não costumo utilizar livros seculares para assim entende-la; expliquei muito, sobre o assunto, mas saladiou o assunto; e por fim, infelizmente não entendeu nada. E sobre a auto estima não tem nada a ver com a soberba, a auto estima benéfica, é para sermos fortes contra o pecado, e não contra Deus; como o é assim a soberba; sendo que a auto estima tem dois sentidos. A paz do Senhor meu irmão.

    ResponderExcluir
  33. Bom dia Robson, paz do Senhor,
    Sabe, partindo do que o senhor disse, sem me conhecer, mas deveríamos então nem ler revista de escola dominical. Quando o senhor anteriormente falou em "livre arbítrio" retirou este termo de onde? da bíblia? não, certamente, leu em algum lugar. "Hermenêutica", deve ter pegado algum livro de como interpretar corretamente a Bíblia e né sabido que tem e existe pontos divergentes entre autores e isso fez o senhor confuso? A palavra auto-estima e seu significado, que não existe nas Escrituras, retirou da onde? de livros seculares? dicionários, livros ou artigos de psicologia? leu sobre eles um dia para chegar em sua conclusão? Vamos fazer o seguinte, a começar por um revista de escola bíblica, deixemos de ler tudo.
    "Experiência própria", o senhor acha que um curso de teologia é válido? partindo dessa sua premissa de que ficaremos confusos, nem comentários Bíblicos devem ser lidos, Bíblias de Estudo também.
    Pregação também deve ser fruto de trabalho árduo, de estudo e reflexão bíblica.Não sei qual foi a sua experiência mas em nenhum momento minha fé foi destruída por conta de ler alguns livros. Como um cristão deve discutir lógica, razão e argumentação necessariamente não o afasta. Certo que muitos que se encantaram com a filosofia a ponto de abandonarem as verdades contidas não implica dizer daqueles que a estudam para combater as inverdades contidas nela, por exemplo. O fato de querer conhecer como é a psicoterapia a fim de auxiliar comentários não tira o Espírito santo do discernimento. Desculpe-me pela franqueza, mas ensinar debater e doutrinar exigem não impedem de eu colocar limites em meu intelecto. Deveria ser mais claro, com exemplos, de repente o senhor quer citar os casos de alguma igreja a qual tem medo, de repente falei, de dizer aqui, de alguma linha, não sei. Sugiro novamente com todo respeito, que o Senhor nem comente a lição pois é uma revista, quase um livro e assim como muitas pregações foram registradas ao longo destes anos, inclusive sobre hermenêutica aos quais tenho certeza que tem posse de livros seculares ou não, não deveria, conter-se tão somente com a Bíblia. Jogue todos os seus livros fora, deve estar pensando, há dois mil anos não tinha nenhum comentário Bíblico, livros seculares não é, então da mesma forma não tinha nenhum psicólogo para falar de auto estima para um perseguido Cristão, então para que estudar essa lição?
    Pensa que fico tão somente me afadigando em estudos? Não conhece menha rotina cristã, e a partir de agora vou prestar atenção se o senhor está nesta espaço tão somente para capturar e espionar quem tem opinião contrária a do autor pois não vejo o senhor comentar algo primeiro da revista. Na lição 03 em diante vou esperar primeiro o senhor comentar a revista, já estou "caindo a ficha" do senhor, parece que o senhor tá "encomendado".
    Não fique com raiva, os seus comentários foram de livre julgamento de minha pessoa, o senhor abriu precedentes agora vou atentar.
    Paz Robson até a lição 03.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A paz do Senhor meu irmão; sem ressentimentos, embora fiquei aborrecido com algumas palavras no texto; mas tudo bem. Pois expressei, o que expressei, exclusivamente aquilo que tenho como experiência com Cristo; e de maneira nenhuma em nome de JESUS será interrompida a comunhão entre nós e Jesus Cristo; E quem sabe um dia poderemos conversar sobre a Palavra Deus, por meio da graça de Deus e no conhecimento do Espirito Santo; Estas opiniões são exclusivamente minhas, e de mais ninguém; Deus te abençõe grandemente em nome de Jesus Cristo. Bom Dia !

      Excluir
  34. Pergunta irônica do irmão a minha pessoa no dia 09 de abril deste blog:
    "E não entendi o teor da ultima questão; você quer a minha opinião? ou a opinião do Senhor Jesus? a respeito da lição, assim estudada!"
    Afirmação do irmão neste 13 de abril:
    "Estas opiniões são exclusivamente minhas, e de mais ninguém"

    Lembra o que me disse no dia 09 de abril?
    "Outra oportunidade, com mais tempo, trarei mais comentários a respeito da lições deste trimestre, pois estamos, infelismente, vivendo a era da velocidade"
    Até hoje não comentou a lição e já estamos indo para a de número 03, não me importo a risca de ficar somente comentando o que comento mas essa velocidade é baixa pois todos os dias comentava somente o que eu dizia.
    Mas tudo bem , ao menos o senhor embora DISCORRE BIBLICAMENTE, PERDOA-ME, tem razão, não vou ficar ressentindo o senhor é irmão em Cristo, paciência é fruto e não quero perdê-la.
    Vivemos época que não podemos dizer mais amém para tudo o que ouvimos. O senhor tá certo, não interrompeu também partindo de mim. Desculpa-me pela maneira em que respondi alguns aqui no blog mas se perceber eles mesmos já chegaram "batendo" pelo fato de ter opinião contrária mas também já pedi perdão a dois deles. Por amar a Palavra, as Escrituras e como professor de ebd, e por ter obrigação imposta Robson de dar a lição, ou comentá-la devamos ser prudentes com o que é repassado.a ética tem limite. vc sabe muito bem isso.
    te amo em cristo
    paz

    ResponderExcluir
  35. Você esta certo meu irmão, só esclareço uma coisa, que realmente não entendi o teor da pergunta do dia 9 , se a opinião era minha ou de Jesus! Eu queria mesmo perguntar para você, se queria a minha opinião ou do comentarista da lição? deu um branco aquele dia; eu mesmo fiquei surpreso ao conferir no dia 9 a pergunta; a formulação da pergunta esta errada; pois na verdade as minhas opiniões é baseado na vontade do nosso amado mestre Jesus; foi bom você ter visto este erro. só disse minhas opiniões, porque o irmão disse que fui encomendado; e certamente que não fui. valeu Irmão; Deus te abençoe em nome de Jesus; Também te amo em Cristo meu irmão! Vamos para o CÉU; OH! GLÓRIA!

    ResponderExcluir
  36. Paz queridos, a finalidade aqui é aprender e lançar nossa opiniões tendo sempre o respeito a aceitação é de qualquer um.
    Somos todos irmãos brigar não vamos chegar a lugar algum, gosto desse site posso estudar e aprender um pouquinho com todos, Deus abençoe a cada um.

    ResponderExcluir

Obrigado por nos visitar! Volte sempre!