Pessoas que gostam deste blog

Lição 11 - Tendo um coração de criança

Revista Conectar+ • 11 de junho de 2017

Lição 11 – Tendo um coração de criança

Texto de referência
Mateus 19.13-15; 21.14-17

Versículo do dia
“Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que, por ele, vades crescendo.” 1Pe 2.2

Objetivos da lição
Observar alguns nobres sentimentos, os quais devemos buscar.
Reconhecer a nossa dependência divina.
Alcançar a comunhão íntima com Cristo através da prática do que aprendemos nesta lição.

Para impactar
Quando estamos com o nosso olhar fixado em Cristo, nada e nem ninguém nos abala. Ainda que surjam situações contrárias, não tememos nada, pois fiel é Deus, o qual não permitirá que sejamos tentados além das nossas forças.

Momento de oração
Que estejamos sensíveis e atentos à voz de Deus para que Ele conduza o nosso viver de acordo com a Sua vontade.

Leitura Semanal
Segunda      Terça             Quarta           Quinta           Sexta             Sábado
Sl 8.2             Pv 22.6          Mt 19.14        Hb 5.13-14    Ef 4.15           1Co 13.11    

Introdução
Quando falamos em criança, vêm ao coração os sentimentos nobres que compõem este grupo de pequenos cidadãos da terra e grandes cidadãos do céu. É sobre estes que discorreremos nesta lição: alegria, paz, pureza, otimismo e sinceridade.

#Pontochave
“O propósito do Mestre era nos ensinar que, para irmos para o céu, precisamos ser puros e íntegros como uma criança.”

1. Coração em Cristo
1.1. Em paz com todos
A Bíblia relata que devemos ter paz com todos (Hb 12.14). O que temos presenciado dentro da casa de Deus é lastimável. Vemos uma disputa pelo alcance de status, é a “lei de Gérson” imperando nos relacionamentos. Esquecemos que o Reino dos Céus não é conquistado por mérito, é favor imerecido.
Quando a paz é postergada, seu lugar é ocupado pela guerra. Quantos estão perdendo a salvação, pois deixam a paz se esvair ao querer ocupar a todo custo posições de destaque, status, mesmo que, para tal, magoem pessoas e desobedeçam a líderes.
Precisamos ter o coração e o amor dos pequeninos. Quem já presenciou uma desavença de criança? Após alguns momentos do ocorrido, os envolvidos voltam a brincar e conversar sem rancor.
Querido jovem viva a paz que excede todo entendimento (Fp 4.7).

1.2. Alegrai-vos sempre no Senhor
O coração que ama a Cristo não pode ser triste. Quantos olham para as situações do cotidiano sob a ótica do pessimismo, ao invés de exercitar a fé? A luta não pode ser sinônimo de derrota. Na vida do cristão, luta é sinônimo de conquista e vitória.
Em Filipenses 4 aprendemos com o apóstolo Paulo o segredo de viver com alegria e gratidão. Quer ser vitorioso? Se alegre e seja grato em toda e qualquer circunstância e não somente quando os ventos sopram a seu favor.

1.3. Sede santos em toda a maneira de viver
“Quem não se tornar como uma criança não poderá alcançar o Reino dos Céus.” Ao dizer tais palavras, o propósito do Mestre era nos ensinar que, para alcançarmos o céu precisamos ser puros, íntegros e sinceros como uma criança.
Será que prezamos pela pureza, pela santidade e integridade espiritual, física e moral? Será que o mundo testifica a nossa forma de viver de modo aprazível? Ou nosso viver denota imoralidade, incredulidade, total ausência de compromisso com Deus?

#Pararefletireadorar
“Não há felicidade, a não ser em Deus.” J. Wilbur Chapman.

2. Precisamos do aconchego do Pai
2.1. Nos braços do Pai
É fato que a criança, ao sentir fome, dor ou medo, expõe essas sensações chorando, verbalizando ou até mesmo acuando-se. De que adiantaria se ela assim se manifestasse a outra criança, ou a qualquer pessoa que não pudesse assisti-la em suas necessidades? Quem poderia auxiliá-la nesse momento a não ser os pais? Assim acontece conosco. É preciso conversar com o Pai Celestial. Precisamos externar o que se passa conosco, pois somente d’Ele virá o nosso socorro (Sl 121).

2.2. Na presença d’Ele, até a tristeza salta de alegria
Você já observou o que acontece em dias cálidos de verão? Repentinas torrentes de água provocam quedas de árvores, fazem transbordar córregos, entretanto esse fenômeno passageiro traz, logo após, um lindo e radiante sol, por vezes acompanhado de um belo arco-íris. Assim é a vida do cristão, os problemas e dificuldades desta vida nos trazem dissabores, contudo, o Espírito Santo, que intercede por nós, alegra-nos e conforta-nos. Se você está passando por problemas, anime-se, você não está sozinho, Deus está ao seu lado, descanse à sombra do Onipotente (Sl 91.1).

3. Buscando a comunhão incansavelmente
3.1. Buscar-me-eis e me achareis
A promessa do Senhor Jesus é que estaria conosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Para que essa promessa se cumpra na vida do cristão se faz necessário ter compromisso com Ele. Infelizmente muitos querem a bênção, mas esquecem que, para alcança-la, terão que se colocar em posição, utilizando de renúncia, dedicação e envolvimento com as coisas espirituais.

3.2. Não por força nem por poder...
Quando priorizamos a comunhão com Deus de maneira incansável, não nos deixamos abater. Já observou uma criança quando está aprendendo a andar? Ela cai e levanta inúmeras vezes, até sentir-se pronta para realizar a proeza de não somente andar, como também de correr. Assim devemos proceder no trato concernente às tarefas espirituais (oração, leitura da Bíblia, jejum, busca pelos dons espirituais, cultivo das características do fruto do Espírito), devemos nos espelhar nas crianças quando objetivam algo, sendo insistentes e perseverantes.

Subsídio para o educador
Professor, peça aos alunos que relatem todas as qualidades de uma criança, depois peça para que analisem se esses comportamentos são necessários para se chegar ao céu. Demonstre a eles que a intenção de Jesus ao dizer que deveríamos ser como crianças se refere aos sentimentos sem mácula que envolvem o coração dos pequeninos. Crianças brigam e logo se acertam, demonstrando que seus sentimentos cumprem a Palavra de Deus (Ef 4.26). Perdoam sem dificuldades (Cl 3.13) e amam com sinceridade (1Pe 3.8).

Conclusão
Cremos que você entendeu o segredo que leva a uma vida vitoriosa: lançar-se nos braços do Pai sem reservas e realizar o Seu querer! A íntima comunhão com Ele nos proporciona dádivas incontáveis. Essa notável experiência nos trará pleno conhecimento e nos fará triunfar sobre o mundo e as dificuldades (Ap 3.10).

#Ficaadica
A memorável e poética frase de Winnicott (1967): “O primeiro espelho da criatura humana é o rosto da mãe: o seu olhar, sorriso, expressões faciais, tom de voz...”, exemplifica a relevância da presença materna na vida da criança. Sem o olhar reconhecedor da mãe, a criança se abate, se desespera. Assim devemos proceder, olhando sempre para o Senhor, ouvindo Sua voz e encontrando em Seus braços conforto e segurança.

Referências Bibliográficas
Editora Betel - Conectar + - Revista da Escola Bíblica Dominical – 2º Trimestre de 2017 – Ano 1 – Nº 1.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Online