Pessoas que gostam deste blog

Lição 12 - Nossas atitudes diante da Palavra de Deus


Lição 12 – 17 de junho de 2018 – Editora BETEL

Nossas atitudes diante da Palavra de Deus

SLIDES VISUALIZAR / BAIXAR

HINOS SUGERIDOS
Hino 306

Hino 322

Hino 505


VÍDEO

Sobre nossas atitudes diante da Palavra de Deus
Desde o início dos tempos, Deus tem se revelado a nós, humanos. Primeiramente, através da Criação, magnífico selo de autenticidade que o Criador colocou no cosmos e na natureza, através de todas as coisas vivas. Tudo tem o seu propósito definido, a mão poderosa do Senhor dos Exércitos trabalhou e trabalha de forma perfeita e síncrona.
Todo o universo conhecido se movimenta em um balé infindável onde forças diversas se equilibram de acordo com a Sua vontade, para espetáculo de nossos limitados olhos.
Aqui em nosso planeta, miríades de seres viventes das mais variadas formas, cores e tamanhos coabitam dentro de uma simbiose intrincada e complexa, porém absolutamente harmônica, na terra, no céu e nas águas, atestando o cuidado do Criador com os detalhes de Sua Obra. É de se estranhar que os olhos dos que se proclamam ateus ou agnósticos não consigam enxergar o maravilhoso padrão de beleza, organização, eficiência e perfeição em tudo o que existe, não é possível que tal complexidade seja simplesmente obra do acaso. É mais fácil (e óbvio) acreditar em um Criador zeloso.
Porém, segundo o propósito de Deus, havia a necessidade de que Ele se revelasse ao homem e nosso Pai Celestial o fez de duas formas:
1.    Através da Sua Palavra, a Bíblia.
2.    Através de Jesus Cristo, Seu Filho, o Verbo, a Palavra Viva.
Esta dupla revelação se tornou premente em vista do pecado, que adentrou no mundo através de nossos primeiros pais. O Senhor sempre soube da necessidade de nos instruir no caminho em que deveríamos andar (Pv 22.6), pois somos limitados, pecadores, teimosos e faltos de entendimento.
Deste modo, o estudo das Escrituras Sagradas se impõe como o principal meio do homem natural vir a conhecer a Deus e a Sua vontade para com a sua vida, e do crente conhecer o propósito santificador de Deus para Si e para todos os salvos.
Existem objetivos definidos para a apreciação e ou estudo da Palavra de Deus:
1. O crente fica preparado para responder àqueles que lhe pedem a razão da esperança que nele há (1Pe 3.15).
2. Faz o obreiro aprovado quanto ao correto manejo da palavra da verdade (2Tm 2.15).
3. Acresce a fé do crente, quanto ao fato de que as Escrituras são a infindável Palavra de Deus (Is 34.16).
4. Dá luz e entendimento aos simples (Sl 119.130).
Por conseguinte, existem motivos de sobra para que nos aprofundemos no estudo da Bíblia, pois ela é a manifestação da vontade do Senhor em nossas vidas. As Escrituras foram produzidas por inspiração divina por cerca de quarenta “autores” durante um período superior a 1.600 anos. A coesão entre os diferentes 66 livros contidos no cânon bíblico atesta a autoria maior do Livro dos livros.
Só Deus poderia usar tantos indivíduos diferentes, de tantos lugares, culturas e épocas, com profissões tão distintas, para gerar uma obra tão unificada em seus preceitos e conceitos.
A Bíblia, portanto, é o único manual do crente na vida cristã e no trabalho do Senhor. O crente foi salvo para servir ao Senhor (1Pe 2.9; Ef 2.10). Sendo a Bíblia o livro-texto do cristão, é imperioso que este o maneje bem para o eficiente desempenho de sua missão (2Tm 2.15). Um bom profissional sabe empregar as ferramentas de seu ofício. Essa eficiência não é automática; vem pelo estudo e prática. Assim deve ser o crente em relação ao seu manual, a Bíblia.
Outro aspecto relevante, senão incondicional, para estudarmos a Palavra do Senhor é que ela alimenta as nossas almas. O estudo sistemático da Bíblia traz nutrição e crescimento espiritual. Ela é tão indispensável à alma como o pão ao corpo. O alimento só nutre o corpo quando é absorvido pelo organismo. Da mesma forma, a Palavra de Deus só nutre o nosso espírito se for assimilada através de sua leitura sistemática, da meditação em seus preceitos e do entendimento quanto aos seus objetivos.
Finalmente, ela é o instrumento que o Espírito Santo usa (Ef 6.17). Se em nós houver abundância da Palavra de Deus, o Espírito Santo terá o instrumento para operar. É preciso, pois, meditar nela (Sl 1.2; Js 1.8). É preciso deixar que ela domine todas as esferas da nossa vida, nossos pensamentos, nosso coração e assim molde todo o nosso viver diário. Em suma, precisamos estar mergulhados na Palavra de Deus continuamente.
Ler, estudar, aprender e conhecer bem a Bíblia é conhecer a Deus, Sua vontade, Seus propósitos, Seus preceitos, enfim, cultivar uma profunda, íntima e duradoura amizade com o Nosso Pai Celestial.
Uma semana abençoada para todos os irmãos, na Paz do Senhor Jesus!
Márcio Celso

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
Editora Betel 4º Trimestre de 2017, ano 27 nº 105 – Revista da Escola Bíblica Dominical - Jovens e Adultos – Professor – Doutrinas Fundamentais da Igreja de Cristo – Bispo Abner de Cássio Ferreira.
Sociedade Bíblica do Brasil – 2009 – Bíblia Sagrada – João Ferreira de Almeida – Revista e Corrigida.
Sociedade Bíblica do Brasil – 2007 – Bíblia do Obreiro – João Ferreira de Almeida – Revista e Atualizada.
Editora Vida – 2014 - Bíblia Judaica Completa – David H. Stern, Rogério Portella, Celso Eronildes Fernandes.
Editora Vida – 2014 – Bíblia de Estudo Arqueológica – Nova Versão Internacional.
Editora Central Gospel – 2010 - O Novo Comentário Bíblico – Antigo Testamento – Earl D. Radmarcher, Ronald B. Allen e H. Wayne House – Rio de Janeiro.
Editora Central Gospel – 2010 - O Novo Comentário Bíblico – Novo Testamento – Earl D. Radmarcher, Ronald B. Allen e H. Wayne House – Rio de Janeiro.
Editora Vida – 2004 – Comentário Bíblico do Professor – Lawrence Richards.
Editora Central Gospel – 2005 – Manual Bíblico Ryken – Um guia para o entendimento da Bíblia – Leland Ryken, Philip Ryken e James Wilhoit.

Obrigado por nos visitar! Volte sempre!