Pessoas que gostam deste blog

Lição 8 - O legado de Elias


Título: Elias e Eliseu — Um ministério de poder para toda a Igreja
Comentarista: José Gonçalves

Lição 8: O legado de Elias

Data: 24 de Fevereiro de 2013

TEXTO ÁUREO


E disse Josafá: Não há aqui algum profeta do Senhor, para que consultemos ao Senhor por ele? Então, respondeu um dos servos do rei de Israel e disse: Aqui está Eliseu, filho de Safate, que deitava água sobre as mãos de Elias (2 Rs 3.11).

VERDADE PRÁTICA


Através do ministério de Eliseu aprendemos que os grandes homens foram aqueles que aprenderam a servir.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE


1 Reis 19.16,17,19-21.

16 - Também a Jeú, filho de Ninsi, ungirás rei de Israel e também Eliseu, filho de Safate, de Abel-Meolá, ungirás profeta em teu lugar.
17 - E há de ser que o que escapar da espada de Hazael, matá-lo-á Jeú; e o que escapar da espada de Jeú, matá-lo-á Eliseu.
19 - Partiu, pois, Elias dali e achou a Eliseu, filho de Safate, que andava lavrando com doze juntas de bois adiante dele; e ele estava com a duodécima. Elias passou por ele e lançou a sua capa sobre ele.
20 - Então, deixou ele os bois, e correu após Elias, e disse: Deixa-me beijar a meu pai e a minha mãe e, então, te seguirei. E ele lhe disse: Vai e volta; porque que te tenho eu feito?
21 - Voltou, pois, de atrás dele, e tomou uma junta de bois, e os matou, e, com os aparelhos dos bois, cozeu as carnes, e as deu ao povo, e comeram. Então, se levantou, e seguiu a Elias, e o servia.

INTERAÇÃO


A lição de hoje tem como objetivo refletir acerca do legado de Elias. Aprendemos com este profeta que os homens de Deus bem-sucedidos em seus ministérios são aqueles que têm o coração disposto a. servir. Elias serviu a Deus com integridade e foi um modelo para o seu sucessor, Eliseu. Sabemos que nesta vida tudo tem o seu tempo, por isso, chegou o dia em que o ministério de Elias encerrou-se. Todavia, ele, como profeta do Senhor, não foi pego de surpresa. Como um líder fiel e íntegro diante do Pai Celeste, teve o cuidado de seguir a orientação divina na escolha do seu sucessor.

OBJETIVOS


Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
·   Reconhecer o caráter divino da vocação e chamada de Elias.
·   Detalhar os princípios da exclusividade, autoridade da vocação e a chamada de Elias.
·   Compreender como se deu a sucessão e o discipulado de Eliseu.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA


Professor, para introdução da lição sugerimos um estudo dirigido. Divida a classe em três grupos. Depois que já estiverem formados, entregue a cada grupo uma das questões relacionadas abaixo. Cada grupo terá, no máximo, cinco minutos para discutir seu tema e outros cinco minutos para expor suas conclusões à classe. Explique que Elias lançou sua capa sobre os ombros de Eliseu, demonstrando que ele seria seu sucessor. Quando a sucessão foi concluída, Elias a deixou para Eliseu (2 Rs 11-14). Conclua a atividade explicando que todo ministério é transitório, e que o mais importante não é como começamos, e sim como terminamos.

QUESTÕES PARA O ESTUDO DIRIGIDO

O LEGADO DE ELIAS

1. “Qual o significado de lançar a capa sobre Eliseu (1 Rs 19.19)?”.
2. “Por que Eliseu matou seus bois (2 Rs 19.20)?”; “Qual o significado desse gesto?”.
3. “Como se deu a chamada de Elias e o término do seu ministério?”.

COMENTÁRIO


introdução

Palavra Chave
Sucessor: Aquele que sucede a outrem ou que o substitui em cargo, funções.

O teólogo norte-americano A. W. Tozer disse certa vez que “nada morre de Deus quando um homem de Deus morre!”. Essa máxima é verdadeira em relação ao profeta Elias e ao seu sucessor, Eliseu. Elias exerceu um ministério excepcional no reino do Norte e, sem dúvida, foi o responsável por ajudar o povo de Deus a manter a sua identidade. Todavia, assim como todos os homens, chegou o dia em que precisou parar. Elias teve o cuidado de seguir a orientação divina na escolha do seu sucessor, bem como em prepará-lo da forma correta. Esta lição nos ensinará como se deu esse processo e como podemos aprender com ele.

I. O LONGO PERCURSO DE ELIAS


1. Uma volta às origens. Elias fez um longo percurso até chegar ao Monte Horebe, também conhecido na literatura bíblica como Monte Sinai (Êx 3.1; 19.1,2). De Berseba até ao monte Sinai, o percurso era de aproximadamente quatrocentos quilômetros. Foi nesse Monte que o Senhor havia se revelado a Moisés muito tempo antes como o grande EU SOU (Êx 3.14). Posteriormente, foi nesse mesmo monte que o Senhor revelou a Lei a Moisés (Êx 19 - 20). A distância era grande, mas Elias necessitava voltar às origens da sua fé! Sem dúvidas, esses fatos estavam na mente de Elias quando ele para ali se dirigiu. Para reorientar a caminhada, nada melhor do que uma volta às origens!
2. Uma revelação transformadora. Vendo que Elias havia se enclausurado em uma caverna, o próprio Senhor trata de dialogar com o profeta. É nesse diálogo que percebemos que Elias estava vendo as coisas de forma distorcida. Duas coisas ficam patentes: Deus continuava sendo Senhor da história e Elias não havia trabalhado em vão (1 Rs 19.9-14). O Senhor revela, então, ao profeta a existência de sete mil remanescentes da adoração a Deus (1 Rs 19.18). Quem eram? Ninguém sabe, mas com certeza pessoas do povo que nem mesmo eram vistas, mas que amavam ao Senhor. Foi o próprio Deus quem os havia conservado. Mas a revelação continuou: Deus revelou a Elias a necessidade de um sucessor (1 Rs 19.16). Deus agora tinha outros planos para Elias. Deveria, portanto, dar lugar a outro. Não somos descartáveis, mas ninguém é insubstituível.

Descrição: http://www.estudantesdabiblia.com.br/images/cr1.gif

SINOPSE DO TÓPICO (I)

Precisamos nos conscientizar que na obra de Deus não somos descartáveis, mas, de igual forma, ninguém é insubstituível.

Descrição: http://www.estudantesdabiblia.com.br/images/cr1.gif

II. ELIAS NA CASA DE ELISEU


1. A exclusividade da chamada. O texto de 1 Reis 19.19-21, que trata sobre a vocação de Eliseu, é rico em detalhes a respeito de sua chamada. Alguns deles se sobressaem nesse relato. Primeiramente observamos que Deus chama pessoas fiéis. Sem dúvida, Eliseu fazia parte da estatística divina dos sete mil. Em segundo lugar, Deus chama para o seu serviço pessoas que são ocupadas. Ele estava trabalhando com doze juntas de bois! A obra de Deus não é profissão nem tampouco emprego. É vocação! Em terceiro lugar, Eliseu percebeu que o ministério tem custo! Ele sacrificou os bois e os deu como comida ao povo. Quem põe a sua mão no arado não pode olhar para trás. Em quarto lugar, Eliseu entendeu que o ministério profético é um “servir”. Eliseu passou a servir a Elias.
2. A autoridade da chamada. Quando Elias encontrou a Eliseu, o texto sagrado registra: “E lançou o seu manto sobre ele” (1 Rs 19.19). Na cultura bíblica, o manto é símbolo da autoridade profética (2 Rs 1.8 cf. Zc 13.4). Lançá-lo sobre outrem demonstrava transferência de poder e autoridade. Com esse gesto, Eliseu estava sendo credenciado para o ofício profético. De nada adianta o ofício se a unção não o acompanha! Não é, portanto, o ofício que determina a unção, mas a unção que valida o ofício! Eliseu de fato recebeu autoridade divina, pois exerceu um ministério marcado por milagres. Hoje há muita titulação, mas pouca unção de Deus!

Descrição: http://www.estudantesdabiblia.com.br/images/cr1.gif

SINOPSE DO TÓPICO (II)

Deus chama e prepara pessoas fiéis para a sua obra. A obra do Senhor é para os chamados e vocacionados.

Descrição: http://www.estudantesdabiblia.com.br/images/cr1.gif

III. ELIAS E O DISCIPULADO DE ELISEU


1. As virtudes de Eliseu. O relato de 2 Reis 2.1-8 mostra algumas fases do discipulado de Eliseu. Elias vai a vários lugares diferentes e em cada um deles observa-se que o profeta põe o discípulo à prova. Primeiramente, Eliseu demonstrou estar familiarizado com aquilo que o Senhor estava prestes a fazer (2 Rs 2.1). Ele estava consciente de que algo extraordinário, envolvendo o profeta Elias, aconteceria a qualquer momento (2 Rs 2.3), e que ele também fazia parte dessa história. Em segundo lugar, Eliseu demonstrou perseverança quando se recusou largar Elias. Ele o acompanhou em Gilgal, Betel, Jericó e Jordão (2 Rs 2.1-6). Tivesse ele ficado pelo caminho, não teria sido o homem de Deus que foi! Somente os perseverantes conseguem chegar ao fim. Em terceiro lugar, Eliseu provou ser um homem vigilante quando “viu” Elias sendo assunto aos céus! (2 Rs 2.12).
2. A nobreza de um pedido. O pedido que Eliseu fez a Elias antes de o profeta ser assunto aos céus é algo que merece uma reflexão à parte. Na verdade, o pedido de Eliseu revela a nobreza da sua chamada. Diante de uma oportunidade única, Eliseu não teve dúvidas, e pediu: “Que haja porção dobrada do teu espírito sobre mim” (2 Rs 2.9). Eliseu tomou conhecimento daquilo que seu mestre fazia, e em outras ocasiões ele mesmo fora testemunha desses milagres. Ele não tinha dúvidas; queria aquilo para ele, só que em uma proporção bem maior. Deus agradou-se do pedido de Eliseu como se agradara do pedido de Salomão (1 Rs 3.10).
Muitas vezes as pessoas preferem aquilo que é medíocre em vez do que é nobre. Preferem escolher o que satisfaz o ego em vez de escolher o que agrada e alegra a Deus.

Descrição: http://www.estudantesdabiblia.com.br/images/cr1.gif

SINOPSE DO TÓPICO (III)

Eliseu era perseverante, se ele tivesse ficado pelo caminho, não teria sido o homem de Deus que foi! Somente os perseverantes conseguem chegar ao fim.

Descrição: http://www.estudantesdabiblia.com.br/images/cr1.gif

IV. O LEGADO DE ELIAS

1. Espiritual. Elias saiu de cena, mas deixou a seu discípulo um grande legado. Não era rico, mas foi um gigante na fé. E, como tal, passou ao seu discípulo um exemplo de piedade e serviço. O profeta defendeu ardorosamente o culto divino (1 Rs 18.22-36). Extremamente ousado, enfrentou o rei Acabe e predisse a grande seca sobre Israel (1 Rs 17.1). Somente um homem com semelhante fé em Deus seria capaz de protagonizar os fatos narrados nos livros de Reis (1 Rs 17.8-23; 18.41-46). Eliseu viveu nesse contexto, foi influenciado por ele e teve esse legado como herança.
2. Moral. O profeta Elias não era apenas um homem de grandes virtudes espirituais; era também portador de singulares predicados morais. O seu valor e coragem são perceptíveis no relato bíblico. Ele confrontou os profetas de Baal e reprimiu-os severamente (1 Rs 18.19). A percepção do que era certo, ou errado, do que era justo, ou injusto, era bem patente na vida de Elias. Por isso ele teve autoridade moral e espiritual para repreender severamente a Acabe, quando este consentiu no assassinato de Nabote (1 Rs 21.17-20).
Eliseu aprendera que ninguém conseguirá ser um homem de Deus como Elias o foi, se não possuir valores morais e espirituais bem definidos.

Descrição: http://www.estudantesdabiblia.com.br/images/cr1.gif

SINOPSE DO TÓPICO (IV)

Ninguém conseguirá ser um homem de Deus como Elias o foi, se não possuir valores morais e espirituais bem definidos.

Descrição: http://www.estudantesdabiblia.com.br/images/cr1.gif

CONCLUSÃO

A história de Elias e de seu sucessor, Eliseu, é instrutiva para a liderança espiritual. Com Elias, aprendemos que os líderes são humanos e, portanto, suscetíveis a falhas. Aprendemos que a história do reino de Deus é construída por homens que se dispõem a obedecê-lo.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA


MERRILL, E. H. História de Israel no Antigo Testamento: O reino de sacerdotes que Deus colocou entre as nações. 6 ed., RJ: CPAD, 2007.

EXERCÍCIOS


1. De que forma o Senhor corrigiu a compreensão que Elias possuía dos fatos?
R. Mostrando a ele que havia ainda sete mil fiéis e, portanto, ele não havia trabalhado em vão.

2. De que forma Eliseu reagiu ã chamada divina?
R. Sacrificando os animais e deixando o convívio familiar para acompanhar Elias.

3. De que forma Eliseu demonstrou ser um homem virtuoso?
R. Demonstrando discernimento, perseverança e vigilância.

4. Cite os legados deixados pelo profeta Elias listados na lição.
R. Moral e espiritual.

5. Como podemos perceber o valore coragem de Elias no relato bíblico?
R. Ele confrontou os profetas de Baal e reprimiu-os severamente.

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO


Subsídio Bibliográfico

“Eliseu, o sucessor
Poucos substitutos nas Escrituras foram tão eficientes quanto Eliseu que foi o sucessor de Elias como profeta de Deus para Israel. Mas Eliseu teve o profeta Elias como um grande exemplo a ser seguido. Ele permaneceu com Elias até os últimos momentos da vida do seu mestre na terra. Estava disposto a seguir e aprender a fim de receber poder para fazer o trabalho o qual Deus o havia chamado.
Tanto Elias como Eliseu concentraram seus esforços nas necessidades do povo que estava ao seu redor. O impetuoso Elias confrontou e expôs a idolatria, ajudando a criar uma atmosfera onde o povo pudesse adorar a Deus livre e publicamente. Eliseu então agiu com a finalidade de demonstrar a poderosa natureza de Deus, ainda que cuidadosa, para todos aqueles que vieram a ele em busca de ajuda. Ele passou mais tempo cuidando compassivamente do povo do que em conflitos contra o mal. A Bíblia registra 18 encontros entre Eliseu e as pessoas necessitadas. Eliseu teve uma visão mais ampla e de maior alcance na vida do que a maioria das pessoas, porque reconheceu que em Deus havia mais bênçãos a favor da vida. Ele sabia que tudo o que somos e temos vem de Deus” (Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. 1 ed., RJ: CPAD, 2004, p.516).

SUBSÍDIOS ENSINADOR CRISTÃO


O legado de Elias

A Bíblia nos mostra que Elias deixou uma herança para as gerações posteriores, e seu legado foi visto na pessoa de Eliseu, em atitudes, milagres e espiritualidade. Sobre esse assunto, duas observações devem ser feitas:
Onde Eliseu estava por ocasião de sua chamada. A Palavra nos diz que Eliseu estava “lavrando com doze juntas de bois” quando Elias, por orientação divina, o escolheu para ser profeta em seu lugar. Não raro, a Bíblia nos apresenta profetas de Deus que tinham uma vida produtiva na sociedade, que contribuíam com seu trabalho. Eliseu estava lavrando a terra quando foi chamado por Deus. Amós era boiadeiro, e foi escolhido por Deus para falar nos reinados de Uzias, em Judá, e de Jeroboão II, em Israel. Daniel, além de profeta, era um exímio administrador, e ocupou diversos cargos fora dos limites de Israel. Portanto, Deus nos quer como seus servos e tendo uma vida produtiva na sociedade em que vivemos.
O exemplo deixado por Elias. Elias deixou um exemplo de dedicação ao trabalho do Senhor. A forma como foi usado por Deus confrontando Acabe é um exemplo para todos os que são seduzidos a adular as lideranças ímpias. Elias também foi um exemplo de obediência em relação à sua substituição. Conforme a orientação de Deus, convocou para o ministério profético Eliseu, que seria seu substituto, um fato que deve nos servir de inspiração: Elias não teve receio de ser substituído por outra pessoa. Não teve medo de Eliseu ser mais conhecido que ele, ou de ser mais “poderoso” nem de ter um ministério mais longo. Elias simplesmente obedeceu a Deus e “formou” Eliseu, deixando para Israel um profeta de grande quilate.
Há líderes que se tornam tão vaidosos que não admitem ser substituídos. Mas Deus espera que o seu trabalho continue, e todos temos um tempo definido por Deus para trabalhar para Ele. Quando formos desafiados por Deus a ser substituídos, não devemos imaginar que estamos sendo descartados, ou que Deus não nos quer mais em seu serviço. Além disso, as novas gerações precisam ter sua oportunidade de servir com seus talentos ao Senhor. O próprio Jesus deixou claro que seus seguidores fariam coisas maiores do que Ele mesmo fez, exceto a salvação, é claro (Jo 14.12). Se o Mestre deu o exemplo de humildade, porque não o podemos seguir?


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Online