Pessoas que gostam deste blog

Lição 06 - 2º Trimestre de 2016 - Gozo: a alegria do Espírito Santo

LIÇÃO 6 – 08 de maio de 2016 – Editora BETEL

Gozo: a alegria do Espírito Santo

SLIDES / Visualizar / Baixar



VÍDEO 1


VÍDEO 2


VÍDEO 3


VÍDEO 4


TEXTO ÁUREO

“Disse-lhes mais: Ide, comei as gorduras, bebei as doçuras e enviai porções aos que não têm nada preparado para si; porque este dia é consagrado ao nosso Senhor. Portanto, não vos entristeçais, porque a alegria do Senhor é a vossa força.” Ne 8.10

VERDADE APLICADA

Quem tem a Cristo, mesmo em momentos difíceis, experimenta a alegria do Espírito Santo.

OBJETIVOS DA LIÇÃO

Ensinar como experimentar um sentimento maravilhoso;
Mostrar como nos é garantida uma alegria duradoura;
Revelar como podemos nos alegrar em tempos difíceis.

GLOSSÁRIO

Contramão: Direção contrária;
Detrimento: Perda, dano, prejuízo;
Vindouro: Que há de vir ou acontecer; futuro;

TEXTOS DE REFERÊNCIA

SI 32.11 - Alegrai-vos no Senhor e regozijai-vos, vós, os justos; e cantai alegremente todos vós que sois retos de coração.
Jo 15.10 - Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, do mesmo modo que eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai e permaneço no seu amor.
Jo 15.11 - Tenho-vos dito isto para que o meu gozo permaneça em vós, e o vosso gozo seja completo.
Fp 4.4 - Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai--vos.

HINOS SUGERIDOS
196, 210 e 296.

MOTIVO DE ORAÇÃO
Ore para que a alegria do Espírito Santo seja constante em sua vida.

Uma alegria inigualável
            O mundo secular não nos oferece muitos motivos de alegria. Somos levados por uma vida corrida, buscando a sobrevivência num dia-a-dia acelerado, sem tempo para a apreciação de coisas aparentemente simples, que nos causam prazer e alegria sem custo nenhum. Está cada vez mais difícil gozar da companhia de nossos familiares, nos reunirmos à mesa durante as refeições para conversar sem compromisso.
            As imposições da mídia de propaganda atrelam nossa felicidade à aquisição de bens materiais fúteis e desnecessários, além de estimular comportamentos alheios e contrários aos princípios da Palavra de Deus.
            Felizmente para nós, cristãos, os valores são outros e, mesmo em um momento especialmente atribulado como esse atual, é imperativo que não percamos o foco. Continuando a servir a nosso Senhor e Salvador Cristo Jesus, estamos protegidos dessas investidas do inimigo. Lendo a Palavra Santa, temos o norte necessário para uma vida de santificação.
            Observando esses princípios tão valiosos, continuamos tendo contado com nosso Amigo e Consolador, o Espírito Santo de Deus, e essa relação mútua e frutífera nos proporciona a oportunidade de cultivar o fruto por Ele plantado em nós. É desse fruto que podemos colher, sem medo de ser feliz, a alegria. Alegria essa que não pertence a esse mundo, mas vem diretamente do Trono do Altíssimo para nossos corações, nos renovando a certeza de um encontro real com o Criador.
            Observemos, pois, essa realidade maior para que possamos usufruir desse gozo e dessa alegria sem par.
            Uma excelente lição, na Paz do Senhor Jesus Cristo!
            Márcio Celso - Colaborador

Introdução
A alegria produzida pelo amadurecimento do fruto do Espírito Santo é algo inigualável. Não existe nenhum sentimento humano que possa ser comparado a ela.

1. Um sentimento maravilhoso
Dando sequência em sua apresentação acerca do fruto do Espírito, Paulo nos mostra que, quando desfrutamos da característica do fruto, representada no grego pela palavra “xapá” = [“chara”], ou seja, gozo, passamos a sentir uma maravilhosa sensação de alegria e felicidade por todas as coisas que recebemos de Deus pela Sua infinita graça (Ef 2.8-9).

1.1. Uma alegria de dentro para fora
A alegria do servo de Deus não pode estar atrelada a coisas passageiras, programas de televisão e as informações midiáticas que só tentam nos afastar do verdadeiro propósito do Senhor para nossas vidas. O intento do Criador é nos apresentar uma alegria constante e permanente, que só conhece aquele que desenvolve esta característica do fruto do Espírito (At 13.52). Na contramão deste propósito, temos hoje o uso da tecnologia de forma exagerada, tentando nos levar a uma dependência completa dos meios de comunicação. Ser dependente de estímulos externos nos impede de produzir o amadurecimento do fruto do Espírito, pois, para que o amadurecimento ocorra, devemos fazer uso de estímulos internos.
Explique para os alunos que toda mudança produzida no homem pela ação do Espírito de Deus começa de dentro para fora (Sl 30.11). Sendo assim, o servo de Deus não tem motivos para buscar alegria através de coisas produzidas por homens. Reforce para os alunos que aquele que recebe a Jesus Cristo recebe também o fruto do Espírito Santo. Logo, se existe a presença do fruto do Espírito, cabe ao indivíduo desenvolver o seu amadurecimento. Merece ser especialmente ressaltado para os alunos que com o amadurecimento do fruto vem também a produção da alegria.

1.2. Uma alegria permanente
Quando o homem passa a viver uma vida dependente dos meios de comunicação e da tecnologia, ele começa a se afastar da comunhão que desfrutava com o Criador através da oração e da leitura sistemática da Palavra de Deus (Cl 4.2). Tal perda de comunhão irá sufocar no indivíduo o sentimento de alegria provocado pela presença do Espírito Santo. A presença do Espírito Santo deve ser constante na vida daquele que busca desenvolver o fruto do Espírito. Muitos têm se deixado levar por momentos de alegria passageira em detrimento de uma alegria duradoura e que nos é dada para ser definitiva. O gozo produzido pelo amadurecimento do fruto do Espírito Santo permanecerá em nós por toda eternidade.
Enfatize para os alunos que o texto de Lucas 10.17-19 nos mostra o quanto os discípulos de Cristo estavam alegres por verem os demônios sendo subjugados pelo poder do nome de Jesus. Mas, ao ver tamanha alegria de Seus discípulos, o Mestre os revela que aquilo que eles estavam vendo não era motivo para tanto, pois haveriam de se alegrar por terem eles o seu nome escrito no céu (Lc 10.20). Comente com os alunos que a alegria proposta por Jesus deve habitarem nossos corações pela certeza da nossa salvação (Sl 51.12). O gozo produzido pelo fruto estará presente em nós por toda eternidade.

1.3. Quem está em Cristo vive alegre
A principal característica humana que nos difere dos outros animais é o raciocínio. O homem foi dotado por Deus de entendimento para que pudesse adorar ao Criador de forma racional (Rm 12.2). A razão humana capacita o homem a glorificar a Deus e receber d’Ele aquilo que for necessário para uma vida plena. Enquanto o homem sem Deus sofre com muitas dores, o servo fiel vive cercado pelas misericórdias do Senhor (Sl 32.10). Tais misericórdias proporcionarão ao justo uma vida de gozo, isto é, alegria e louvores perpétuos ao Todo Poderoso (Sl 32.11). Louvar a Deus é reconhecer de coração as bênçãos que recebemos através de Sua infinita bondade. Logo, ser alegre é uma característica de todo aquele que vive uma vida em Cristo.
Explique para os alunos que mesmo que o servo fiel não esteja vivendo em condições ideais isto não pode afastar a alegria do Espírito de sua vida. Em um dos momentos mais difíceis vividos pelo apóstolo Paulo, ele encontrou forças para exortar os crentes a alegrarem-se sempre no Senhor (Fp 4.4). Comente com os alunos que, ao escrever aos Filipenses, Paulo estava aprisionado em condições sub-humanas, mas nem assim perdeu a graça de Deus que o fazia feliz em Cristo. Ressalte para os alunos que lembrar-se sempre das bênçãos recebidas do Senhor irá nos alegrar e fazer com que não valorizemos as perdas sofridas por Cristo (Fp 3.8).

2. Alegrando-se em tempos difíceis
Viver neste mundo não é nada fácil. A cada dia fica mais claro que estamos próximos da vinda de Jesus (Ap 22.20), porém sabemos que enquanto isto não ocorre teremos que ser sustentados pelo poder do Espírito Santo, que nos permite viver alegres em meio às tribulações.

2.1. Deus age produzindo alegria
O amadurecimento do fruto do Espírito Santo tem a incrível capacidade de modificar a situação do homem. Por pior que seja o momento pelo qual o indivíduo está passando, a alegria se fará presente pelo simples fato do agir de Deus (SI 30.11). Para Deus, não há mal que Ele não possa debelar (Is 65.18). Quando tudo parecer perdido, ore, porque a oração funciona como adubo para o amadurecimento do fruto do Espírito. A cada dia recebemos através da mídia notícias que nos entristecem por vermos a queda moral da raça humana. O mundo vive uma falsa alegria, mas, para os salvos, Jesus Cristo prometeu que converteria a tristeza em alegria (Jo 16.20).
Merece ser especialmente comentado com os alunos que, enquanto o mundo vive uma falsa alegria sem saber o que há de lhe acontecer no futuro, o homem justo e fiel a Deus vive uma alegria interior verdadeira, que lhe garante uma bênção futura (Mt 5.12a).

2.2. Desfrutando do gozo do Espírito
O gozo e a alegria que o mundo espera viver estão baseados em prazeres da carne (Rm 8.8). Tais prazeres são efêmeros, pois não podem ser experimentados na eternidade. A alegria de poder viajar, morar em locais privilegiados, se alimentar de comidas finas certamente não irá nos acompanhar em nossa vida futura. Essa alegria experimentada em nosso corpo físico cessará com a desintegração deste corpo. Entretanto, o gozo do Espírito pode ser experimentado tanto neste corpo quanto no vindouro. Fica claro então para nós qual deve ser o gozo que devemos escolher experimentar. O texto de Isaías 9.3 nos mostra como podemos nos alegrar por coisas materiais, não estando impedidos de nos alegrar na presença do nosso Deus em espírito.
Comente com os alunos que se nos deixarmos levar por tudo que nos é proposto pelos canais de comunicação, ficaremos à mercê de tudo que o inimigo espera que valorizemos. Em sua carta aos Colossenses, Paulo nos adverte que devemos valorizar as coisas que são do alto e não as que são terrenas (Cl 3.1-2). Ressalte para os alunos que se o gozo produzido pelo amadurecimento do fruto do Espírito nos é entregue pelo Senhor, logo devemos fortalecer nossos sentimentos e desejos em Jesus Cristo, o autor e consumador da nossa fé (Hb 12.2), pois, assim como, com alegria, Ele suportou a morte na cruz, nós também experimentaremos com gozo a vida eterna com Ele.

2.3. Testemunho de louvor
O livro de Atos dos Apóstolos nos mostra que em diversos momentos a Igreja do Senhor sofreu perseguição sem, contudo, perder a alegria gerada pela ação do Espírito Santo (At 2.46). Entretanto, em uma passagem mais que especial Lucas nos conta acerca da prisão de Paulo e Silas. No capítulo 16 deste livro, vemos que os servos de Deus deveriam ter todos os motivos para sentirem-se perdedores, porém a alegria sentida por eles era tão imensa que os mesmos cantavam sem parar, até que o Senhor os libertou com um terremoto. Podemos perceber como Deus se alegra quando damos testemunho de louvor. O testemunho de louvor é uma prova íntima de alegria produzida no fruto do Espírito.
Explique para os alunos que mesmo vivendo uma situação de aparente derrota o cristão sempre será um vencedor e por este motivo sempre expressará o gozo do Espírito. Enfatize para os alunos que o posicionamento de Paulo e Silas naquele momento, que parecia ser o fim, impactou o carcereiro, que não se conteve em desejar experimentar o motivo de tamanha alegria expressada pelos servos do Senhor. Comente com os alunos que a certeza da salvação produz no indivíduo um gozo indescritível que só percebe quem recebe o fruto do Espírito (At 16.30-31). Comunique a eles que os momentos ruins podem até ser comuns em nossas vidas, mas o gozo do fruto do Espírito Santo certamente nos ajudará a superá-los.

3. Lições práticas
Estamos vivendo dias em que toda sorte de notícias chega até nós de maneira inesperada. A surpresa provocada por tais notícias são, em muitos casos, a causa de um profundo sentimento de tristeza (Jo 16.33).

3.1. O Senhor garante uma alegria duradora
Tanto nos momentos de grandes provações como nos momentos em que somos pegos de surpresa com alguma má notícia, é comum nos sentirmos abatidos. A aceleração da produção de alta tecnologia tem nos colocado cada vez mais rápido em contato com os acontecimentos, produzindo em muitos um terrível sentimento de tristeza, mas o nosso Senhor nos garante que em breve seremos presenteados com uma alegria que ninguém poderá tirar de nós (Jo 16.22).
Comente com os alunos que para todos os que esperam em Jesus Cristo está garantida uma trajetória sem cansaço e desistência (Is 40.31). Reforce para os alunos que a alegria produzida pelo amadurecimento do fruto do Espírito Santo supera todo sentimento de tristeza produzido pelos apelos midiáticos e tecnológicos.

3.2. Depender de Deus nos torna forte
Existem pelo menos duas coisas que devem garantir a alegria que provêm do amadurecimento do fruto do Espírito Santo. Primeiro, a certeza de que teremos o nome escrito nos céus (Lc 10.20). Segundo, a prova de uma comunhão íntima com o Criador. Quando desfrutamos desta comunhão, passamos a sentir uma alegria intensa, pois sabemos que estamos vivendo uma vida onde depender de Deus é certeza de que alcançaremos a nossa vitória (Fp 4.13). Depender de Deus nos torna fortes e tira de nós a tristeza promovida pelas incertezas acerca do futuro, plantadas pela mídia para desestabilizar a sociedade.
Explique para os alunos que nem tudo que é veiculado pela mídia tem por interesse desestabilizar a sociedade. Reforce para eles que, entretanto, existem algumas notícias que nos deixam preocupados com o que está acontecendo à nossa volta, mas para o cristão tais notícias não devem incomodar. Enfatize para eles que ser cristão é poder experimentar as bênçãos de Deus sem estar preocupado com as circunstâncias que hão de vir (Mt 6.25-34).

3.3. Experimentando a perfeita alegria
Se permanecermos em Jesus Cristo, veremos a manifestação do Seu amor por nós e experimentaremos a Sua alegria em nós. Quando experimentamos esta alegria, temos a garantia de que em nós haverá abundância de alegria, produzindo em nós uma alegria completa (Jo 15.10-11). Esta alegria completa não permite que nada que nos seja apresentado possa nos tirar do foco de estar em Cristo.
Comente com os alunos que não é fácil ficar firme em meio aos terríveis acontecimentos que rodeiam a Terra, mas é possível permanecer firme naquilo que nos prometeu o Senhor (Hb 10.23). Ressalte para os alunos que ganhar o mundo inteiro possivelmente não é uma garantia da salvação de nossa alma, mas permanecer firme em nosso Senhor Jesus Cristo certamente irá nos garantir a alegria, proveniente do amadurecimento do fruto do Espírito Santo.

Conclusão
O gozo produzido pelo amadurecimento do fruto do Espírito Santo nos garantirá mais momentos de felicidade do que possa tentar nos entristecer Satanás, através de notícias e informações apelativas. Sigamos firmes, não olhando nem para a direita nem para a esquerda (Tg 1.2).

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

Revista da Escola Bíblica Dominical • 2º Trimestre de 2016 - Ano 26 - Nº 99 - Professor

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Eu vejo hoje em dia muitos crentes, que aparentemente estão alegres, mas bem verdade estão interiormente triste, devido as varias coisas que acontece a sua volta, e que muitas das vezes não achamos uma resposta, mas o que esta faltando mesmo é valorizar uma vida eclesiástica com Cristo, falei andar com Ele em espírito, como sempre digo que Nele seremos completos; e além do mais, buscam refúgios em satisfação exterior, baseado neste tema virtual, que é as redes sociais e internet. E nestes momentos virtuais teremos uma distração, e se alegraremos momentaneamente, com um só click, assim como vem; vai, tendo o começo da euforia e seu fim; e o pior é saber que no final estaremos vazios espiritualmente, e sem um propósito em relação a nossa existência; Sendo que Deus através de Jesus nos faz alimentar-se da videira verdadeira, para assim viver uma vida frutífera, e completa na presença de Deus. Só o fato de sermos salvos, isto já é um grande motivo de alegria, então cabe a cada um de nós valorizarmos o nosso chamado, e desfrutar a cada dia da presença do Espírito Santo em nós, porque somos o templo do Espírito Santo. E para vivermos uma vida satisfatoriamente bem e feliz, é necessário deixar Cristo entrar em seus corações, como Ele mesmo disse; Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele Comigo, e onde à ceia, tem festa, e onde tem festa, imperará a alegria, e subsequentemente a isso será saciado e alimentado, como diz a bíblia; Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna. Oh Glória!

    ResponderExcluir

Online