Pessoas que gostam deste blog

Lição 10 - O dia da expiação


Lição 10 – 11 de março de 2018 – Editora BETEL

O dia da expiação

SLIDES VISUALIZAR / BAIXAR

HINOS SUGERIDOS
Hino 257


Hino 292


Hino 322


VÍDEO 1

VÍDEO 2


VÍDEO 3


Sobre o dia da expiação
O capítulo 16 do Livro de Levítico gira a respeito do Dia da Expiação figura no centro do livro mencionado e no centro do Pentateuco. O Dia da Expiação marcava a mais importante e a mais abrangente aproximação de Deus de todo o ano feita por Israel. Os rabinos o chamam de o dia ou o grande dia. Uma importante parte da Mishná (primeira grande redação escrita da tradição oral judaica) é dedicada a ele, e o Dia da Expiação continua sendo o dia mais sagrado da fé judaica. Lucas chamou a data de o jejum (At 27.9). Muito do seu simbolismo remete à morte propiciatória de Cristo.
Nos versículos 2 e 3 temos a ordem de Deus  para não entrar no santuário em todo o tempo, pra dentro do véu. Isso alude à atitude arrogante tomada pelos filhos do sacerdote ao se aproximarem do Senhor para oferecer uma oferta não autorizada (Lv 10.1). O Santíssimo, o compartimento mais recôndito do tabernáculo, era separado de um cômodo maior (o lugar santo) por um véu de linho fino trançado de fios de tecido azul, roxo e vermelho (Êx 26.31). A sentença para que não morra demonstra que a aproximação descuidada da presença de Deus podia ser fatal.
As vestes mencionadas nos versículos 4 e 5 não são os acessórios e o manto descritos em Êxodo 28. Essas são vestimentas simples de linho que os sacerdotes usavam ao cumprir o seu dever no altar. Neste dia, o sumo sacerdote deveria adornar-se com simplicidade e humildade. Ele oferecia a expiação por si próprio primeiro, depois por sua família e, então, por todo o Israel.
Após oferecer o sacrifício pelo seu próprio pecado, o sacerdote estava apto a ofertar os sacrifícios expiatórios pelas pessoas. O autor de Hebreus dá grande ênfase a esse ponto ao examinar o sacerdócio superior de Jesus (Hb 7.26-28. 9.11; 28.10; 19.22).
Nos versículos de 8 a 10 temos a figura do bode emissário. É importante ressaltar que esse bode não era sacrificado para Satanás. Enviar o animal para o deserto significava que os pecados das pessoas eram levados para longe destas e de volta às sua origem maligna, onde nunca mais poderiam fazer-lhes mal.
Apenas neste dia do ano o sumo sacerdote entrava no Santo dos Santos. Ele levava um recipiente com o sangue do novilho (de sua própria oferta pelo pecado) junto com o incensário cheio de brasas do altar e dois punhados de incenso aromático moído. Não fica claro se o sacerdote colocava o incenso no incensário antes ou depois de entrar no Santo dos Santos. Mas, era o aroma do incenso queimando que o protegia.
As instruções que envolviam este sacrifício deixavam claro que os pecados das pessoas tinham um efeito maculador sobre o tabernáculo. Se não fossem removidas, as ofensas poderiam causar ineficácia no ministério em relação à propiciação dos pecados.
Mesmo que em outros dias qualquer sacerdote pudesse entrar na tenda da congregação, nesta data específica apenas o sumo sacerdote (Arão) estava autorizado a transpor a área sagrada, incluindo o lugar santo e o santíssimo.
Enviar o bode para o deserto era uma cerimônia pública. Todos podiam ver Arão simbolicamente colocando todas as iniquidades, as transgressões e os pecados contra Deus sobre a cabeça do bode, que os levava para longe das pessoas e do Senhor. O homem designado para conduzir o animal era um indivíduo que estava preparado e aguardava para cumprir sua tarefa.
No versículo 22 temos a expressão levará sobre si todas as iniquidades, o princípio que deu origem à expressão bode expiatório. O animal não era culpado dos pecados que carregava, mas era enviado para longe, permitindo que os ofensores se sentissem perdoados por suas ofensas. Quando Jesus carregou os pecados da humanidade, e morreu fora da cidade (fora do acampamento), Ele cumpriu a cerimônia do Dia da Expiação. Cristo não foi apenas o perfeito sumo sacerdote; Ele também foi o sacrifício perfeito.
É importante que seja ressaltada a figura do sacrifício de Jesus Cristo, nosso Salvador, de forma perfeita e definitiva, nos libertando de vez do jugo do pecado. Uma vez purificados pelo Seu precioso sangue, não temos mais preocupação com nosso destino final, estamos salvos. Mas observemos que, como Arão deveria se portar com humildade, simplicidade, reverência, temor e tremor diante de Deus todos os dias e, em especial, no Dia da Expiação, assim deve ser nossa atitude constante.
Revestidos de simplicidade, devemos adentrar no Santo dos Santos, não uma só vez por ano, mas todos os dias, com a reverência que é devida ao Deus Altíssimo, com vestes alvas e limpas de toda e qualquer impureza do mundo. Somos sacerdócio real, levantados pelo ato sacrificial do Senhor Jesus e devemos fazer jus a tão nobre distinção.
Uma semana abençoada para todos os irmãos, na Paz do Senhor Jesus!
Márcio Celso

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
Editora Betel 4º Trimestre de 2017, ano 27 nº 105 – Revista da Escola Bíblica Dominical - Jovens e Adultos – Professor – Doutrinas Fundamentais da Igreja de Cristo – Bispo Abner de Cássio Ferreira.
Sociedade Bíblica do Brasil – 2009 – Bíblia Sagrada – João Ferreira de Almeida – Revista e Corrigida.
Sociedade Bíblica do Brasil – 2007 – Bíblia do Obreiro – João Ferreira de Almeida – Revista e Atualizada.
Editora Vida – 2014 - Bíblia Judaica Completa – David H. Stern, Rogério Portella, Celso Eronildes Fernandes.
Editora Vida – 2014 – Bíblia de Estudo Arqueológica – Nova Versão Internacional.
Editora Central Gospel – 2010 - O Novo Comentário Bíblico – Antigo Testamento – Earl D. Radmarcher, Ronald B. Allen e H. Wayne House – Rio de Janeiro.
Editora Central Gospel – 2010 - O Novo Comentário Bíblico – Novo Testamento – Earl D. Radmarcher, Ronald B. Allen e H. Wayne House – Rio de Janeiro.
Editora Vida – 2004 – Comentário Bíblico do Professor – Lawrence Richards.
Editora Central Gospel – 2005 – Manual Bíblico Ryken – Um guia para o entendimento da Bíblia – Leland Ryken, Philip Ryken e James Wilhoit.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por nos visitar! Volte sempre!