Pessoas que gostam deste blog

Lição 12 - 2° trimestre 2022 - O Trono Branco e o juízo final

Lição 12 – 19 de junho de 2022 – Editora BETEL 

O Trono Branco e o juízo final 

SLIDES / VISUALIZAR / BAIXAR


HINOS SUGERIDOS

Hino 77

Hino 220

Hino 547

Hino 142

Sobre o Trono Branco e o juízo final

Apocalipse 20 – No final do Milênio, Satanás será solto do poço do abismo e terá permissão de liderar a última revolta contra o Senhor. Qual o motivo disso? Esse episódio servirá de prova incontestável de que o coração humano é terrivelmente perverso e só pode ser transformado pela graça de Deus. É possível imaginar a tragédia dessa revolta: pessoas vivendo em um ambiente perfeito, sob o governo perfeito do Filho de Deus, finalmente reconhecerão a verdade e se rebelarão contra o Rei!

Sua obediência era apenas uma submissão fingida, não verdadeira fé em Cristo.

O fato de "Gogue e Magogue" (Ap 20.8) serem citados não significa que essa batalha seja a mesma descrita em Ezequiel 38 e 39; pois o exército ao qual o profeta se refere vem do Norte, enquanto este vem dos quatro cantos da Terra. No entanto, os dois acontecimentos são relacionados, no sentido de que as duas batalhas giram em torno de Israel. Nesse caso, o alvo será Jerusalém ("o monte Sião, que ele amava"; SI 78.68; 87.2). Deus tratará dessa revolta com rapidez e eficiência, e Satanás será lançado no inferno. Convém observar que a "besta" e o falso profeta ainda estarão sofrendo no lago de fogo depois de mil anos! (Ver Mt 25.41).

Em certo sentido, o reino milenar será um "resumo" de tudo o que Deus afirmou sobre o coração do homem ao longo dos vários períodos da história. Será um reino de lei e, no entanto, a lei não mudará o coração perverso do homem. Os seres humanos se revoltarão contra Deus. O Milênio será um período de paz em um ambiente perfeito, um tempo em que a desobediência será julgada com rapidez e justiça; e, no entanto, os súditos do Rei seguirão Satanás e se rebelarão contra o Senhor. Nem um ambiente perfeito é capaz de gerar um coração perfeito.

Deus está preste a encerrar a história humana, mas ainda resta um grande acontecimento para se desenrolar.

Haverá uma segunda ressurreição, depois da qual os não salvos comparecerão ao julgamento de Deus. Não se deve confundir o julgamento diante do trono branco com o tribunal de Cristo, no qual as obras dos santos serão julgadas e recompensadas. A cena que João descreve nesta passagem é assustadora. O céu e a Terra "fugirão", e os pecadores não terão onde se esconder! Todos terão de se apresentar diante do Juiz!

O Juiz é Jesus Cristo, pois o Pai colocou todo o julgamento em suas mãos (Mt 19.28; Jo 5.22-30; At 17.31). Esses pecadores perdidos rejeitaram a Cristo em vida, de modo que serão julgados por ele e enfrentarão a morte eterna.

De onde vêm esses "mortos"? A morte entregará os corpos, e o hades (o reino dos espíritos dos mortos) entregará os espíritos. Corpos ressuscitarão até do mar. Nenhum pecador escapará.

Jesus Cristo julgará os incrédulos com base no que está escrito "nos livros". Quais são esses livros? Em primeiro lugar, a Palavra de Deus estará presente. "A própria palavra que tenho proferido, essa o julgará no último dia" (Jo 12.48). Todo pecador terá de prestar contas da verdade que ouviu nesta vida.

Também haverá um livro com as obras dos pecadores sendo julgados, o que não sugere, porém, que uma pessoa possa fazer boas obras em número suficiente para lhe permitir entrar no céu (Ef 2.8-9; Tt 3.5). Por que, então, Jesus Cristo julgará as obras boas e más das pessoas diante do trono branco? Para determinar o grau de seu castigo no inferno. Todas essas pessoas serão lançadas no inferno. Sua rejeição pessoal de Jesus Cristo já determinou seu destino. Mas Jesus Cristo é um Juiz justo e dará a cada pecador o que merece.

Existem diferentes graus de castigo no inferno (Mt 11.20-24). Cada pecador perdido receberá exatamente o que lhe é devido, e ninguém poderá discutir com o Senhor nem questionar sua decisão. Deus sabe o que os pecadores estão fazendo, e seus livros revelarão a verdade.

O "Livro da Vida" também estará presente, trazendo os nomes do povo remido de Deus (Fp 4.3; Ap 21.27; ver também 13.8; 17:8). Nenhuma pessoa incrédula terá seu nome escrito no Livro da Vida do Cordeiro; somente os verdadeiros cristãos serão arrolados em suas páginas (Lc 10.20).

Quando o julgamento terminar, todos os perdidos serão lançados no inferno, o lago de fogo, a segunda morte. Muitos rejeitam o preceito bíblico do inferno, pois o consideram contrário ao cristianismo. No entanto, Jesus ensinou essa doutrina claramente (Mt 18.8; 23.15, 33; 25.46; Mc 9.46). Existe um tipo sentimental e humanista de religião que se recusa a encarar a realidade do julgamento, ensinando, antes, que Deus ama todas as pessoas e, por isso, abrirá as portas do céu a todos e não lançará ninguém no inferno.

O inferno dá testemunho do caráter justo de Deus. É essencial que Deus julgue o pecado. O inferno também dá testemunho da responsabilidade humana, do fato de que o homem não é um robô nem tampouco uma vítima impotente, mas sim uma criatura capaz de fazer escolhas. Deus não "manda as pessoas para o inferno"; elas próprias selam seu destino ao rejeitarem o Salvador (Mt 25.41; Jo 3.16-21). O inferno também dá testemunho da atrocidade do pecado. Se ao menos pudéssemos ver o pecado como Deus o vê, entenderíamos por que existe um lugar como o inferno.

Tendo em vista a obra realizada no Calvário, nenhum pecador perdido pode condenar Deus por lançá-lo no inferno. Deus proveu uma saída e está esperando pacientemente que os pecadores se arrependam. Não rebaixará seus padrões nem mudará seus requisitos. Deus determinou que a fé em seu Filho é o único caminho para a salvação.

O trono branco de julgamento será completamente diferente dos processos nos tribunais modernos. No trono branco, haverá um Juiz, mas não um júri; haverá acusação, mas não defesa; haverá uma sentença, mas não apelação. Ninguém será capaz de se defender nem de acusar Deus de injustiça. Será uma cena assustadora!

Antes de Deus trazer os novos céus e nova Terra, terá de tratar em definitivo da questão do pecado, e é isso o que fará no grande trono branco.

Pode-se escapar desse julgamento terrível crendo em Jesus Cristo como o Salvador pessoal. Quem o fizer não participará, de modo algum, da segunda ressurreição nem experimentará os horrores da segunda morte, o lago de fogo.

Jesus disse: "quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna, não entra em juízo, mas passou da morte para a vida" (Jo 5.24).

Você já aceitou a Cristo e passou da morte para a vida?

Uma semana abençoada para todos os irmãos, na Paz do Senhor Jesus!

Márcio Celso

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

Editora Betel 3º Trimestre de 2018, ano 28 nº 108 – Revista da Escola Bíblica Dominical - Jovens e Adultos – Professor – Israel 70 anos – O chamado de uma nação e o plano divino de redenção – Pastor César Pereira Roza de Melo.

Sociedade Bíblica do Brasil – 2009 – Bíblia Sagrada – João Ferreira de Almeida – Revista e Corrigida.

Sociedade Bíblica do Brasil – 2007 – Bíblia do Obreiro – João Ferreira de Almeida – Revista e Atualizada.

Editora Vida – 2014 - Bíblia Judaica Completa – David H. Stern, Rogério Portella, Celso Eronildes Fernandes.

Editora Vida – 2014 – Bíblia de Estudo Arqueológica – Nova Versão Internacional.

Editora Central Gospel – 2010 - O Novo Comentário Bíblico – Antigo Testamento – Earl D. Radmarcher, Ronald B. Allen e H. Wayne House – Rio de Janeiro.

Editora Central Gospel – 2010 - O Novo Comentário Bíblico – Novo Testamento – Earl D. Radmarcher, Ronald B. Allen e H. Wayne House – Rio de Janeiro.

Editora Vida – 2004 – Comentário Bíblico do Professor – Lawrence Richards.

Editora Central Gospel – 2005 – Manual Bíblico Ryken – Um guia para o entendimento da Bíblia – Leland Ryken, Philip Ryken e James Wilhoit.

Editora CPAD – 2017 – História dos Hebreus – Flávio Josefo.

Editora Vida – 2014 – Manual Bíblico de Halley – Edição revista e ampliada – Nova versão internacional – Henry Hampton Halley – tradução: Gordon Chown.

Editora Mundo Cristão – 2010 – Comentário Bíblico Africano - editor geral Tokunboh Adeyemo.

Editora CPAD – 2010 – Comentário Bíblico Mathew Henry – Tradução: Degmar Ribas Júnior, Marcelo Siqueira Gonçalves, Maria Helena Penteado Aranha, Paulo José Benício.

Editora Mundo Cristão – 2011 - Comentário Bíblico Popular — Antigo e Novo Testamento - William MacDonald - editada com introduções de Art Farstad.

Editora Geográfica – 2007 – Comentário Bíblico Expositivo Wiersbe – Antigo Testamento – Volume 2 – Tradução: Susana E. Klassen.

Editora Geográfica – 2007 – Comentário Bíblico Expositivo Wiersbe – Novo Testamento – Volume 1 – Tradução: Susana E. Klassen. 

Obrigado por nos visitar! Volte sempre!