Pessoas que gostam deste blog

Revista Conectar + Lição 09 - Os conflitos da fraternidade

Revista Conectar+ • 29 de maio de 2017

Lição 9 – Os conflitos da fraternidade

VÍDEO
Texto de referência
Salmos 133.1-3

Versículo do dia
“Porque eu bem sei os pensamentos que penso de vós, diz o SENHOR, (...) para vos dar o fim que esperais.” 1Co 13.13

Objetivos da lição
Entender o que é fraternidade.
Dialogar respeitando as diferenças.
Posicionar-se com maturidade diante dos conflitos entre os irmãos.

Para impactar
A advertência dada à igreja em Hebreus 13.1 é clara e concisa: permaneça no amor fraternal. Partindo deste princípio e o vinculando aos laços fraternais que envolvem a família, alcançaremos o coração do Mestre com a obediência e viveremos em paz com os irmãos.

Momento de oração
Que estejamos sensíveis e atentos à voz de Deus, para que Ele conduza  o nosso viver de acordo com a Sua vontade.

Leitura Semanal
Segunda      Terça             Quarta           Quinta           Sexta             Sábado
Pv 17.1          Rm 12.18      2Tm 1.7         Gl 5.22           1Sm 17.28    Pv 17.17       

Introdução
A família é o primeiro lugar onde se estabelece relacionamentos, a lição em pauta nos ensinará sobre a permanência do amor fraterno no lar e como esse amor deve ser demonstrado no cotidiano entre irmãos, fazendo-nos enxergar a necessidade de vivermos unidos e atendendo aos nossos irmãos em suas necessidades.

#Pontochave
“O respeito e a confiança são peças fundamentais na relação entre irmãos.”

1. O que é fraternidade?
1.1. Fraternidade, o que é isto?
Fraternidade é sinônimo de relacionamento entre irmãos que sejam vinculados por laços de sangue ou do coração, os quais estão desfrutando da mesma comunhão, necessidades ou conflitos dentro do lar.

1.2. A fraternidade ontem e hoje
É desejo do Senhor que todos os membros da família vivam unidos e desfrutem de paz. No cenário de outrora havia no lar cristão a constante presença materna e a figura paterna representando autoridade instituída por Deus. Isto colaborava com o relacionamento fraterno forte e saudável, pois o mesmo estava alicerçado em um contexto familiar estruturado nos ensinamentos divinos. Nos dias atuais, o que vemos são filhos contra pais, irmãos contra irmãos, resultando em total desarmonia no lar. Muitos assim agem porque deixam de agir guiados pelo Espírito Santo e se deixam levar pela emoção no afã dos acontecimentos diários.


#Pararefletireadorar
“O fruto do Espírito é amor. Por quê? Porque somente o amor pode expulsar o nosso egoísmo.” Andrew Murray.

2. Vivendo o amor fraternal
2.1. Amando como Abel ou odiando como Caim
Quando jovens contemplam em seus lares brigas, desrespeito e inquietação, onde a casa torna-se uma arena de ferrenhos combates, contudo as armas são carnais, levando à ruína.
A Bíblia retrata no livro de Gênesis, capítulo 4, a história de dois irmãos que não viviam em paz. O filho mais velho, Caim, sentia inveja de Abel e permitiu que este sentimento ruim fosse crescendo em seu coração dia após dia, culminando em um trágico ato fim: a morte de Abel. A inveja é um sentimento destrutivo, pois causa ao invejoso ódio, desgosto e mal-estar ao contemplar a felicidade ou prosperidade do outro, levando a pessoa a desfalecer, perdendo a saúde física e espiritual. Infelizmente, existem muitos assim, que apenas enxergam a oferta do seu irmão e não encontram alegria e nem prazer em suas próprias conquistas. Que o Senhor Jesus nos livre e guarde de tamanha cegueira.

2.2. As expressões do amor
O que é o amor senão uma virtude cristã, que leva a nos afeiçoarmos por alguém a ponto de prestar solidariedade e desejarmos toda sorte de bênçãos?
Há o amor de Deus e o amor humano. O primeiro citado é diferente do que muitos pensam, é condicional: em João 3.16b “para que todo aquele que n’Ele crê”, portanto existe uma condição para alcançar esse amor, a fé. É necessário crer que Deus outorgou esse amor a todo o que crê. Na medida em que esse amor nos envolve, nos tornamos pessoas amáveis uma com as outras. O amor divino é absoluto, infalível e indestrutível.
Diferentemente, o amor humano manifesta-se como: fraternal, afetivo e erótico. Neste tópico iremos nos atentar para o amor fraternal, que é o assunto desta lição. Este amor é aquele que é próprio de irmãos, é benevolente, se doa em prol do bem estar do próximo.

3. Precisamos uns dos outros
3.1. Um ao outro ajudou
Há um jargão popular que diz: nas horas difíceis é que conhecemos os verdadeiros amigos. Esta verdade aplica-se aos momentos conturbados pelos quais passamos em nossa vida, neste momento como é precioso poder contar com um ombro amigo, com alguém para nos ouvir e aconselhar (Pv 17.17).
Para tanto, o respeito e a confiança são peças fundamentais na relação entre irmãos. Casa é o lugar onde as pessoas entram para dormir, usar o banheiro, comer; lar é o lugar onde os membros da família anseiam por estar nele, onde refazem suas energias, alimentam-se de afeto e encontram o conforto do acolhimento. Lar é muito mais do que casa.
Precisamos ajudar uns aos outros com atitudes de paciência e colaboração.
Entregue os seus problemas a Deus, em oração.

Subsídio para o educador
Professor mostre a seus alunos que cada um tem um lugar e a sua importância dentro de casa, na sociedade e na obra de Deus. O que muitas vezes acontece, infelizmente, é que pessoas dão lugar para o inimigo trabalhar, trazendo assim a baixa autoestima, a infelicidade, a sensação de desprezo e, logo, isso acaba se transformando em sentimentos mais cruéis como a inveja, o ciúme, o ódio e tantos outros. Para isso só há uma solução: JESUS, :Vinde a mim todos os que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei” (Mt 11.28).

Conclusão
Talvez os conflitos que rodeiam a fraternidade da qual você faça parte estejam um emaranhado que parece insolúvel, olha para a esquerda, olha para a direita e não consegue encontrar uma solução imediata. Deixe de olhar para os lados e olhe para cima, pois o teu socorro vem do Senhor. Creia que com o Espírito Santo você conquistará vitória, galgará crescimento pessoal e espiritual. “Elevo meus olhos para os montes; de onde me virá o socorro? O meu socorro vem do SENHOR que fez o céu e a terra” (Sl 121.1-2).

#Ficaadica
O sentimento de inveja é um dos fenômenos que mais têm merecido da literatura psicanalítica um minucioso e profundo estudo. É preciso fazer uma distinção entre conceitos (inveja, ciúme, veracidade, despeito e admiração) que, embora sejam semelhantes, possuem características próprias e, torna-se relevante os conhecermos para agirmos de modo correto nas relações.

Referências Bibliográficas
Editora Betel - Conectar + - Revista da Escola Bíblica Dominical – 2º Trimestre de 2017 – Ano 1 – Nº 1.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Online