Pessoas que gostam deste blog

Revista Conectar+ Lição 07 • Compromisso ou ocasião?

Lição 7 – Compromisso ou ocasião?

Vídeo

Texto de referência
Mateus 6.25-34

Versículo do dia
“Por isso, deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á à sua mulher.” Mc 10.7.

Objetivos da lição
Entender que o namoro cristão exige compromisso e renúncia.
Aprender os princípios bíblicos para o namoro cristão.
Abolir as práticas errôneas concernentes ao namoro.

Para impactar
É dever do jovem lembrar-se de que há padrões de conduta para o namoro cristão. A ordenança das Sagradas Escrituras é clara: “E não vos conformeis com o mundo, nem com o que nele há, pois todo aquele que ama o mundo, o amor do Pai não está n’Ele.” (1Jo 2.15).

Momento de oração
Que em todo tempo sejam alvas as nossas vestes e nunca falte sobre nós a unção do Espírito Santo, que nos habilita para vencermos as investidas do maligno.

Introdução
O propósito desta lição é apontar ao jovem quais são os propósitos de Deus para o namoro cristão, quais são os padrões de conduta que deve manter antes e durante o namoro.

#Pontochave
O nosso Deus exige a nossa fidelidade em todas as áreas da nossa vida, não somente nas finanças ou no trabalho, mas nos relacionamentos também.

1. O namoro cristão
1.1. O namoro de acordo com a Bíblia
Antigamente, tanto no mundo quanto na igreja, havia padrões de conduta a serem obedecidos no namoro. Existia o que hoje é erroneamente denominado ultrapassado, careta e fora de moda. No entanto, ainda que os conceitos de certo e errado tenham mudado, os mandamentos do Mestre permanecem imutáveis, pois Ele é o mesmo, ontem, hoje e eternamente (Hb 13.8). É bem verdade que os costumes variam de uma cultura para outra, entretanto nenhum costume está acima da Palavra de Deus.

1.2. José ou Sansão?
A Bíblia relata que o sacerdote de Midiã, pai de sete filhas, deu Zípora a Moisés, ou seja, foi o pai que assim o fez.
Abraão, pai de Isaque, pediu a um servo que fosse buscar uma noiva para o seu filho Isaque. Saul deu Mical a Davi. Ainda que em alguns casos como de Mical, de Rebeca, onde as mulheres tenham sido consultadas sobre o seu pretendente, é comum nesses exemplos a participação do pai na escolha feita pelos jovens enamorados. E você, tem realizado as suas escolhas com a participação do Pai?
O interessante é observar que não há relato nas escrituras em que o moço frequentava a casa da moça, como hoje, existem namorados que moram na mesma casa. Não há argumentos para essa prática nociva. Devemos nos afastar da presença do mal e de suas investidas.
Ninguém é super crente! A única forma de não pecar é fugir do pecado. José sabia muito bem disso, já Sansão brincou com o pecado e foi enredado pelo mesmo, pagou um preço alto pela escolha que fez. E você, assumirá a posição de José ou Sansão? Tenha coragem, a recompensa será gratificante, vai valer a pena ser fiel ao Senhor.

1.3. Requisitos a serem observados
Antes do namoro é preciso responder a seguinte pergunta: estou pronto para namorar? Esta resposta precede algumas afirmações, tais como: tenho condições emocionais (tenho maturidade), financeiras (posso não ter carro, casa e outros bens, entretanto tenho emprego e perspectivas profissionais quanto ao futuro) e espirituais (tenho um relacionamento de comunhão com Deus, participo ativamente dos órgãos da igreja: canto no coral, toco na orquestra, vou à escola dominical, faço teologia, etc.).
O jovem precisa ocupar-se com as coisas de Deus, para que o mundo não se torne atrativo e ocupe o lugar das coisas espirituais.
Outra pergunta que deve ser feita: qual o propósito do meu namoro? O propósito do namoro dever ser: conhecer a outra pessoa, avaliar se as falhas e defeitos são suportáveis (ninguém é perfeito), e assim entender que o período de namoro não é para simplesmente passar o tempo ou ter uma companhia para ouvir os problemas que temos, mas sim, criar uma cumplicidade que pode se perdurar pela vida toda.

#Pararefletireadorar
“Tentação é o tentador olhando pelo buraco da fechadura para o quarto em que você vive; pecado é o ato de você destrancar a porta e fazer com que seja possível ele entrar.” J. Wilbur Campmam.

2. E depois de ficar, como fica?
2.1. O que Deus pensa sobre ficar
O hábito de ficar não surgiu na igreja e sim no mundo, é importante salientar que o mundo jaz no maligno (1Jo 5.19), portanto os hábitos mundanos são todos contaminados pelo pecado.
Se a dúvida sobre se é correto ou não ficar ocupa lugar em sua mente, procure elucidá-la de acordo com a Palavra de Deus, em Rm 14.23.
O nosso Deus exige a nossa fidelidade em todas as áreas da nossa vida, não somente nas finanças, mas nos relacionamentos também. Um conselho para você, jovem: “Namore e case com alguém que seja fiel a Deus, pois quem é fiel a Deus, será fiel ao cônjuge”. Procure atender a este conselho e certamente acertarás em sua escolha. Dificuldades, divergências de opiniões, são comuns em um relacionamento, contudo quando ambos estão firmados na rocha que é Cristo, tempestades não podem abalar o casal.

3. Buscando a direção de Deus para o namoro
3.1. Como saber se Deus tem se agradado de nossa escolha
O consentimento dos pais é o primeiro sinal de que sua escolha está sendo acertada, pois a maturidade deles nos proporcionará direção.
Outro sinal é perceber se os dois têm os mesmos propósitos espirituais, que seriam:
• Servir a Deus sem reservas.
• Respeitar a individualidade do outro.
• Trabalhar em prol da felicidade do outro.

Subsídio para o educador
Deus trata com seriedade quando o assunto é relacionamento conjugal. A Bíblia diz e, Dt 24.5 que um homem recém-casado não sairia a guerra para fazer feliz a mulher que tomou. Isso quer dizer que Deus abriu mão de um soldado que defenderia a nação israelita para fazer sua esposa feliz, porque Ele tem prazer no relacionamento de duas pessoas que se amam e se casam com o intuito de fazer o outro feliz. Muita gente hoje, escolhe seu companheiro ou companheira em redes sociais, e pode ser que até dê certo, porém o bom mesmo é escolher aos pés do Senhor Jesus (Fl 1.20).

Conclusão
Se buscarmos o bem e não o mal, o Senhor dos Exércitos estará conosco (Am 5.15). Quando priorizamos agradar a Deus, Ele supre cada uma das nossas necessidades. Devemos para isso guardar os Seus mandamentos, tendo um viver alicerçado na Palavra de Deus, buscando a santidade no relacionamento em todo tempo.

#Ficaadica
Na juventude os temas centrais da vida do indivíduo são: o amor, o trabalho e a ética. Embora o adulto jovem não seja mais “onipotente” (acha que sabe tudo e pode tudo) como o adolescente, mas mantém muita vitalidade em suas realizações, é uma idade de inúmeras produções.

Referências Bibliográficas

Editora Betel - Conectar + - Revista da Escola Bíblica Dominical – 2º Trimestre de 2017 – Ano 1 – Nº 1.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por nos visitar! Volte sempre!