Pessoas que gostam deste blog

Lição 09 - Enfermidades psicossomáticas

Lição 09 – 29 de novembro de 2020 – Editora BETEL

Enfermidades psicossomáticas

SLIDES VISUALIZAR / BAIXAR


HINOS SUGERIDOS

Hino 415 ♫  O Hino 415 está sendo produzido

Hino 510

Hino 517 ♫  O Hino 517 está sendo produzido

VÍDEO

Sobre as enfermidades psicossomáticas

“Se ouvires atento a voz do SENHOR, teu Deus, e fizeres o que é reto diante dos seus olhos, e deres ouvido aos seus mandamentos, e guardares todos os seus estatutos, nenhuma enfermidade virá sobre ti, das que enviei sobre os egípcios; pois eu sou o SENHOR, que te sara.” Êx 15.26.

Quando Moisés recebeu esse mandamento de Deus, no Egito antigo florescia o tão famoso e aclamado livro de medicina chamado Papiro Ebers. Moisés, todavia, preferiu ficar com o que Deus lhe havia dito em Sua Palavra. Ao atentarmos para os princípios deixados por Deus em Sua Palavra certamente usufruímos de cada um deles, ainda que tudo ao nosso redor diga o contrário. O texto é muito claro ao dizer: “Se ouvires atento a voz do SENHOR, teu Deus, e fizeres o que é reto diante dos seus olhos, e deres ouvido aos seus mandamentos, e guardares todos os seus estatutos, nenhuma enfermidade virá sobre ti, pois eu sou o SENHOR, que te sara”. A suma disso tudo é: ouvir e guardar seus princípios para termos saúde e uma vida um pouco mais longa.

No Antigo Testamento, tínhamos um processo muito interessante: o que Deus dizia, o que as pessoas faziam e o resultado. Creio que este processo continua vivo e ativo para o Novo Testamento: o que Deus diz, o que nós fazemos e o resultado. Por que sofremos? Por que padecemos? Por ignorar o que Deus tem dito em sua santa e pura Palavra. “Respondeu-lhes Jesus: Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus.” Mt 22.29.

Todas as vezes que ignoramos a palavra e os princípios de Deus vamos colher os resultados. Por isso, somos exortados a ter cuidado com o auto engano, como nos diz: “Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia para a sua própria carne da carne colherá corrupção; mas o que semeia para o Espírito do Espírito colherá vida eterna.” Gl 6:7-8.

A medicina moderna reconhece que emoções como medo, tristeza, inveja, ansiedade, preocupação, ódio, falta de perdão e pesar são responsáveis por grande parte de nossas doenças. Dr. Mac Millen diz que as estimativas variam de 60% a quase 100%. A medicina atual também admite que muitas de nossas doenças derivam da nossa própria mente, isto é, as hoje conhecidas doenças psicossomáticas.

A palavra psicossomática é de origem grega. É uma junção de duas palavras: psyche (psico – alma) e soma (corpo). Ou seja, as doenças que são originadas daquilo que ocupa as nossas mentes. Ataques cardíacos podem ser desencadeados pela raiva, em todos os graus, depressão e ansiedade. A ansiedade coloca mais estresse sobre o coração do que qualquer outro estímulo, incluindo o exercício físico e a fadiga. A tensão emocional invisível da mente pode produzir mudanças consideráveis visíveis no corpo, tornando-as sérias e fatais. No começo do século passado, as bactérias eram o centro da atenção. Agora, a tensão mental é o centro.

Os comprimidos podem até trazer certa paz, mas não uma paz profunda e duradoura. A verdadeira paz está em uma pessoa chamada Jesus Cristo, somente Ele pode nos dar uma paz real e que não seja efêmera. Como Ele mesmo nos informa: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.” Jo 14.27. Nesta passagem preciosa da palavra de Deus, o próprio Jesus nos diz que este mundo nos dá uma certa paz, mas que a Paz que nosso Senhor quer nos dar é uma paz que excede toda compreensão e entendimento humanos.

Achamos, às vezes, que nossos pensamentos não tem poder algum sobre nossos corpos. Todavia, isso não é verdade. Alguns estudiosos já diziam: mente enferma, corpo doente. A Bíblia diz com muita clareza em: “Porque, como imagina em sua alma, assim ele é.” Pv 23.7a. Tudo aquilo que pensamos, querendo ou não, pode somatizar em nossos corpos. Jó diz em seu livro que aquilo que ele pensava em sua mente cedo ou tarde iria acontecer: “Aquilo que temo me sobrevém, e o que receio me acontece.” Jó 3.25.

Quando nossa mente está ocupada com pensamentos sobre doenças, medos e angústias, esses pensamentos vão se manifestar em nosso corpo. Quando a palavra de Deus nos orienta a não andarmos ansiosos por coisa alguma, este ensino é para o benefício e o bem estar de quem? De Deus ou o nosso? Por isso, vos digo: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. “Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes?” Mt 6.25. “Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus.” Fp 4.6-7.

Por que Deus não nos quer ansiosos? Porque a ansiedade pode nos levar a uma morte prematura. Será que sabemos o que mais mata hoje no mundo? Ataque no coração! A ansiedade é a causa da morte de milhões de pessoas anualmente. O estilo de vida estressante é uma das razões que levam a esse dramático quadro. A própria palavra nos orienta sobre esse fato em: “a ansiedade no coração do homem o abate, mas a boa palavra o alegra.” Pv 12.25.

A tensão emocional produz uma série de doenças, algumas até fatais. Para nos proteger desse mal, a palavra de Deus nos instrui a não manter em nossas mentes qualquer pensamento ruim. “Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento.” Fp 4.8.

O maior antídoto para nos livrar de hormônios e toxinas anormais produzidos por nós mesmos é a gratidão e o louvor. Temos, na palavra do nosso Pai Celeste, uma orientação para mantermos longe todos esses sentimentos. “Em tudo, dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco.” 1Ts 5.18. Um coração grato e alegre em todas as circunstâncias da vida é, na prática, um bloqueador dessas toxinas tão prejudiciais para nosso organismo.

Os médicos atualmente reconhecem o grande peso da tensão interna como causadora e agravante de muitas enfermidades. Haja visto que todos nós estamos sujeitos às enfermidades, necessário é examinar a causa das mesmas e colocá-las aos pés d’Aquele que pode nos livrar de todas elas. ... “lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.” 1 Pe 5.7.

A obra de Cristo da cruz nos liberta e nos cura das doenças, segundo a vontade soberana de Deus. “E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências.” Gl 5:24. Crucificaram onde? Nele mesmo, como nos diz: “Carregando ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados, para que nós, mortos para os pecados, vivamos para a justiça; por suas chagas, fostes sarados.” 1Pe 2.24. E também: “Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé do Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim.” Gl 2.20.

Quando cremos, por revelação Divina, que fomos atraídos, crucificados, mortos e ressuscitados juntamente com Cristo, somos libertos desse tão terrível mal chamado egocentrismo. Para aqueles que já creem nessa verdade, mas ainda lutam diariamente em suas almas, a única coisa a fazer é ir ao encontro d’Aquele que pode aliviar-nos de toda essa carga negativa, pois foi Ele mesmo que nos disse: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve.” Mt 11.28-30.

Sempre que escolhermos olhar para os reveses desta vida passageira e transitória, em detrimento ao que nosso Pai Celeste estabeleceu para cada um de nós, sem sombra de dúvidas, iremos adoecer em nossa mente, que somatizará em nosso corpo. Todavia, quando formos ao encontro de Cristo Jesus, encontraremos descanso para as nossas almas aflitas e angustiadas. Que o bendito e maravilhoso Espírito Santo de Deus revele essa verdade em nossos corações por intermédio de sua palavra e obra de Cristo Jesus, para vivermos neste presente século de maneira justa, sóbria, piedosa e saudável, para a glória de Deus Pai.

Texto: Maurício Marcelo Torres para o blog: palavradacruz.com.br

Uma semana abençoada para todos os irmãos na Graça e na Paz do Senhor Jesus Cristo!

Márcio Celso

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

Editora Betel 4º Trimestre de 2020, ano 30 nº 117 – Revista da Escola Bíblica Dominical - Adultos – Professor – A importância da Palavra de Deus para o bem estar do ser humano – Pr. Isaqueu Mendes de Freitas.

Sociedade Bíblica do Brasil – 2009 – Bíblia Sagrada – João Ferreira de Almeida – Revista e Corrigida.

Sociedade Bíblica do Brasil – 2007 – Bíblia do Obreiro – João Ferreira de Almeida – Revista e Atualizada.

Editora Vida – 2014 - Bíblia Judaica Completa – David H. Stern, Rogério Portella, Celso Eronildes Fernandes.

Editora Vida – 2014 – Bíblia de Estudo Arqueológica – Nova Versão Internacional.

Editora Central Gospel – 2010 - O Novo Comentário Bíblico – Antigo Testamento – Earl D. Radmarcher, Ronald B. Allen e H. Wayne House – Rio de Janeiro.

Editora Central Gospel – 2010 - O Novo Comentário Bíblico – Novo Testamento – Earl D. Radmarcher, Ronald B. Allen e H. Wayne House – Rio de Janeiro.

Editora Vida – 2004 – Comentário Bíblico do Professor – Lawrence Richards.

Editora Central Gospel – 2005 – Manual Bíblico Ryken – Um guia para o entendimento da Bíblia – Leland Ryken, Philip Ryken e James Wilhoit.

Editora CPAD – 2017 – História dos Hebreus – Flávio Josefo.

Editora CPAD – 2005 – Comentário Bíblico Beacon.

Editora Vida – 2014 – Manual Bíblico de Halley – Edição revista e ampliada – Nova versão internacional – Henry Hampton Halley – tradução: Gordon Chown.

Editora Mundo Cristão – 2010 – Comentário Bíblico Africano - editor geral Tokunboh Adeyemo.

Editora CPAD – 2010 – Comentário Bíblico Mathew Henry – Tradução: Degmar Ribas Júnior, Marcelo Siqueira Gonçalves, Maria Helena Penteado Aranha, Paulo José Benício.

Editora Mundo Cristão – 2011 - Comentário Bíblico Popular — Antigo e Novo Testamento -  William MacDonald - editada com introduções de Art Farstad.

Obrigado por nos visitar! Volte sempre!