Pessoas que gostam deste blog

Lição 02 - Revelação divina e a razão são dádivas de Deus


Lição 02 – 13 de outubro de 2019 – Editora BETEL

Revelação divina e a razão são dádivas de Deus

SLIDES VISUALIZAR / BAIXAR

HINOS SUGERIDOS
Hino 219

Hino 396
Hino 526

VÍDEO

Sobre a revelação divina e a razão
            O Salmo 19, em seus versículos de 1 a 6, usados como textos de referência desta lição, ocupa um lugar especial nas Escrituras por sua apresentação objetiva das principais maneiras pelas quais Deus se revela aos homens. Esse Salmo tem sido citado inúmeras vezes ao longo dos séculos porque oferece uma explicação simples e bela da comunicação divina. Esse Salmo, de Davi, se divide em três partes principais, a primeira focando a revelação natural, a segunda falando sobre a revelação especial ou verbal, e a terceira tratando de implicações práticas na nossa vida.
Até hoje, especialmente com avanços tecnológicos que nos capacitam para ver com mais clareza as características do universo, pessoas ficam admiradas com a criação e são motivadas a buscar o conhecimento do Criador. Esse é o ponto da primeira parte desse Salmo:
“Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos. Um dia discursa a outro dia, e uma noite revela conhecimento a outra noite. Não há linguagem, nem há palavras, e deles não se ouve nenhum som; no entanto, por toda a terra se faz ouvir a sua voz, e as suas palavras, até aos confins do mundo. Aí, pôs uma tenda para o sol, o qual, como noivo que sai dos seus aposentos, se regozija como herói, a percorrer o seu caminho. Principia numa extremidade dos céus, e até a outra vai o seu percurso; e nada foge ao seu calor” (versos 1 a 6).
A linguagem é, obviamente, poética e figurada, até atribuindo características humanas aos corpos celestiais. O Salmista descreve uma verdade universal. Quando o homem olha para as obras da Criação, observando a grandeza e a perfeição do sistema solar e das galáxias que nos rodeiam, ele tem fortes motivos para refletir sobre a glória do Criador. Muitos astrônomos modernos mostram uma reação igual à de Davi, que olhou para os céus sem o benefício de telescópios: “Os céus proclamam a glória de Deus”.
A revelação natural incentiva o homem a buscar o Criador (Atos 17:24-28) e até mostra algumas características de Deus (Romanos 1:20). O entendimento da vontade do Senhor para as nossas vidas, porém, depende de outra revelação, um meio de comunicação que pode ser descrito como a revelação especial ou verbal de Deus. Esta revelação é o assunto da segunda parte do Salmo:
“A lei do SENHOR é perfeita e restaura a alma; o testemunho do SENHOR é fiel e dá sabedoria aos símplices. Os preceitos do SENHOR são retos e alegram o coração; o mandamento do SENHOR é puro e ilumina os olhos. O temor do SENHOR é límpido e permanece para sempre; os juízos do SENHOR são verdadeiros e todos igualmente, justos. São mais desejáveis do que ouro, mais do que muito ouro depurado; e são mais doces do que o mel e o destilar dos favos” (versos 7 a 10).
Davi manifestou seu profundo respeito e apreço pelas Escrituras. Muitos dos seus hinos comunicam as mesmas ideias encontradas aqui. Ele achou tremendo prazer em ler e meditar nas palavras de Deus. É a mesma alegria que sentimos hoje quando nos dedicamos à compreensão das Escrituras. Encontramos na Bíblia tesouros de valor incomparável. Davi viu nas Escrituras muito mais do que apenas curiosidades ou informações teóricas. Ele achou nas palavras de Deus a orientação para conduzir a sua vida, como ele diz na última parte desse cântico:
“Além disso, por eles se admoesta o teu servo; em os guardar, há grande recompensa. Quem há que possa discernir as próprias faltas? Absolve-me das que me são ocultas. Também da soberba guarda o teu servo, que ela não me domine; então, serei irrepreensível e ficarei livre de grande transgressão. As palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração sejam agradáveis na tua presença, SENHOR, rocha minha e redentor meu!” (Versos 11 a 14).
Quando olhamos para a natureza, temos motivo para buscar conhecimento do Criador. Quando olhamos para as Escrituras, admiramos a sabedoria que Deus revelou. E quando damos a devida importância ao Criador e à Sua Palavra, sua mensagem penetra os nossos corações e guia as nossas vidas.
Já em Romanos 1.20, nosso texto áureo para esta lição, fica explícito que toda a natureza declara que há um Deus e que Ele tem poder eterno. O sol, a lua e as estrelas, as árvores, as pedras, as aves e os peixes, os animais terrestres, os insetos e os homens todos tem a impressão digital celestial. O corpo humano, desenhado de uma maneira abundantemente superior à qualquer invenção humana, também, ousadamente declara que Deus é o seu autor. Estes fazem visíveis o Deus invisível à humanidade. Deus aceita a declaração da Sua existência pela natureza como suficiente a fim de que os homens “fiquem inescusáveis”. O ateísmo é inaceitável a Deus.
De forma simples, não há como a mais erudita ciência refutar o fato de que a Criação como um todo, tudo o que há no universo, inclusive nós, é fruto de uma maravilhosa e onipotente Mente Criadora, preocupada em executar com excelência os mínimos detalhes de Sua Maravilhosa Obra! Pessoalmente, acho que é muito mais difícil não acreditar em nada, ser ateu, do que render-se à magnitude e perfeição de um Deus Criador, meticuloso e perfeito em tudo o que faz, fez e ainda fará!
Uma semana abençoada para todos os irmãos, na Paz do Senhor Jesus!
Márcio Celso

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
Editora Betel 4º Trimestre de 2019, ano 29 nº 113 – Revista da Escola Bíblica Dominical - Jovens e Adultos – Professor – Apologética Cristã – A importância da defesa da fé diante dos desafios da sociedade atual – Pr. Joabes Rodrigues do Rosário.
Sociedade Bíblica do Brasil – 2009 – Bíblia Sagrada – João Ferreira de Almeida – Revista e Corrigida.
Sociedade Bíblica do Brasil – 2007 – Bíblia do Obreiro – João Ferreira de Almeida – Revista e Atualizada.
Editora Vida – 2014 - Bíblia Judaica Completa – David H. Stern, Rogério Portella, Celso Eronildes Fernandes.
Editora Vida – 2014 – Bíblia de Estudo Arqueológica – Nova Versão Internacional.
Editora Central Gospel – 2010 - O Novo Comentário Bíblico – Antigo Testamento – Earl D. Radmarcher, Ronald B. Allen e H. Wayne House – Rio de Janeiro.
Editora Central Gospel – 2010 - O Novo Comentário Bíblico – Novo Testamento – Earl D. Radmarcher, Ronald B. Allen e H. Wayne House – Rio de Janeiro.
Editora Vida – 2004 – Comentário Bíblico do Professor – Lawrence Richards.
Editora Central Gospel – 2005 – Manual Bíblico Ryken – Um guia para o entendimento da Bíblia – Leland Ryken, Philip Ryken e James Wilhoit.
Editora CPAD – 2017 – História dos Hebreus – Flávio Josefo.
Editora Vida – 2014 – Manual Bíblico de Halley – Edição revista e ampliada – Nova versão internacional – Henry Hampton Halley – tradução: Gordon Chown.

Obrigado por nos visitar! Volte sempre!