Pessoas que gostam deste blog

Lição 01 - 2º Trimestre de 2017 - O chamado de um profeta

Lição 01 – 02 abril de 2017 – Editora BETEL

O chamado de um profeta

SLIDES VISUALIZAR / BAIXAR

HINOS SUGERIDOS

HINO 141



HINO 166



HINO 394



VÍDEO 1


VÍDEO 2


VÍDEO 3


VÍDEO 4


TEXTO ÁUREO
Comentarista: Pastor Clementino de Oliveira Barbosa

“Antes que te formasse no ventre, te conheci; e, antes que saísses da madre, te santifiquei; às nações te dei por profeta.” Jr 1.5

VERDADE APLICADA
É preciso que primeiro reconheçamos a vocação que nos é dada por Deus e, assim, cumprirmos a missão.

OBJETIVOS DA LIÇÃO
Apreciar que Deus escolhe e capacita pessoas para Sua missão;
Reconhecer que a convocação tem que partir do Senhor;
Mostrar aos alunos que Deus conta com homens fiéis na Sua obra.

GLOSSÁRIO
Contexto: Circunstâncias que acompanham um fato ou uma situação;
Linhagem: Genealogia; linha de parentesco;
Redigir: Escrever.

LEITURAS COMPLEMENTARES
Segunda:                 Terça:                       Quarta:
Jr 1.9                         Jr 1.10                       Jr 1.12
Quinta:                      Sexta:                       Sábado:
Jr 1.17                       Jr 1.18                        Jr 1.19

TEXTOS DE REFERÊNCIA
Jr 1.4  Assim veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo:
Jr 1.5  Antes que te formasse no ventre, te conheci; e, antes que saísses da madre, te santifiquei; às nações te dei por profeta.
Jr 1.6  Então, disse eu: Ah! Senhor JEOVÁ! Eis que não sei falar; porque sou uma criança.
Jr 1.7  Mas o SENHOR me disse: Não digas: Eu sou uma criança; porque, aonde quer que eu te enviar, irás; e tudo quanto te mandar dirás.
Jr 1.8  Não temas diante deles, porque eu sou contigo para te livrar, diz o SENHOR.

HINOS SUGERIDOS
141, 166 e 394.

MOTIVOS DE ORAÇÃO
Ore pela liderança da igreja.

Introdução
Neste trimestre, estudaremos o livro do profeta Jeremias, cuja mensagem foi direcionada, inicialmente, ao reino de Judá, para que o povo se arrependesse dos seus pecados e voltasse à sua adoração ao Senhor.

O homem e sua missão
O tema predominante de Jeremias é a pecaminosidade nacional e o juízo iminente. O ministério de mais de quarenta anos de Jeremias estendeu-se pelos últimos dias da existência de Judá como nação independente. Advertiu seu país repetidas vezes a que se submetesse à Babilônia, nação que Deus escolhera para disciplinar Seu povo. Como resultado, foi odiado e considerado traidor de seu povo, e sua vida foi constantemente ameaçada.
Mas Jeremias viveu para ver suas palavras se tornarem realidade. Esse homem, às vezes chamado “profeta chorão”, em virtude da angústia pessoal que experimentou em seu ministério, testemunhou a destruição total de Jerusalém e do Templo que ele, como tantos outros judeus, tanto amava.
            O livro de Jeremias pode ser dividido em seis partes:
1.    A missão de Jeremias – Capítulos de 1 a 10.
2.    A aliança quebrada – Capítulos de 11 a 20.
3.    O juízo está próximo – Capítulos de 21 a 29.
4.    Novas promessas de aliança – Capítulos de 30 a 39.
5.    A queda de Jerusalém – Capítulos de 40 a 51.
6.    Apêndice histórico – Capítulo 52.
Jeremias nasceu por volta de 648 a.C. e cresceu na mesma época do avô de Manassés, Josias. Por morar apenas a poucos quilômetros de Jerusalém e ser oriundo de família sacerdotal, provavelmente estava bem familiarizado com a situação política de Judá.
Aos vinte anos de idade, em 627 a.C., Deus o convocou para o ministério de profeta. Jeremias argumentou que era muito jovem, mas Deus respondeu: “Não diga que é muito jovem. A todos a quem eu o enviar, você irá e dirá tudo o que eu lhe ordenar. Não tenha medo deles, pois eu estou com você para protegê-lo” (Jr 1.7-8 NVI).
Jeremias também foi informado de que seu ministério seria de juízo e castigo, mas que haveria um restabelecimento da esperança.
O chamado deu o tom para a longa vida de Jeremias. Obediente, advertiu os conterrâneos a se renderem à Babilônia, pois Deus lhe mostrara que esta seria sua ferramenta de castigo. Tal exigência só poderia ser vista como traição. Por isso, Jeremias foi preso, e sua vida, ameaçada. Seu ministério foi constantemente rejeitado pelo povo de Deus.
Jeremias viveu e ministrou durante uma série de reinados. O primeiro foi o do piedoso Josias. Depois enfrentou uma sequência de reis maus: Jeoaquim, Jeoacaz, Joaquim, Zedequias e Gedalias.
Jeremias foi um profeta na acepção mais correta do termo. Admoestou à nação de Judá e apesar das ameaças constantes sofridas durante toda a sua vida, foi fiel ao Senhor, não se rendendo sob nenhuma circunstância. Não renegou o chamado de Deus quando jovem, apesar da sua insegurança e das consequências que, sabia, haveriam de vir. Dedicou a sua vida ao difícil ministério de ser arauto do Deus Altíssimo.
A nossa realidade atual espelha de forma interessante os tempos de Jeremias. Estamos vivendo momentos de apostasia, somos subjugados por governantes ímpios e cruéis. As influências estranhas ao nosso credo, como cristãos, pululam de todas as partes, vindas de todos os cantos do mundo e das mais diversas nações.
A sociedade está se transformando numa nova Babilônia. Cada um cultua os seus próprios deuses, em detrimento de nosso Senhor. Suas iniquidades já chegam com odor fétido à presença do Altíssimo.
Quais profetas atendem verdadeiramente ao chamado de nosso Deus atualmente? Quantos líderes do Evangelho têm coragem para confrontar essa ordem mundial corrompida? Quais os que se rendem a Mamom? Onde estão os impolutos e verdadeiramente consagrados na missão por Deus confiada, para anunciar tempos de castigo e juízo?
A abertura da Revista da Escola Bíblica Dominical Betel sobre Jeremias, já nessa primeira lição, nos leva à reflexão da condição de cada um de nós, que poderíamos estar no lugar de profetas, mas, às vezes, preferimos nos recolher à nossa insignificância.
Não necessitamos de muito para levar o Evangelho de Jesus aos nossos semelhantes. Contidos nos ensinamentos do Mestre, estão os mais preciosos conselhos e as mais severas críticas e admoestações a toda a humanidade sem restrições.
A pura verdade da Palavra de Deus que causa impacto e transforma vidas, deve ser ministrada com urgência e veemência tanto fora quanto dentro das quatro paredes de nossas igrejas.
O povo continua perecendo por falta de conhecimento (Os 4.6).
Uma abençoada e produtiva semana, na Paz do Senhor Jesus Cristo!
Márcio Celso - Colaborador

1.         Um profeta eleito por Deus
Para eleger líderes, Deus se fundamenta na Sua soberania. A eleição de Jeremias como profeta é descrita por um chamamento do próprio Deus (Jr 1.5). A Bíblia corrobora que Deus levantou profetas para executar os Seus planos para a nação de Judá. Ele escolhe Jeremias, que a princípio tenta recusar o chamado.

1.1.        A autoria do livro
A atuação do ministério profético de Jeremias foi no reino do Sul, Judá, durante os últimos quarenta anos de sua história (627-586 a.C.). O livro de Jeremias estende-se desde o ano 13 do reinado do rei Josias (Jr 1.2), até a primeira parte de cativeiro da Babilônia, tendo o próprio Jeremias como principal personagem deste contexto. O autor do livro é Jeremias (Jr 1.1). Ele mesmo registrou parte de suas profecias (Jr 36.1,3). Depois de profetizar durante anos em Judá, Jeremias foi comissionado por Deus a deixar sua mensagem por escrito (Jr 26.2). Mais tarde, vai se valer do seu escriba, Baruque, para redigir suas palavras (Jr 36.4). Assim sendo, a autoria do livro de Jeremias é fato comprovado. A Bíblia nos informa que outras pessoas atribuem a autoria do livro a Jeremias: Daniel e Esdras (Dn 9.2; Ed 1.1).
Jeremias escreveu parte de suas profecias e teve o auxílio de seu escriba, Baruque, para escrever o restante. Assim sendo, a autoria do livro de Jeremias é fato confirmado. A função do escriba era escrever e analisar os documentos importantes da época. Para ser escriba, não poderia ser qualquer um, tinha que ser uma pessoa instruída. O requisito principal era saber ler e escrever. Também deveria ser conhecedor das ciências da época, sobretudo matemática, direito, desenho, artes, etc. Esses homens trabalhavam em cargos elevados nos governos, preparando documentos importantes para os nobres. O escrivão Baruque, embora citado somente em quatro capítulos das Escrituras, é bem conhecido dos estudiosos da Bíblia como fiel secretário e bom amigo do profeta Jeremias.

1.2.     As origens do profeta
Jeremias era de uma linhagem sacerdotal. Era membro da família de Hilquías (Jr 1.1). Pela sua linhagem sacerdotal, ele poderia ter desempenhado sua ocupação sacerdotal, o que lhe traria privilégios, além de segurança. Jeremias entendeu sua chamada, trocou todo o conforto do sacerdócio para deixar Deus usá-lo em sua missão. Sua cidade natal era Anatote, perto de Jerusalém e estava situada na terra de Benjamim, que foi dada aos filhos de Arão. Era uma aldeia a 5 km a nordeste de Jerusalém, na mesma região onde o sacerdote Abiatar foi exilado por Salomão.
O sacerdote era um instrumento de Deus que tinha como função ser mediador entre Deus e os homens. Era um indivíduo poderoso que exercia sua autoridade através de suas palavras ou de seus conselhos, alguém que dava instruções por inspiração divina. Todos os sacerdotes deveriam vir da tribo de Levi (Dt 17.9,18). O simples motivo de uma pessoa ser levita não fazia dele um sacerdote. Para exercer tal função era imprescindível o chamado de Deus (Hb 5.4). Para ser consagrada ao sacerdócio a pessoa tinha de estar isenta de quaisquer deformidades físicas.

1.3.     O profeta não foge à luta
A fidelidade de Jeremias nos ensina que devemos ser audaciosos no cumprimento de nossa missão no mundo. Este livro é muito prazeroso de se ler. Não se pode apreciar a História Antiga sem compreender a história do povo de Israel neste período. É neste contexto que Deus iria levantar um dos maiores profetas que a História teria conhecimento. É provável que Jeremias tenha dado início ao seu ministério profético em Anatote. Contudo, foi perseguido, almejaram matá-lo em sua própria terra, segundo Jeremias 12.6. Jeremias dará ênfase a um quesito indispensável a qualquer povo: o de jamais abandonar os princípios de Deus. Ele profetizou durante cinco reinados distintos. Foram os seguintes monarcas: Josias, Jeoacaz, Jeoaquim, Joaquim e Zedequias.
Jeremias teve sua atuação profética na gestão de cinco monarcas distintos. É interessante pesquisar a importância positiva e negativa de cada um deles para a história de Israel.

2.         Um profeta comprometido com Deus
O profeta Jeremias viveu em um período que tinha como cenário político disputas por um território muito importante, conhecido como Crescente Fértil. Diante dessas disputas, Jeremias se manteve fiel ao Deus de Israel, diferentemente dos líderes da nação, que estavam envolvidos em um grau de depravação moral sem fim (Jr 2.11).

2.1.     O profeta da esperança
Jeremias exerceu seu ministério profético em um dos momentos mais críticos da história do povo de Deus. Entretanto, Deus sabia que podia contar com Ele. Deus tinha certeza que Jeremias enfrentaria a elite governante e os desejos pervertidos do povo de Judá sem se contaminar. Deus fez Jeremias saber que sua vida seria de sofrimentos e de dor, mas era para ele não desanimar diante das adversidades (Jr 26.12-13).
O Crescente Fértil é uma terra fixada entre o Oriente Médio (vales dos rios Tigre e Eufrates) e nordeste da África (vale do rio Nilo). Recebeu este título, pois, vista no mapa, a região tem um contorno de uma lua em fase crescente. Já o termo fértil é devido à fertilidade do solo nos vales dos rios Nilo, Tigre e Eufrates. Entre tantos sofrimentos, o profeta Jeremias não negou a sua convocação de ser porta-voz de Deus ao povo. Ele tinha convicção que cada dor valeria a pena. A sua chamada era inegociável. O profeta Jeremias expôs um espírito de plena obediência ao aceitar o desafio da missão profética. Ele sabia que não teria outra razão para viver a não ser andar conforme a pretensão divina.

2.2.     Chamado em tempos de crise
Como é difícil ser chamado por Deus quando a situação não está de acordo com a sua vontade. Crise após crise ia aproximando Judá a passos largos da destruição (Jr 2.5). As agitações políticas e religiosas se faziam presentes neste contexto histórico. O profeta Jeremias, em meio a toda essa turbulência, não se acovardou. O povo de Israel cometeu dois pecados (Jr 2.13). Primeiro, foi o abandono do Senhor. Segundo, foi cavar cisternas rotas, isto é, cisternas que não retêm água.
A palavra cisterna provém do hebraico e significa “lugar cavado”. Esta palavra aparece na Bíblia cerca de 67 vezes e apenas no Antigo Testamento. Cisternas rotas não guardam água, tinham alguma brecha, simbolizando o homem na sua busca desenfreada pelos deleites do mundo, não guardando os bens confiados pelo Senhor. Deus não é uma cisterna, Deus é uma fonte de água viva, Jesus cristo é a verdadeira fonte (Jo 4.13).

2.3.     Desafios da chamada no mundo contemporâneo
Vivemos em um momento onde muito se é dito e escrito de ruim sobre esta geração de cristãos. Os líderes têm que ensinar nos púlpitos para esta geração de adoradores que a religião cristã hoje nos dá a liberdade de nos aproximarmos de Cristo sem intermediários (1Tm 2.5). Esta geração tem que ter consciência de que sua busca pela verdade só terá fim quando aprenderem a desejar o Senhor de todo coração (Sl 37.4). É ter a certeza de que somente a sede por Deus nos satisfaz de verdade (Sl 42.2).
Somente a sede por Deus nos dá ânimo para continuarmos a viver em Cristo e não somente a sede por Suas bênçãos. A intimidade com Deus nos dá força para avançarmos para as coisas que estão diante de nós (Fp 3.13).

3.         O profeta e a vontade de Deus
Ao estudar o livro de Jeremias, notamos que Deus apresenta um determinado propósito para ele: ser profeta (Jr 1.5). Isto é, ser porta-voz de Deus para a nação de Israel (Jr 1.9).

3.1.     Escutando a voz de Deus
Tem momentos que precisamos nos calar para ouvirmos a voz de Deus. Ser profeta não é fácil. É escutar de Deus e transmitir ao povo. Quando somos convocados e escolhidos por Deus, é necessário estarmos atentos à voz d’Ele. Deus fala em múltiplos modos (Jo 33.14). Pode ser durante um culto; através de uma criança; na meditação de um versículo. Não importa o meio, o importante é que Ele fale conosco. Quando Deus fala com alguém, é porque tem um propósito (Jr 1.5). Será que você está preparado para ouvir a voz de Deus?
Todo ser humano foi criado para se relacionar com o seu Criador. Deus não escuta um em diminuição a outro. Para Deus, todos somos iguais. A base deste relacionamento está pautada na intimidade e amor. É necessário ter uma vida consagrada ao Senhor para escutarmos a voz suave do Criador. Quem se aproxima mais do Senhor goza de maior privilégio. Podemos ouvir a voz de Deus de uma forma pessoal e íntima. O Senhor se preocupa em falar conosco, para que possamos ser conduzidos, renovados e reparados regularmente.

3.2.     Jeremias e seu encanto pela voz de Deus
A prova de que conhecemos a voz de Deus é quando nos tornamos dependentes d’Ele. As Escrituras afirmam que “sem fé é impossível agradar a Deus” (Hb 11.6). Existem momentos que as lutas são tantas que pensamos em nos calar. Com Jeremias não foi diferente. Ele pensou seriamente em se calar. Então, disse ele: “Não me lembrarei dele e não falarei mais no seu nome; mas isso foi no meu coração como fogo ardente, encerrado nos meus ossos, e estou fadigado de sofrer e não posso.” (Jr 20.9). No entanto, ele não conseguiu, pois já havia provado do amor do Mestre. Ele já havia descoberto que “a voz do Senhor faz tremer o deserto” (Sl 29.8).
Jeremias se apaixonou muito cedo pela doce Palavra do Eterno. Ele suportou aflições físicas e emocionais, que lhe acarretaram marcas profundas em seu corpo. Apesar dessas provas, ele se sentiu instigado a cumprir sua designação (Jr 4.19). Uma vez tocada em sua boca, a chama nunca mais apagou (Jr 1.9). Quando pensou em se calar, a Palavra de Deus se transformou em chama dentro dele. A Palavra se convertia em fogo, em seus próprios ossos (Jr 20.7,9).

3.3.     Uma história de fé e perseverança
O Senhor nunca se cansa de convidar pessoas ao Seu Reino (Mt 11.28). Em Sua casa sempre há lugar para mais um. Aquele que ouve a voz do Senhor, nem que seja uma única vez, necessita alimentar esta chama interior. Paulo e Silas, por exemplo, mesmo na prisão, não deixaram de louvar ao Senhor (At 16.25). Seus corpos estavam presos, mas suas almas estavam livres. Não deixe que outras vozes ocupem o lugar da voz do Eterno na sua vida. Jeremias perseverou na vocação que foi chamado, tornando-se um grande homem de Deus. Jeremias foi dotado de uma mensagem profética e clara, seguiu o caminho traçado por Deus, perseverando até o fim de sua jornada.
Assim como o Senhor confiou em Jeremias, ainda sendo uma criança para realizar Sua obra, Ele deseja levantar profetas nos dias de hoje. O povo tem se corrompido como nos dias de Jeremias e precisa ser advertido dos seus pecados. O Senhor está à procura de homens fiéis para trabalhar em Sua seara.

Conclusão
O profeta Jeremias foi levantado por Deus e anunciou o castigo que viria sobre o reino de Judá, caso o povo não se arrependesse. Jeremias foi açoitado, torturado, preso e até denunciado pelos próprios amigos. Entretanto, nada disso o fez desistir de sua chamada.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
Editora Betel 2º Trimestre de 2017, ano 27 nº 103 – Revista da Escola Bíblica Dominical - Jovens e Adultos – Professor – Jeremias – Deus convoca Seu povo ao arrependimento – Pr. Clementino de Oliveira Barbosa.
Editora Central Gospel – 2010 - O Novo Comentário Bíblico – Novo Testamento – Earl D. Radmarcher, Ronald B. Allen e H. Wayne House – Rio de Janeiro.
Editora Vida – 2004 – Comentário Bíblico do Professor – Lawrence Richards.

4 comentários:

  1. Glória a Deus. Uma verdadeira lição de advertência ao povo, pois os dias são maus e o pecado tem cegado a visão espiritual de muitos. Essa lição vem confrontando a frieza que tem se abatido em muitos. Que Deus nos ajude a crescer na graça e no conhecimento da Sua palavra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, Paulo! Trocando em miúdos, a coisa está feia. Vemos mais líderes das mais diversas denominações duelando entre si nas redes sociais, do que pregando e levando a Palavra de Deus aos que necessitam. Claros sinais de apostasia e esfriamento da Noiva do Senhor. Deus tenha misericórdia de nós todos.

      Excluir
  2. Sou Assembleiano por opção e Cristão por vocação. O fato é q a Editora Betel tem q melhor muito o conteúdo da revista, pois deixa muito a desejar quando da utilização na EBD.

    ResponderExcluir
  3. Alguém pode fazer um blog das revistas do departamento infantil

    ResponderExcluir

Online